Rondonópolis/MT,

Abdominais Hipopressivos


Quem é que nunca desejou conquistar um abdômen sequinho e definido sem ter que enfrentar as exaustivas e desgastantes abdominais? Agora, graças a uma técnica utilizada por fisioterapeutas no tratamento de reabilitação pélvica e postural, esse desejo está mais próximo.A técnica é nova no Brasil, mas já faz muito sucesso na Europa, sobretudo na França, onde foi desenvolvida pelo fisioterapeuta Marcel Caufriez. Trata-se da ginástica hipopressiva, também conhecida como abdominal hipopressiva, uma combinação de movimentos que trabalha a região do abdômen e a cintura pélvica e que a princípio era aplicado apenas para tratamentos de saúde, mas que aos poucos ganha espaço no âmbito estético.

A ginástica combina uma série de exercícios da musculatura abdominal, pélvica e peitoral, produzindo um movimento dos músculos abdominais conhecido como manobra de aspiração diafragmática, que tem como objetivo puxar órgãos da pelve como a bexiga, o útero e os ovários para cima estimulando a musculatura do assoalho pélvico.

Seu objetivo é reduzir a pressão intra-abdominal fortalecendo a musculatura interna do abdômen, além de fortalecer o períneo e reduzir a compressão dos discos invertebrais na região lombar.

A ginástica hipopressiva é eficiente para diversos tratamentos como combater e tratar a incontinência urinária, tratar dores nas costas, lombalgias e melhorar a postura, melhorar o funcionamento do intestino, auxiliar na recuperação pós parto e melhorar a aparência do abdômen através do fortalecimento dos músculos e da diminuição da circunferência da cintura.

Para os adeptos de corridas, os benefícios podem ser ainda maiores. De acordo com pesquisas, a atividade da corrida tem grande impacto nos músculos do períneo, responsáveis pela continência urinária e este impacto, no caso das mulheres, pode provocar perda urinária durante a corrida e também em atividades que envolvem carregamento de peso, tossir e espirrar e isso mesmo em mulheres jovens e sem filhos. Com os exercícios hipopressivos, os músculos se fortalecem reduzindo o impacto na pelve. No caso masculino, os exercícios reduzem o impacto na região lombar, reduzindo consequentemente as dores e corrigindo desvios de postura.

Os resultados obtidos com a prática dos exercícios hipopressivos variam de pessoa para pessoa. Vai de cada um conseguir desenvolver o controle dos músculos e perceber a região. Ao contrário das tradicionais abdominais, a terapia com os exercícios hipopressivos exige essa percepção do corpo e uma concentração semelhante à prática do pilates e da ioga para que possa aliviar a tensão da região. Por isso, algumas pessoas encontram uma maior dificuldade que outras, que conseguem perceber os resultados no corpo logo nas primeiras semanas.

Segundo especialistas, essa maior consciência corporal também afetar positivamente as relações sexuais, graças ao fortalecimento dos músculos da região e da liberação da tensão concentrada, o que por si só já aumenta a sensação de prazer.

O efeito também é diferente dos exercícios de fortalecimento abdominal, já que o trabalho é feito internamente, mas é possível obter um contorno mais enxuto, uma cintura mais fina e sem os desagradáveis pneuzinhos.

Esse tipo de ginástica é realizada por um grupo restrito de profissionais, por isso, se quiser iniciar a terapia, o ideal é contar com a orientação de um profissional devidamente habilitado, mas para ilustrar como funciona o exercício, selecionamos o vídeo abaixo.


Para garantir melhores efeitos, alie a terapia a outros exercícios físicos regulares e a uma dieta equilibrada. 

Confira mais 2 vídeos para visualizar como a técnica funciona com os seguintes exercícios.

Exercício hipopressivo 


Abdominal hipopressivo


Fonte: Dicas de Mulher