Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Vencendo a internet, um programa de cada vez


Reparem que não disse “vencendo NA internet”, mas “vencendo A internet”. Apesar de ser uma grande ferramenta, a internet também pode ser uma grande inimiga. Ela nos possibilita... E nos derruba.

Cada vez mais, é impossível não estar na internet. Como fazer um trabalho, qualquer trabalho, sem consultar o Google?Como deixar de visitar sites de conteúdo interessante,como este que você está visitando?

Facebook, Twitter, LinkedIn nos trazem oportunidades de trabalho, de negócios, de contatos que simplesmente não podemos prescrever. Ficar de pirraça e não ter Facebook em 2012 é como ser pirracento e não ter celular em 2002, ou telefone fixo em 1950. Dá? Dá, mas seu negócio e sua carreira vão sofrer.

Cada vez mais, é impossível estar na internet. Como fazer um trabalho, qualquer trabalho, enquanto piscam o Gtalk e o MSN, enquanto as atualizações vão se empilhando no Twitter e no Facebook?
E é tão fácil se deixar levar, não? Só mais uma olhadinha no Twitter. Deixa só eu responder essa atualização do Facebook. Tenho que falar com esse nome piscando no GTalk, pode ser um bom contato profissional. Já estou indo, meu amor, deixa só eu dar mais uma carreirinha de Facebook, fumar só mais essa pedrinha de Twitter! Mas to bem, eu paro na hora que quiser!


No futuro (e já no presente), o sucesso será daqueles que conseguirem usar essas ferramentas para o que servem, sem ser usado, consumido, devorado por elas.

Eu confesso: sou viciada e preciso de ajuda.

Em primeiro lugar, sugiro o Freedom.

O Freedom é radical. Ele corta toda a internet do seu computador. Pra voltar a usar antes da hora que você estabelecer, só reiniciando a máquina. A licença de uso é de apenas dez dólares e você compra direto do desenvolvedor, Fred Stutzman. Eu acho que vale a pena. Paguei e uso. Só escrevo ficção com o Freedom ligado.

Existem outros programas que bloqueiam apenas sites específicos. Por exemplo, quando estou traduzindo, preciso de acesso a diversos sites de referência (hoje em dia, tudo está na internet!), então uso esses programas para somente bloquear comedores-de-tempo como Facebook, Tumblr, Twitter, etc.


Também existe a opção de habilitar um site só por algumas horas: você limita seu uso do Facebook a somente duas horas por dia; quando alcançar essa marca, ele trava a rede social até o dia seguinte. Não é lindo?

Meus browsers só liberam os comedores-de-tempo em intervalos de trinta minutos a cada duas horas. 

Tentei intervalos de trinta minutos a cada quatro horas, mas sou fraco. Quatro horas era demais. Eu começava a sentir claros sinais de abstinência – não é brincadeira.

Venho mantendo o esquema 30min/2h há alguns meses e ele me permite trabalhar bastante e manter minha ansiedade em níveis aceitáveis, então fechou.

Existem vários programas assim, mas esses são os dois que eu uso, ambos 100% gratuitos: LeechBlock (Firefox) e ChromeNanny (Chrome).

De nada, amigo leitor. De nada. Agora, vai cuidar da vida e ser feliz. Offline, de preferência.

Fonte: Portal Homem/Natura