Rondonópolis/MT,

Perigos que vem com o verão

Praia e piscina são oásis no suadouro do verão. No entanto, muita atenção: é nestes refúgios que mora o perigo. Temperaturas altas, exposição prolongada ao sol e uso de roupas úmidas por muito tempo propiciam o surgimento de problemas na pele.

Dermatologistas desvendam tudo sobre as doenças que mais aparecem nesta temporada, como micoses de unha, bicho geográfico, acne, foliculite entre outras. Saiba ainda o que fazer para prevenir e as opções de tratamento disponíveis.

BICHO GEOGRÁFICO: É a contaminação por parasitas, devido ao contato da pele com fezes de animais na praia. O Bicho geográfico, de nome científico larva migrans, é causado por parasitas intestinais do cão e do gato. Ao defecar na terra ou areia, os ovos eliminados nas fezes viram larvas, que penetram na pele de pessoas que andam descalças, formando lesões com a aparência de túneis avermelhados e, geralmente, coçam. Para prevenir, a dermatologista Sueli Carneiro, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, recomenda que praias frequentadas por animais sejam evitadas: "O uso de calçados é essencial. O tratamento é feito via oral ou tópica para os casos mais graves".

MICOSE DE UNHA: A micose de unha, ou onicomicose, é uma infecção causada por fungos. As unhas apresentam descolamento e manchas amareladas e esbranquiçadas. Esse tipo de micose é mais comum nas unhas dos pés, pois o ambiente escuro, quente e úmido dos sapatos favorece o crescimento da micose. Segundo a Andréia Mateus, dermatologista membro da Associação Brasileira de Dermatologia, alguns cuidados simples ajudam a evitar a onicomicose: "Levar o próprio material para a manicure, incluindo as lixas, e não andar descalço". O tratamento é feito com medicamentos de uso local, continua ela, sob a forma de cremes, soluções ou esmaltes, e tratamento via oral para os casos mais avançados.

PANO BRANCO: A pitiríase versicolor, mais conhecida como Pano Branco é muito comum no verão e se manifesta formando manchas claras, acastanhadas ou avermelhadas que começam pequenas e podem se unir formando manchas maiores. O fungo causador da doença habita naturalmente a pele e NÃO É adquirido em piscinas ou na praia. É percebido quando o corpo está bronzeado, uma vez que as partes afetadas não ficam da mesma cor. Para evitá-lo, a dermatologista Andréia Mateus aconselha evitar o uso de hidratantes oleosos, usar protetor solar oil-free e não compartilhar roupas. Para tratar são prescritos medicamentos de uso via oral ou local (sabonetes, xampus, loções, sprays ou cremes), de acordo com o grau de comprometimento da pele. Como o fungo responsável pela doença habita normalmente a pele, a micose pode voltar, mesmo após um tratamento bem-sucedido.

MICOSE DE VIRILHA: A tinea inguinal, que atinge a região da virilha e outras dobras, como axilas, é causada pelo crescimento de fungos nestas regiões. A anatomia favorece o crescimento destes microorganismos devido à escuridão, calor e umidade característicos destas áreas do corpo. Para evitar a micose de virilha mantenha as áreas de dobra secas e use roupas de algodão. "Evite ficar com roupas de banho molhadas no corpo por muito tempo", ressalta a dermatologista Andréia Mateus. O tratamento pode ser feito com medicamentos de uso tópico ou via oral, dependendo da extensão do problema. Aos primeiros sintomas, procure um especialista, sem usar nenhuma medicação, pois pode mascarar o aspecto da doença, dificultando o diagnóstico correto e a escolha do tratamento adequado para cada caso.

FOLICULITE: É a inflamação dos folículos pilosos (o "poro" onde nascem os pelos), causada por bactérias que já existem na derme e piora com o calor e a umidade. São aquelas "bolotinhas" avermelhadas que parecem espinhas. O professor de Dermatologia do Hospital Pedro Ernesto (UERJ) Egon Daxbacher diz que algumas pessoas têm mais propensão a ter o problema por terem uma quantidade maior de bactérias na cútis. Segundo ele, o tratamento da foliculite é feito com o uso de sabonetes anticépticos e antibióticos tópicos em creme.

IMPETIGO: Egon Daxbacher explica: "O impetigo é também uma inflamação causada por bactérias existentes na pele, com lesões mais exuberantes e que acontece em crianças". O tratamento é feito com antibióticos via oral.

ACNE: O verão, época em que a produção de gordura aumenta com o calor, favorece o aparecimento da acne. Mas não é só o aumento da oleosidade natural que provoca o problema: "Hidratantes muito gordurosos e o uso excessivo de maquiagem aumentam as chances", alerta Egon. O tratamento é feito de acordo com o grau de cada caso. Para os mais simples, o médico recomenda sabonetes e outros medicamentos de uso local. Já para os mais graves são prescritos antibióticos ou outros remédios mais potentes, como a Isotretinoina, substância do conhecido Roacutan.

VERRUGAS: As verrugas, assim como a acne, podem aparecer em qualquer época do ano, mas na estação quente é mais comum, pois mais áreas do corpo ficam expostas ao vírus causador. São lesões de diferentes formas e tamanhos, facilmente identificáveis. Para não se contaminar, o professor alerta que as pessoas evitem compartilhar roupas e calçados com quem que tem o vírus. Egon frisa que não se deve cutucar as áreas afetadas, pois assim a lesão é traumatizada e, quando outra área do corpo for traumatizada da mesma forma, a doença se espalhará. Elimina-se o problema com a destruição das verrugas, que pode ser feita através de calor, frio (congelamento) ou com o uso de ácidos.

QUEIMADURA SOLAR: É resultado da exposição excessiva ao sol, com uso inadequado ou o não uso do protetor solar. O professor Egon lembra o que não é novidade: "O uso do protetor solar deve ser diário e os cuidados, quando a exposição é muito grande como em praias e piscinas, devem ser ainda maiores. Utilizar barreiras físicas como uso de chapéus, barracas de praia e roupas ajudam a prevenir as queimaduras, além da hidratação - seja por ingestão de água ou aplicação de hidratantes. "O tratamento das queimaduras é esperar a regeneração da derme. Nos casos mais graves, são indicados antibióticos para evitar que a lesão infeccione", complementa o médico.

REAÇÕES FOTOTÓXICAS E FOTOALÉRGICAS: As reações fototóxicas são produzidas na pele após exposição solar, associadas à aplicação de produtos ou a ingestão de medicamentos. Ela fica com áreas de vermelhidão, causadas por algumas substâncias presentes em cosméticos e alguns medicamentos, como anticoncepcionais. As reações fotoalérgicas manifestam-se com coceira, pequenas elevações na cútis e vermelhidão. Podemos prevenir essas reações ao evitar ir à praia quando em uso de certos medicamentos, perfumes, desodorantes, maquiagem e outros cosméticos. "Evite usar sustâncias caseiras, protetores e bronzeadores de fundo de quintal, perfumes, limões e outras frutas cítricas", aconselha Sueli Carneiro.

Fonte: Bolsa de mulher