Rondonópolis/MT,

Personal trainer que faz au-au

Sempre enérgicos e prontos para o exercício, amigos de quatro patas podem ser os melhores aliados da sua boa forma. Quem tem cachorro costuma malhar em dose dupla. Afinal, levar o cãozinho para passear também conta como exercício: num ritmo moderado, você queima 68 calorias em 20 minutos.

Pesquisa da Universidade do Missouri revelou que voluntários com sobrepeso que deram uma volta diária de 20 minutos com o pet cinco vezes por semana perderam em média 6 kg em um ano. Inclua na caminhada jogos enérgicos como frisbee e seu metabolismo vai acelerar ainda mais. "Um cão pode fazer mais por você do que uma esteira", afirma Rebecca. "Quando interagimos com ele, nossa taxa de endorfina aumenta e a de stress cai. Essa conexão emocional encoraja o exercício." Quando você pensa que um amigo peludo e cheio de energia pode ajudá-la a entrar em forma de maneira divertida, um par de chinelos carcomidos torna-se um estorvo menor.

Mais que um passeio
Não há motivo para se limitar a caminhadas no quarteirão. Cães adoram aventuras, e várias raças são ideais para caminhar, correr, pedalar e nadar. "Os mais interessados são os chamados cães de trabalho: labrador, golden retriever, border collie, huskie, beagle, galgo e os terriers. Vira-latas também podem e devem ser exercitados, pois costumam ser ativos e animados", afirma Juliana Yuri Nishihashi, adestradora da Cão Cidadão, em São Paulo. "Já raças com focinho curto, como buldogue, pug e shih-tzu, exigem cuidados, pois podem ter dificuldade para respirar no calor."

Quer disputar uma corrida? Encontrou seu treinador certo. Cachorros gostam de rotina e vão ajudá-la a seguir a sua. Uma vez que o animal se acostumar a correr de manhã, por exemplo, você não precisará mais de alarme - o focinho molhado no seu rosto fará as vezes.

Você terá um incentivo extra para cruzar a linha de chegada, como os participantes da prova que reuniu cães e donos em setembro, no município de Barueri, na Grande São Paulo. Os organizadores da Corrida Animal, que recebeu 700 inscrições de au-aus, pretendem levar o evento a outros estados em 2013. Comece já a treinar o seu atleta favorito.

Cachorro na pista
As dicas da adestradora Juliana Yuri Nishihashi para seu atleta ganhar medalha de ouro.

>Mantenha o cão numa guia. Coloque nele uma coleira peitoral para evitar enforcamento numa parada brusca. No ciclismo, dê preferência a um modelo com amortecedor preso no cano da bicicleta, não no guidão.

>Hidrate o animal sempre que ele tiver vontade, em pequenas quantidades. Excesso de água gera torção gástrica, vômito e mal-estar.

>Respeite o horário de exposição solar, o mesmo para humanos e caninos: antes das 10 e depois das 16 horas. O asfalto quente causa queimaduras e bolhas nas patas - escolha pisos frescos, sem buracos e pedregulhos.

>Cães, geralmente, adoram água e chuva, mas podem contrair resfriados, otites e problemas de pele. Se expuser o animal à chuva, seque o pelo depois.

>Leve o cachorro ao veterinário e peça uma avaliação física.

>Alimente o pet duas horas antes do exercício e uma hora após. Durante a prática, pouca quantidade de petisco pode ser oferecida como recompensa.

>O cão jovem e adulto tem mais disposição e preparo físico ao exercício. Para filhotes (menos de 1 ano) e idosos (acima de 8), prefira atividades leves, como passeios.

>Faça um treino prévio para ensinar seu pet a passear com a guia frouxa. Animais não treinados - cruzam na frente da bicicleta ou do corredor, são agressivos ou agitados, caminham puxando a guia - oferecem risco à atividade física.

>No caso da natação, certifique-se de que o cão não tem medo de água (se for o caso, não force) e sabe nadar (nem todos nascem sabendo). Ensine-o a sair da água sozinho, pela escada normal da piscina ou uma própria para cães.


Fonte: M de Mulher