Rondonópolis/MT,

Gordura na medida


Descubra os benefícios e prejuízos que ela pode trazer para seu organismo, mantenha-a sob controle e garanta um shape sarado. A gordura costuma ser apontada como grande inimiga da saúde e da boa forma física. Mas não é bem assim. Ela também exerce importantes funções no seu organismo e é fundamental para que ele funcione bem. A seguir, apresentamos alguns fatos que ajudam você a compreender melhor o papel da gordura e a tirar vantagem dela. Assim, você vai ter energia de sobra para executar qualquer tarefa.

Fato nº 1
A GORDURA É UM ÓRGÃO DO CORPO
No passado, especialistas a consideravam apenas um reservatório de energia (calorias). Mas, de alguns anos para cá, pesquisadores e médicos reconheceram que ela é o maior órgão endócrino (que produz hormônios) do corpo. “A gordura faz parte da sua constituição biológica. Você já nasce com ela”, diz Cyro Guimarães Júnior, endocrinologista do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Segundo o endocrinologista Marcio Mancini, chefe do Grupo de Obesidade do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (USP) , entre as principais funções do tecido adiposo estão: fornecer energia, ajudar a manter a temperatura corporal e proteger seus órgãos internos contra impactos.

Mantenha o controle – O índice saudável de gordura varia de 6% a 12% da sua composição corporal. “Acima disso, ela pode começar a prejudicar seu organismo”, afirma Guimarães Júnior. Para mantê-lo, além de praticar exercícios regurlamente, você deve prestar atenção ao que vai no prato: “O ideal é comer pelo menos cinco porções por dia de frutas, verduras e legumes”, orienta a nutricionista Lenycia Neri, diretora da Nutri4Life, em São Paulo. “Além disso, prefira grãos, cerais, pães, massas e biscoitos integrais e fontes de proteínas com pouca gordura, como leite e iogurte desnatados e carnes magras [aves, peixes, filé-mignon]“, completa.


Fato nº 2
ELA TEM IMPORTANTE PAPEL NO ORGANISMO…
A gordura faz parte da composição das membranas celulares, é fundamental para a absorção de vitaminas lipossolúveis, como a A, D, E e K, e para a produção de vários hormônios. Um deles é a leptina, que é formada dentro do tecido adiposo e dá sinais ao corpo de saciedade. Sem ela, você teoricamente poderia comer até seu estômago estourar.

Mantenha o controle – Mesmo que seu objetivo seja perder peso, você não deve excluir a gordura da dieta. “Ela é fundamental para o corpo e deve ser consumida diariamente. Em uma alimentação balanceada, cerca de 20% do valor energético total deve vir da gordura”, diz Luciana Rossi, membro do Conselho Regional de Nutricionistas de São Paulo e coordenadora do curso de pós-graduação em nutrição esportiva e estética do Centro Universitário São Camilo. Para suprir essa necessidade, prefira alimentos ricos em gorduras mono e poli-insaturadas (que ajudam a controlar o colesterol), como noz, salmão e azeite de oliva. Já os ricos em gorduras saturadas (que aumentam o risco de doenças cardíacas) devem ser evitados: “Em vez de bolachas, bolos e sobremesas cremosas, coma alimentos que também fornecem outros nutrientes importantes para seu corpo, como proteínas de alto valor biológico [que possuem todos os aminoácidos essenciais], vitaminas e minerais”, orienta Tatiana Barão, nutricionista da Naturalis Nutrição e Farma, em São Paulo. “Queijos e carnes magras, iogurtes e ovos são boas opções”, completa a especialista em nutrição aplicada ao exercício físico pela USP.

Fato nº 3
… MAS TAMBÉM PODE DETONAR SUA SAÚDE
A leptina é só um dos aproximadamente 300 compostos que vêm da gordura. O problema é que nem todas substâncias produzidas por ela são benignas como esse hormônio. “Quando o tecido adiposo fica com excesso de gordura, ele se inflama e libera grande quantidade de `porcaria¿ no seu corpo”, explica o americano Fredrik Karpe, professor de medicina metabólica da Universidade de Oxford (EUA). E essa “porcaria” (ácidos graxos livres, resistina, angiotensinogênio etc.) pode aumentar sua pressão arterial, causar inflamação vascular, artrite ou elevar o nível de triglicérides a alturas perigosas.

Mantenha o controle – A melhor forma de diminuir a inflamação do tecido adiposo é fazer atividades físicas. Num estudo da Universidade Estadual Appalachian (EUA), pessoas que correram, nadaram ou pedalaram regularmente apresentaram 50% menos proteína C-reativa (um marcador de inflamação) no sangue do que as que, mesmo em forma, raramente se exercitaram.

Fato nº 4
BANHA NÃO É TUDO IGUAL
Segundo o médico americano David Shafer, o material macio logo acima da cintura, que você sente quando belisca sua barriga, suas costas ou as laterais do seu tronco, é a gordura subcutânea (armazenada sob a pele). Estudo realizado pela Universidade de Oxford (EUA) aponta que essa banha produz menos compostos inflamatórios e traz menores danos à saúde do que agordura visceral, que se acumula na região abdominal, entre as vísceras (fígado, intestinos) e nos vasos sanguíneos. A gordura visceral deixa sua barriga com aspecto estufado e rígido. “Ela causa inflamação crônica de baixo grau, que leva a alterações metabólicas, como aumento da glicose e dos triglicérides, e pode causar diabetes, hipertensão e doenças cardiovasculares”, alerta Mancini.

Mantenha o controle – A gordura visceral é combatida com boa alimentação e exercício – assim como qualquer outra banha do seu corpo. Veja no boxe abaixo como se livrar dela com maior facilidade.


1. FAÇA EXERCÍCIOS AERÓBICOS
Em estudo realizado pela Universidade Duke (EUA), pessoas que durante oito meses andaram de bike, correram ou fizeram aparelho elíptico por 30 minutos quatro vezes por semana perderam cerca de 8% de gordura visceral. Já aquelas que realizaram um treino de musculação com duração e intensidade parecidas não reduziram em nada o índice desse tipo de banha.

2. COMA GRÃOS INTEGRAIS
Segundo pesquisa publicada no Journal of Clinical Nutrition (EUA), pessoas que comem três porções diárias de cereais integrais (arroz, quinua) têm 10% menos gordura visceral do que as que não ingerem esses grãos. Os pesquisadores explicam que os compostos prebióticos desses cereais integrais diminuem a absorção de gordura no intestino.

3. CONTROLE A FRUTOSE
Estudo da Universidade da Geórgia (EUA) descobriu que ingerir muita frutose pode aumentar em 20% a banha visceral. Esse açúcar (encontrado nas frutas) é usado em grande quantidade em sucos, doces industrializados e refrigerantes. Maneire no consumo desses alimentos. E pode comer frutas tranquilo. Nelas a frutose está combinada com fibras e vitaminas e não faz mal a sua saúde.

4. REGULE O SONO
Pesquisa publicada no Journal Sleep (EUA) mostrou que pessoas que dormem de 6 a 7 horas por noite possuem índice de gordura visceral mais baixo do que aquelas que dormem com um tempo maior ou menor que esse. Os piores resultados foram mostrados por quem tem menos de 5 horas de sono por noite. Essas pessoas podem acumular gordura visceral até cinco vezes mais rápido.

Fonte: Revista Men’s Health