Rondonópolis/MT,

O homem e a testosterona: os benefícios do hormônio

Pois é, se você não sabia hoje se comemora o Dia do Homem. No mundo, a data comemorativa é o dia 19 de novembro. Com bem menos importância que o Dia da Mulher, a homenagem foi criada pelo ex-presidente russo Mikhail Gorbachev há 13 anos e foi comemorada pela primeira vez em Trinidad e Tobago, em 1999. A data foi criada especialmente para lembrar aos homens dos cuidados com a saúde. Que segundo o Ministério da Saúde, atualmente os homens apresentam maior taxa de mortalidade do que as mulheres em praticamente todo o ciclo de vida. Para se ter uma ideia, a cada três mortes de pessoa adulta no país, duas são de homens. Os homens vivem sete anos menos em média do que as mulheres.
 
“Ser homem culturalmente é sinônimo de vigor e virilidade. A falta de vigor, porém, pode ser um sinônimo de problemas de saúde”, conta Leandra Sá, farmacêutica da Farmacotécnica. E aí que entra o tal hormônio masculino, o testosterona. “O hormônio masculino tem efeito sem igual em todo o corpo de um homem. Ela é produzida nos testículos e nas suprarrenais e é para o homem, o que estrógeno é para mulher”, explica Leandra.

A busca por um corpo em forma é um longo caminho; são anos de academia, alimentação saudável e suplementação, além da torcida para a genética ficar eternamente a nosso favor. Acontece que os estudiosos americanos vêm procurando na terapia de hormônios o combate ao envelhecimento e perda de músculo. 

Estudos bioquímicos têm demonstrado que o avanço da idade acompanha a elevação sanguínea das enzimas aromatase e 5 alfaredutase, responsáveis pela metabolização dos nossos hormônios esteroides. Quanto a nossa testosterona pode sofrer ação desta aromatase, transformando-se em estradiol (hormônio de maior concentração na mulher), resultando no subproduto DHT (di-hidrotestosterona), ou seja, testosterona inativa. A medicina que almeja o antienvelhecimento tem demonstrado que o bloqueio destas duas enzimas de forma comedida e acompanhada tem resultado num rejuvenescimento, pois evita a sarcopenia (perda de massa muscular), bem como a rarefação capilar (calvície), propiciando um ambiente perfeito para ganhos de massa magra e redução de gordura abdominal.

Recentemente, a mídia ficou impressionada com os resultados de um americano chamado Jeffry Life, 'garoto-propaganda' da empresa de reposição hormonal Cenegenics, que com atualmente 74 anos, injeta em si mesmo, duas vezes por semana, pequenas doses de testosterona e afirma que sua vida melhorou em vários aspectos. Aos 59 anos, o executivo americano J.G. começou a se sentir deprimido e ansioso. Tinha dificuldades para dormir, sua libido já não era mais a mesma e, por mais que se esforçasse na academia e cuidasse da alimentação, não conseguia atingir os resultados que queria. 'O trabalho também ia mal. Ter que lidar com o estresse, e a competição ampliava os sintomas, quando não era combustível para eles'. (Fonte: Globo.com)

Assim, Jeffry, desconfiado de que poderia estar sofrendo com os sintomas do declínio de testosterona em seu corpo, procurou um médico, e após alguns exames, lhe fora receitado uma terapia de reposição hormonal. “Tomei minha primeira dose e, uau, pareceu que tudo deu uma volta de 180 graus”, disse o executivo à BBC Brasil.

Acontece que com o passar do tempo, o nível das enzimas aromatase aumenta no organismo humano favorecendo uma maior conversão do excesso de testosterona e estradiol, acarretando uma maior concentração de gordura abdominal (tendência natural nos homens) e o crescimento das glândulas mamárias (note que a maioria dos idosos possui ginecomastia, aumento e flacidez do peitoral).

Quem tem obesidade também apresenta um maior número de aromatase, causando-lhe diversos sintomas, desde sexuais até queda de desempenho físico e mental, depressão, ansiedade, irritabilidade, dificuldade de concentração, cansaço, isolamento social, baixa autoestima, queda de cabelo, além de osteoporose.

A partir dos 30 anos de idade o nosso corpo diminui naturalmente a produção de hormônios em nosso corpo, tendo na reposição hormonal, neste caso, a Testosterona, a solução para estes problemas congênitos, doenças, estresse e efeitos colaterais de certos medicamentos. Entretanto, o estudo sobre a eficácia da terapia hormonal encontra-se em andamento, principalmente no que se refere ao combate ao retardamento da idade. Vale frisar que a maioria da testosterona produzida em laboratório utilizada neste tratamento é feitas a partir de vegetais como soja e inhame. A reposição hormonal pode ser feita por meio de injeções, adesivos ou via oral.

Apesar de ser um tratamento relativamente novo e que muitas vezes não é coberto pelo plano de saúde, cerca de US$ 400 milhões por ano está sendo gasto em receitas nos Estados Unidos sobre estas drogas. (Fonte: Revista TIME)

Mas a grande procura pelo tratamento não está restrita só aos norte-americanos, cada vez mais homens de todo o Globo estão se informando e investindo uma boa quantia na terapia hormonal. É claro que é primordial um acompanhamento periódico por médicos através de exames, o que acaba aumentando o custo do tratamento, que varia em torno de US$ 1 mil por mês, no laboratório Cenegenics, por exemplo.

É claro que todas as fotos que vemos de “antes e depois” é um grande estímulo, porém é
necessário verificar com seu médico se a terapia com testosterona é ideal para você, bem como, estudar bem sobre este polêmico assunto, pois outros especialistas afirmam que o uso desregular da testosterona pode estimular o desenvolvimento de outras doenças, como; câncer de próstata e problemas cardíacos.

AJUDE A ELEVAR SUA TESTOSTERONA 
A quantidade de testosterona varia de homem para homem de acordo com vários fatores, sendo o genético o principal. Assim como também a sua perda ao longo do tempo. Enquanto não se comprova a eficácia da terapia hormonal nos homens, pode-se tentar maneiras naturais de elevar a produção natural de testosterona ou ao menos mantê-la no máximo. Seguem algumas dicas: 

1 – EXERCITE-SE! 
A prática de atividades que exigem muito esforço físico como a musculação. Com treinos que combinem 100% de esforço e intensidade ajudará na produção de testosterona.

2 – TOME SOL 
Não é à toa que no verão a libido sexual aumenta. Pesquisas comprovaram que durante o verão a testosterona aumenta devido ao fato dos ciclos de luz e escuridão durante o dia. Além de aumentar os níveis de produção de vitamina D.

3 – MENOS SOJA 
Consuma menos soja, pois ela aumenta os níveis de estrogênio (principal hormônio feminino), o que interfere de forma negativa sobre os níveis de testosterona.

4 – BEBA MENOS (álcool) 
O excesso de álcool no organismo possui um efeito drástico em baixar os níveis de testosterona. Evite exagerar na dose, ou se possível, não beba.

5 – COMA MAIS HORTALIÇAS 
Alguns vegetais como brócolis, couve-flor, rabanetes e couve ajudam a combater o estrogênio, ajudando a elevar os níveis de testosterona.

6 – MENOS ESTRESSE 
Procure relaxar e não ficar nervoso com facilidade. Ao se estressar você libera o cortisol, um hormônio altamente catabólico que irão derrubar seu nível de testosterona.

7 – MAIS SEXO 
Ao praticar sexo se estimula a liberação de hormônio oxitocina que por sua vez liberam mais endorfinas naturais (químicos estabilizadores do humor) na corrente sanguínea. O levará o corpo a um relaxamento intenso e propício ao sono. Todo o processo ajuda a aumentar a testosterona.

8 – BOM SONO 
Por fim, o que citamos acima, uma boa noite de sono que irá contribuir para manter seu nível de testosterona em dia.
Tente aplicar à sua rotina de vida ações saudáveis como essas citadas e você irá se manter mais disposto sem precisar da reposição de testosterona antes da hora.

Para ler mais sobre o assunto:

FONTE: Globo.com, Dr. Antônio Mesquita, Revista TIME, Homem Corpus, Revista Mensch