Rondonópolis/MT,

O que seus eletrônicos dizem sobre você?

Por muitas décadas, especialistas analisavam as letras de outras pessoas para fazer análises e também para traçar perfis psicológicos. Esses especialistas são os grafologistas, que estão vendo os mercados ficando cada vez mais restritos, uma vez que uma minoria ínfima da população américo-mundial ainda utiliza papel e caneta para enviar cartas ou anotar receitas de bolo de fubá.

Atualmente, todos utilizam teclados de computadores, teclados virtuais de smartphones ou tablets e sistemas de reconhecimento de voz — o que dificultou a vida dos profissionais mencionados anteriormente, mas facilitou a dos farmacêuticos que podem entender o que os médicos querem para seus pacientes em menos de meia hora.  “OK, Tecmundo, mas e os grafologistas vão fazer o que da vida?”

Calma, jovens. Nós também nos preocupamos com essas pessoas e, por isso, pensamos em várias possibilidades de emprego para eles. A essência do serviço é a mesma: analisar objetos e maneiras de utilização deles para chegar à conclusão de como é o perfil psicológico dessa pessoa. Certamente, você terá várias ideias muito boas para investir em sua carreira. Ou não...

Lendo a tela do smartphone
O modo como você usa o seu smartphone reflete diretamente na sua condição psicológica. Pessoas que são muito ansiosas deixam isso claro quando desbloqueiam muitas vezes as telas para verificar se há novas mensagens ou chamadas. Pessoas que são muito egocêntricas utilizam os smartphones para tirarem fotos de si mesmas, e isso também pode ser identificado pela análise de especialistas.

(Fonte da imagem: Reprodução/Silicon Angle)

Isso tudo pode ser analisado com um pouco de luz especial, que identifica os pontos da tela em que há mais gordura. Se a tela possui manchas com padrões ou sequências facilmente identificáveis, você pode ter certeza de que está diante de um usuário muito ansioso. Se a mancha é no espaço de acionamento de câmera (e pode ser verificado que isso acontece mais com o aparelho na vertical), o dono do aparelho pode ser egocêntrico.

Se os displaygrafologistas notarem a presença de manchas em duas das bordas horizontais, podem chegar rapidamente à conclusão de que estão em frente a um celular de um aficionado por games. Se forem nas bordas verticais, fica mais fácil entender que o usuário é viciado em mensagens de texto. “E se a tela estiver quebrada, Entre Coisas?”. Aí o proprietário do aparelho é um desastrado...

Condições do seu teclado
Os computadores também pode dizer muito sobre a sua personalidade. Um exemplo bem simples está nos teclados que você utiliza. Quantidade de poeira, condições das teclas, integridade das bordas e “crocância na digitação” (aqueles barulhos que acontecem por causa de pedaços de comida que ficam entre as teclas) são aspectos muito simples e que podem revelar a verdade sobre os usuários.

(Fonte da imagem: Reprodução/Pixabay)

É muito comum encontrar teclas com letras um pouco apagadas, e isso pode representar perfis de utilização muito interessantes. Por exemplo: se as teclas que estão apagadas são “W”, “A”, “S”e “ D”, há chances de o usuários ser fã de jogos FPS. Se as que faltam são “H” e “A” ou “R” e “S”, ele pode ser uma pessoa feliz que ri de tudo. E, já que estamos falando sobre teclados, você já reparou que os modelos de cores claras são cada vez mais raros?

Relatórios do Instituto de Vigilância Sanitária de Pirapora do Sul-Noroeste mostram que os teclados deixaram de ser predominantemente brancos porque os seres humanos são pouco interessados em manter a limpeza de seus acessórios. “Com o teclado preto a gente nem vê a sujeira, aí faz de conta que tá limpo”, afirma o porta-voz do Instituto, que afirma estar há cinco anos sem tirar o pó de seu PC.

O tamanho do seu monitor
Há quem diga que gosta de riqueza de detalhes, mas é preciso saber que telas muito grandes podem ser um incômodo em vários momentos. De que adianta ter um monitor de 428 polegadas se isso fará com que seus olhos sofram com o brilho e a proximidade? Mas, voltando aos monitores de escalas humanas, vamos verificar alguns rápidos detalhes sobre a relação “monitor-psique”.

  • Monitores de até 7 polegadas: você é dinâmico e se daria bem com um tablet;
  • Monitores com telas entre 8 e 13 polegadas: um ultrabook é ideal para você, já que você precisa de agilidade e portabilidade;
  • Monitores com telas entre 14 e 17 polegadas: computadores comuns são práticos e voltados ao mundo coorporativo, assim como você.
  • Monitores com telas entre 18 e 23 polegadas: “poder” e “qualidade” são as suas palavras de ordem;
  • Monitores com mais de trinta polegadas: “Amigo, isso é uma televisão!”.
“Entre Coisas, o que o meu palmtop pode dizer sobre mim?”
Que já está na hora de você trocar de aparelho!

Fonte: Tecmundo

Fonte da imagem de capa: Reprodução/Pixabay