Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Tudo sobre alergia


O QUE É ALERGIA?
A alergia é uma reação de hipersensibilidade a uma substância geralmente inofensiva. Há uma série de substâncias, chamadas de alérgenos, que podem incomodar. Dentre os alérgenos comuns encontram-se pólen, pêlo animal, pó caseiro, penas, ácaros, substâncias químicas e vários alimentos. Algumas alergias causam principalmente sintomas respiratórios; outras podem gerar sintomas diversos como dor de cabeça, fadiga, febre, diarréia, dor de barriga e vômito. Este item trata das alergias respiratórias, tanto crônicas quanto sazonais.
A pessoa com uma alergia respiratória pode ter nariz entupido e/ou coriza, espirros, coceira na pele e nos olhos e/ou olhos vermelhos, lacrimejantes. É desnecessário dizer que isso pode ser muito desconfortável. Se o problema é sazonal ou crônico depende do alérgeno em questão. As alergias sazonais tendem a ser causadas por pólen; portanto, os sintomas recorrem mais ou menos na mesma época todos os anos, geralmente na época de floração da planta agressora. A febre de feno é um exemplo de alergia sazonal. A febre de feno da primavera na maioria das vezes decorre do pólen da grama e das árvores, ao passo que a febre de feno no final do verão e início de outono é geralmente causada pela sensibilidade ao pólen de ambrosia-americana e mofo.
As alergias permanentes ou crônicas são geralmente causadas por fatores presentes no ambiente o ano todo, como pêlo animal, poeira ou penas. A rinite alérgica é uma inflamação crônica da membrana mucosa que reveste as vias nasais, causada por uma reação alérgica. É caracterizada por nariz entupido, coriza, espirros freqüentes e uma tendência a respirar pela boca. Os olhos podem ficar vermelhos e lacrimejantes. Dor de cabeça, coceira, rinorragia e fadiga podem ser complicações secundárias. Círculos escuros embaixo dos olhos (chamados de "olheiras alérgicas"), além de um rosto inchado, são freqüentes. Os bebês com rinite crônica são muitas vezes alérgicos a alimentos, na maioria das vezes a leite de vaca. As crianças mais velhas com coriza constante muitas vezes reagem a lã, mofo, penas, poeira, pêlo animal e/ou pólen. Contudo, em alguns casos, a coriza constante talvez não seja resultado de uma reação alérgica, e deve ser diferenciada de uma doença subjacente mais séria, como sinusite crônica. Essa tarefa é melhor desempenhada por um profissional de saúde.
Sejam os sintomas sazonais ou crônicos, há muitas vezes uma história de alergias na família; muitas vezes, o pai ou o avô de uma pessoa alérgica também era alérgico. Na presença de um alérgeno, o sistema imunológico da pessoa libera histaminas e sustâncias químicas semelhantes para combater o que considera um agente invasor. Essas substâncias químicas causam uma série de reações, inclusive inchaço, congestão das vias nasais e maior produção de muco. É basicamente uma reação hipersensível ou excessivamente ativa do corpo ao estímulo externo. A criança em crescimento torna-se mais capaz de combater infecções com o amadurecimento do seu sistema imunológico e pode também superar as alergias.
As alergias também podem contribuir para a ocorrência de outros problemas de saúde crônicos, como acne, asma, enurese, infecções de ouvido crônicas, eczema, irritabilidade e até mesmo dificuldade de concentração. As reações alérgicas podem ocorrer imediatamente após a exposição à substância agressora ou podem demorar dias para aparecer. Uma reação alérgica retardada pode dificultar a detecção do alérgeno.

TRATAMENTO CONVENCIONAL:

O tratamento de uma alergia muitas vezes começa com a identificação dos alérgenos causadores do problema. Há vários testes que seu médico pode recomendar para identificar os alérgenos que afligem a pessoa:
O teste do arranhão consiste em colocar um pouco do alérgeno diluído em uma pequena área da pele levemente arranhada. Se aparecer um calombo em quinze minutos, a pessoa provavelmente é alérgica a essa substância.
O teste intradérmico consiste em injetar na pele os alérgenos suspeitos em determinados intervalos de tempo. Uma injeção de controle (sem qualquer alérgeno) também é administrada. Se o alérgeno produzir uma pápula (caroço vermelho que coça), a pessoa é alérgica àquela substância. O teste intradérmico é mais preciso do que o teste do arranhão, mas a pessoa corre um risco maior de ter uma reação grave.
O exame de sangue (um exame radioalergoadsorvente ou RAST) mede os níveis totais e específicos de IgE e IgG, anticorpos produzidos pelo sistema imunológico. Um nível elevado de qualquer um dos dois pode indicar uma reação alérgica à substância que está sendo testada.
Depois que os exames tiverem sido concluídos, pode-se recomendar um tratamento. Os anti-histamínicos são os medicamentos usados mais comumente em caso de alergias respiratórias. Os anti-histamínicos bloqueiam a ação de substâncias químicas chamadas histaminas, produzidas pelo corpo em resposta à presença de uma alérgeno. As histaminas causam inchaço e congestão das vias nasais e maior produção de muco. Ao bloquear sua ação, os anti-histamínicos diminuem os sintomas alérgicos. A bromofeniramina, difenidramina e clorfeniramina são anti-histamínicos comuns vendidos sem receita médica, indicados para muitas alergias respiratórias. Dentre os anti-histamínicos vendidos com receita médica encontram-se a azatadina, clemastina, astemizol, prometazina e terfenadina. A terfenadina e o astemizol são drogas relativamente novas que têm o benefício de não causar a sonolência que outros anti-histamínicos causam. Consulte seu médico antes de fazer uso de um anti-histamínico. Alguns desses remédios não são recomendados para crianças com menos de dois anos.
O cromoglicato dissódico é um medicamento vendido com receita médica que pode ser usado como spray nasal para prevenir os sintomas das alergias respiratórias. Reveste as membranas do nariz e estabiliza os glóbulos brancos para que não reajam a substâncias estranhas. Em alguns casos, esse remédio pode causar problemas gastrointestinais ou irritação da garganta e do nariz, mas normalmente produz poucos efeitos colaterais e é em geral considerado seguro, pois é minimamente absorvido pela corrente sangüínea. Sua principal desvantagem é que deve ser usado de forma constante, seis vezes ao dia, durante pelo menos duas semanas antes que comece a surtir efeito.
Os descongestionantes diminuem a congestão nasal e o inchaço ao comprimir os vasos sangüíneos nas membranas nasais, permitindo assim que o muco seja expelido de forma mais eficaz. Os descongestionantes são encontrados em forma de comprimido, gotas nasais e sprays nasais. Entre eles, encontram-se a oximetazolina, fenilefrina, fenilpropanolamina e pseudoefedrina. Esses medicamentos têm uma série de efeitos colaterais comuns, inclusive agitação e insônia. Do mesmo modo, se uma forma em spray ou gotas for usada mais de três ou quatro dias seguidos, cria dependência, resultando no agravamento dos sintomas quando a administração do remédio é interrompida. Consulte seu médico antes de fazer uso de um descongestionante. Alguns desses remédios não são recomendados para crianças com menos de dois anos.
A tendência tem sido usar cada vez mais sprays inalantes com esteróides, como a beclometasona. São úteis principalmente para crianças mais velhas que sofrem de rinite alérgica crônica. São antiinflamatórios poderosos e diminuem o inchaço e a produção de muco tão bem quanto os anti-histamínicos, sem causar sedação. Quando usados como sprays nasais, os esteróides tendem a ser bem tolerados e seguros, e podem ser muito eficazes. Por outro lado, os sprays descongestionantes nasais, embora altamente eficazes durante alguns dias, produzirão rapidamente dependência e devem ser evitados.
Quando os anti-histamínicos não oferecem nenhum alívio, a desensibilização é às vezes recomendada para o alívio de alergias. Compreende a injeção de quantidades cada vez maiores do alérgeno durante um determinado período. Contudo, o procedimento é complicado e caro, requer supervisão cuidadosa de um médico e nem sempre é eficaz. Deve ser tentado a penas em casos nos quais nenhuma outra forma de tratamento oferece qualquer alívio.


DIRETRIZES ALIMENTARES:

Elimine os laticínios da dieta. Os laticínios podem espessar o muco e estimular o aumento da produção de muco. Se as alergias forem sazonais, talvez seja útil evitar também trigo integral durante a estação em que ocorre alergia, pois muitas pessoas são sensíveis a esse alimento.
A pessoa com alergias respiratórias também pode ser alérgica a determinados alimentos. Além dos laticínios e trigo, os agressores comuns incluem ovos, chocolate, nozes, frutos do mar, frutas e sucos cítricos. Experimente eliminar um desses alimentos durante algumas semanas e veja se há uma melhora. Adote uma dieta de eliminação ou rodízio alimentar para descobrir alergias alimentares. Ou mantenha um registro diário dos sintomas da pessoa e dos alimentos ingeridos.
Estimule a pessoa a beber muita água para liquefazer as secreções e facilitar a expectoração.
Elimine gorduras cozidas e óleos. Quando o corpo está sob qualquer tipo de estresse, inclusive o estresse de uma reação alérgica, o sistema digestivo não está tão forte quanto o costume, e as gorduras - difíceis de digerir até mesmo nas melhores épocas - podem sobrecarregar ainda mais o sistema digestivo. Da mesma forma, as gorduras não-digeridas contribuem para a produção de muco e promovem um ambiente interno tóxico.


SUPLEMENTOS NUTRICIONAIS:

 Betacaroteno: é usado pelo corpo para produzir vitamina A. Também cura e acalma membranas mucosas irritadas. Se as alergias forem crônicas, experimente uma dose de betacaroteno, duas vezes ao dia, durante dois a três meses. Se as alergias forem sazonais, uma dose de betacaroteno por dia durante a estação em que ocorre a alergia.


 Bioflavonóides: são poderosos antiinflamatórios com efeitos antialérgenos específicos. São relacionados quimicamente ao cromoglicato dissódico. É melhor ingeri-los com vitamina C. Uma dose, três vezes ao dia, durante duas semanas.


Cálcio e o magnésio: são importantes nutrientes para quem é alérgico. Ajudam a relaxar o sistema nervoso demasiadamente reativo.Uma dose de um suplemento que contenha 250 miligramas de cálcio para cada 125 miligramas de magnésio, duas vezes ao dia, durante a fase aguda dos sintomas. Em seguida, a mesma dosagem, uma vez ao dia, durante dois meses.


Ácidos graxos essenciais: como os encontrados nos óleos de prímula, borragem, cassis e linhaça, ajudam a regular a resposta inflamatória. Você pode usar um ou mais desses óleos em cápsula ou misturados a alimentos, como molho para saladas ou manteiga. Siga as orientações referentes à dosagem indicadas nos rótulos do produto e use uma dose de óleo de prímula, óleo de borragem, óleo de cassis ou óleo de linhaça, três vezes ao dia, durante duas semanas. Em seguida, use a mesma dose, uma vez ao dia, durante um mês.
 Observação: O óleo de prímula não deve ser dado à criança febril.


Selênio: é um antioxidante e funciona de forma sinérgica com a vitamina E. Só para pessoas  com mais de 14 anos, 50 miligramas por dia durante a estação em que ocorre a alergia.

Vitaminas do complexo B: ajudam a manter a função supra-renal e a fortalecer e sistema imunológico. No caso de sintomas de alergia sazonal um suplemento do complexo B todos os dias (entre as refeições, ou antes, das refeições) durante dois a três meses.

 Vitamina C: preferivelmente em forma de ascorbato mineral com bioflavonóides, tem propriedades antiinflamatórias. Durantes crises agudas uma dose, quatro vezes ao dia, durante três a quatro dias. Depois  uma dose, uma vez ao dia, durante um mês.

TRATAMENTO FITOTERÁPICO: 
                                                                                                              
Astrágalo (Astragalus membranaceous): é uma erva chinesa que ajuda a fortalecer a constituição como um todo uma dose, diariamente, durante um mês antes da estação de febre de feno.
 Observação: Essa erva não deve ser dada se houver febre ou qualquer outro sinal de infecção.


Alergias crônicas: uma dose de um composto de equinácea e hidraste, duas a três vezes ao dia, durante cinco a sete dias de cada vez para fortalecer seu sistema imunológico.
Observação: Não use equinácea diariamente durante mais de dez dias de cada vez, pois pode perder a sua eficácia.

Chá de feno-grego e tomilho: Essas ervas atuam como um descongestionante suave para aliviar a congestão nasal e dos seios da face uma dose de chá, duas vezes ao dia, conforme necessário.

 Alho: possui propriedades bactericidas benéficas na cura de coriza crônica. Escolha uma forma inodora e use uma cápsula, duas vezes ao dia. Pode ser ingerida a cápsula inteira ou você pode abrir a cápsula e dissolvê-la em água morna ou sopa.

Raiz de alcaçuz: tem um efeito fortalecedor nas glândulas supra-renais uma dose diariamente durante duas semanas antes da estação de febre de feno. O alcaçuz e o astrágalo podem ser facilmente combinados.
Observação: essa erva não dever ser dada a pessoas com pressão alta.


 Erva ma Huang: é eficaz para aliviar a congestão nasal uma dose em forma de chá, duas vezes ao dia, durante até três dias.
Observação: Essa erva pode estimular o sistema nervoso, causando taquicardia e agitação. Não dê a crianças com menos de treze anos, nem após as 15:00 horas.


Bupleuro: ajuda a fortalecer o sistema imunológico. Em caso de alergias crônicas  uma dose duas vezes ao dia, durante duas semanas de cada mês. Continue esse tratamento durante três meses.
Observação: O bupleuro não deve ser dado a crianças febris ou com qualquer outro sintoma de infecção aguda.


Urtiga: pode ser útil para secar os seios da face. Pode ser altamente eficaz em casos de alergias crônicas (rinite alérgica), principalmente quando ingerida na forma liofilizada uma dose, três vezes ao dia, durante três a quatro dias.
Observação: Algumas pessoas têm problemas de estômago quando tomam urtiga. Se isso acontecer, pare de administrar a erva. Essa erva não deve ser dada a crianças com menos de quatro anos.


HOMEOPATIA:

A homeopatia pode funcionar de forma simples eficaz para resolver os sintomas alérgicos. Selecione um remédio específico para o sintoma e, a menos que recomendado de outro modo, use uma dose, três vezes ao dia, durante três dias. Se não houver melhora, tente um outro remédio. Se perceber uma melhora, pare de dar o remédio e observe a reação do seu filho. Se os sintomas reaparecerem, volte a usar uma dose, três vezes ao dia, durante mais dois dias. Se o problema não for resolvido, talvez seja útil consultar um homeopata que possa receitar um remédio constitucional.

Allium cepa 9ch: é bom para pessoas com acessos de espirro e sensação de ardência no nariz que afeta o lábio superior, cujos sintomas melhoram ao ar-livre ou ao molhar o rosto com água fria. Allium cepa é feito a partir do bulbo fresco da cebola. Serve para reações alérgicas semelhantes à reação que se tem ao descascar ou cortar uma cebola - olhos vermelhos e lacrimejantes, por exemplo.


Ammonium muriaticum 9ch: é para a pessoas com uma descarga aquosa que queima o lábio superior e o interior do nariz. Há uma sensação de que o nariz está entupido mesmo que haja uma descarga nasal constante. Essa pessoa perde o olfato e também pode ter uma sensação de cócegas na garganta.


Arsenicum album 9ch: ajuda a pessoa que está espirrando, com ardência nasal e que se sente melhor com compressas de calor nas laterais do nariz e quando respira em um vaporizador. A pessoa que precisa de Arsenicum é agitada, cansada. Ela pode ter mãos e pés frios e acorda à noite muito aflita. Muitas vezes, ela não terá apenas alergias a poeira e a mofo, mas será altamente sensível a pêlo de gatos também. Essa pessoa também pode ter alergias a alimentos, como leite, trigo ou açúcar, e ser nervosa.


Calcarea carbônica 9ch: pode ser benéfica para pessoas pálidas que suam muito, principalmente em volta da cabeça, e são sensíveis a correntes de ar. Gânglios inchados podem acompanhar a coriza dessa pessoa. Também pode ter problemas digestivos. Essa pessoa pode ter tido dentição tardia e/ou aprendido a andar depois dos amigos ou irmãos.


Euphrasia 9ch: é benéfico para a pessoas com lágrimas que ardem e descarga nasal não-escoriante. Muitas vezes, essa pessoa desenvolverá conjuntivite junto com as alergias, quando então torna-se muito sensível à luz e prefere ficar em casa em um aposento mal iluminado.


Hydrastis 6ch: para quem tenha uma descarga nasal amarela ou amarelo-esverdeada. Freqüentemente, o muco forma crostas em volta do nariz.

Natrum muriaticum 6ch: para que  se queixa de dor ou ardência no interior do seu nariz com coriza. Essa pessoa terá um muco espesso, pode ter um machucado entre o nariz e o lábio superior e seus lábios ficarão secos e rachados. Ela prefere - talvez até deseje - alimentos salgados.

Pulsatilla 9ch: ajuda quem se sente muito mal em um quarto abafado e se sente melhor ao ar-livre, fresco. Essa pessoa prefere dormir com a janela aberta. Suas fossas nasais ficam congestionadas e secas à noite, com um fluxo não-irritante e amarelo de dia. Essa pessoa muitas vezes é clara, tem cabelos louros ou castanho-claros e olhos azuis. As pessoas Pulsatilla têm boa índole, são dóceis e adoráveis - exceto, obviamente, quando sofrem uma crise alérgica. Pulsatilla é a anêmona homeopática. Para a pessoa cujo humor e cujos sintomas mudam como o vento, a anêmona homeopática oferece ótimos resultados.

Sabadilla 9ch: é útil para quem tem espirros espasmódicos com muita descarga nasal, primeiro aquosa e depois espessa e uma coceira peculiar no nariz e no palato mole. Essa pessoa  vai querer coçar o palato mole. A exposição a flores muita vezes aumenta a coceira e os espirros.

Se uma criança  tiver coriza desde que tomou uma vacina, dê-lhe Thuya 9ch, duas vezes ao dia, durante dois dias. É recomendada para crianças sensíveis ao frio e à umidade e que têm tendência a desenvolver verrugas.

Se nenhum dos remédios anteriores parecer adequar-se à situação, há fórmulas homeopáticas que combinam vários remédios que talvez sejam úteis.

PREVENÇÃO:

Se possível,evite contato com plantas que causem reação alérgica, principalmente durante a estação de polinização.

Se o pêlo animal causar uma reação, mantenha os animais domésticos fora de casa. Acima de tudo, não os deixe no quarto de uma criança alérgica.

Se tiver alergias crônicas, investigue fatores ambientais que possam estar contribuindo para a ocorrência do problema. Elimine todos os possíveis alérgenos, tais como poeira, mofo e fumaça de cigarro. 

Talvez seja necessário eliminar travesseiros de penas e objetos que juntem poeira, como bichos de pelúcia, tapetes, cortinas e até mesmo estofados.

Verifique e elimine alimentos que possam ser fonte de uma hipersensibilidade ou uma reação alérgica.

Use astrágalo para fortalecer seu sistema imunológico.

Promova um ambiente sem fumaça. Se você fumar, por favor, pare. As crianças alérgicas são vulneráveis principalmente aos efeitos da fumaça passiva. Os fogões à lenha também podem ser fonte de irritação respiratória.

TRATAMENTO EMERGENCIAL PARA ALERGIAS:

Ocasionalmente, a reação alérgica pode ser bastante grave, pondo em risco a vida. 

Se a pessoa apresentar urticária que se alastra rapidamente pelo corpo, ou tem dificuldade para respirar, procure atendimento médico imediatamente.

Se houver qualquer sinal de que a pessoa está tendo dificuldade para respirar devido a uma grave reação alérgica, principalmente se ela tiver um histórico de reações graves, leve-a imediatamente ao pronto socorro mais próximo.

Se não puder transportar a pessoa sozinha solicite uma ambulância, e enfatize a urgência da situação. Cada segundo é precioso.

Não dê a pessoa nada para comer ou beber se ela estiver tendo dificuldade para respirar.

Fonte: Saúde informações