Rondonópolis/MT,

Crimes cruéis que chocaram o país e o mundo em 2012


O ano de 2012 foi marcado por crimes horripilantes, que chocaram o mundo todo. Por motivos passionais, vingança, medo ou raiva, os criminosos agiram de maneira assustadora e fria, em diversas partes do mundo. Relembre a seguir alguns dos casos que foram notícia.

Em janeiro, Geralda Lúcia Ferraz Guabiraba foi encontrada morta com o rosto desfigurado e sem os olhos em um local conhecido como Pedra da Macumba, em Mairiporã (SP). Segundo as investigações, a morte foi provocada por um ferimento no pescoço feito por um objeto cortante (uma faca cega ou um caco de vidro).

Em fevereiro, 7 homens e 3 adolescentes são apontados como suspeitos de envolvimento em um estupro coletivo e assassinato de mulheres na cidade de Queimadas, no interior da Paraíba. Segundo a polícia, um grupo de amigos foi chamado com o objetivo de ajudar a abusar das mulheres em uma festa.
Encapuzados e armados, prenderam os homens que estavam na festa em um quarto e as mulheres em outro. Depois de abusar de pelo menos 5 mulheres, fugiram levando Michele Domingos da Silva(foto) e a Isabela Monteiro (foto anterior) que foram achadas mortas em ruas próximas ao local da festa.
Em abril, 7 pessoas foram encontradas mortas com cortes profundos no pescoço em uma fazenda em Doverlândia (GO). Entre as vítimas estavam o dono da propriedade e seu filho. Um suspeito teria confessado o crime, mas morreu em um acidente de helicóptero que vitimou os participantes da reconstituição.
Em maio, o empresário Marcos Kitano Matsunaga, herdeiro da Yoki Alimentos, foi encontrado morto e esquartejado na Estrada dos Pires, numa região rural, em Cotia, na Grande São Paulo. O corpo foi encontrado, cerca de uma semana após o desaparecimento, cortado em pedaços e colocado em sacolas plásticas.
A mulher do empresário, Elize Matsunaga, 30, confessou o crime e o esquartejamento no dia 6 de junho. De acordo com a versão da mulher, Matsunaga foi morto com um tiro após uma discussão entre o casal, onde ela teria sido agredida. Ela suspeitava que o marido estivesse tendo um caso.
Em junho, Mirtes Juliana Araújo foi assassinada com golpes de barra de ferro após uma discussão com seu marido. A professora havia colocado um fim na relação de 11 anos. O suspeito levou os restos mortais da mulher em três sacos de lixo para a casa da mãe dele, que se assustou ao ver o corpo da nora esquartejado.
Em setembro, o corpo da universitária Lore Santana Vaz, de 26 anos, foi encontrado dentro de um carro, abandonado. A jovem estava degolada e com alguns dentes arrancados. O suspeito de ser o mandante do crime é o ex-marido da vítima. Para polícia, crime foi motivado pela cobrança de uma dívida.
Em setembro, o corpo da jovem Ana Alice de Macêdo, de 16 anos, foi encontrado enterrado em uma fazenda, em Queimados (PB). Ela teria sido sequestrada, estuprada — por mais de três horas — e depois morta a pauladas. A polícia informou que o corpo estava em avançado estado de decomposição.
Uma babá assassinou duas crianças em Nova York no fim de outubro. Lúcia, de seis anos, e Leo, de dois, foram encontrados pela mãe, Marina Krim, na banheira de seu apartamento. Yoselyn Ortega matou as crianças usando uma faca de cozinha. Após o crime, ela tentou tirar a própria vida, cortando a garganta. Yoselyn foi levada ao hospital e passa bem.
No Reino Unido, uma mulher espancou seu filho de sete anos até a morte com uma vara e ateou fogo no corpo do menino porque ele estava com dificuldade nos estudos do Alcorão, livro sagrado do Islamismo. Sara Ege, 32 anos, é acusada de matar o filho Yaseen Ali porque o menino não conseguia decorar algumas passagens escritas no livro. Sara abusava e agredia a criança frequentemente.
Cassidy Goodson, de 14 anos, é acusada de estrangular o filho recém-nascido, na Flórida, EUA. A menina teria escondido a gravidez dos pais e estrangulado o bebê assim que ele nasceu, no banheiro de casa. Após a morte do recém-nascido, a jovem escondeu o corpo do bebê em uma caixa com roupas sujas, encontrada pela mãe de Cassidy três dias após o crime.
A morte de Roberto Laudisio Curti virou notícia no Brasil todo. Curti morava na Austrália, onde foi morto por policiais, em março. Imagens divulgadas pela polícia australiana mostraram o brasileiro recebendo cerca de 14 choques elétricos disparados pelos oficiais, antes de morrer. Segundo o inquérito, Curti teria consumido LSD na noite em que morreu.
A morte de Autumn Pasquale chocou a cidade de Clayton, nos EUA. Após dois dias desaparecida, o corpo da menina foi encontrado no lixo reciclável de uma casa, a alguns quarteirões de onde ela morava. Dois irmãos, de 15 e 17 anos, foram indiciados por assassinato, conspiração para cometer assassinato, roubo, ocultação de cadáver e ocultação de provas de um crime.
O desaparecimento da garota April Jones, de cinco anos, comoveu o mundo em 2012. April andava de bicicleta e brincava com amigos perto de sua casa, em Gales, quando foi vista por outras crianças entrando em uma caminhonete. Após buscas frustradas, a polícia prendeu Mark Bridger, acusado de assassinar a menina. Bridger conhecia a garota e é dono do carro visto no crime.
O corpo de Diana Farkas, quatro anos, foi encontrado em maio esquartejado no congelador da casa de sua mãe, no sul da Bélgica. A mãe, Juliana Santana Duran, reconheceu ter estrangulado a criança antes de esquartejar o corpo e guardá-lo em bolsas dentro do congelador, mas não explicou os motivos que a levaram a cometer o crime.

Fonte: R7notícias