Rondonópolis/MT,

Erros na maquiagem: como evitar

Quem nunca exagerou no blush? Ou, então, errou a tonalidade da base? Para corrigir essas e outras falhas, confira, a seguir, dicas para fugir dos erros e acertar no visual.

1) EXAGERAR NO BLUSH
Ao contrário do que muitas pensam, o produto deve ser coadjuvante, e não o protagonista do visual. Até porque, quando aplicado moderadamente, dá uma aparência de “saúde” e ainda emagrece a face. Para usá-lo sem errar, retire o excesso do blush do pincel, sorria – para ressaltar a parte mais “fofa” das maçãs do rosto, e aplique-o nessa região, com movimentos circulares, em direção às têmporas, ou seja, perto dos lóbulos das orelhas.

2) BASE DIFERENTE DO TOM DA PELE
Nem mais escura, nem mais clara: ela não pode variar muito do tom natural da sua tez. Caso contrário, sua expressão ficará carregada, como se tivesse manchado o rosto, ou extremamente pálida. Portanto, sempre teste a tonalidade na mão antes, para analisar a compatibilidade de tons. Além disso, é preciso aplicar a base de forma homogênea e na quantidade adquada, já que, quando a camada fica muito grossa, tende a se acumular nos vincos naturais da pele e acentuar as rugas. A maquiadora Izumi Ishida, gerente de treinamento da Contém 1g MakeUp (SP), ensina: “deposite uma pequena quantidade no dorso da mão e, com um pincel específico para base, espalhe-a de dentro do rosto para fora.” Caso falte, aplique mais um pouquinho do cosmético e complete os locais que não foram devidamente preenchidos.

3) BATOM BORRADO
Seja nos dentes ou fora do contorno dos lábios, o erro chega a ser constrangedor para quem olha. A maquiadora Izumi lembra que o lápis de boca pode ser um grande aliado nesses momentos, pois demarca a região e permite maior precisão na aplicação do batom. Entretanto, um contorno acentuado pode surtir um efeito artificial. Logo, escolha uma cor próxima à tonalidade do batom que irá aplicar e delineie levemente a área. Depois, retire o excesso do produto, pressionando um papel entre os lábios.

4) SOMBRAS DEMARCADAS OU DESCOMBINADAS
Elas têm o poder de alegrar ou destacar todo a make, mas, para isso, é preciso saber mesclar as tonalidades. “O principal erro, aqui, é deixar uma divisão entre as cores”, explica o especialista. O ideal portanto, é que não haja essa separação, e sim um efeito dégradé entre as nuances. Para consegui-lo, aplique-as nas pálpebras esfumando, sempre. Também é necessário optar por tons complementares, ou seja, que combinem entre si. Por isso, teste as tonalidades antes de começar a se maquiar.

5) CORRETIVO DEMAIS 
Ele foi feito para corrigir, mas pode ser o principal vilão da produção, já que, se aplicado de forma incorreta, cria o efeito “panda invertido” – que lhe deixa com aquelas enormes olheiras brancas. Para conseguir uma aparência natural, escolha um produto compatível com a cor da sua cútis e aplique, com os dedos e em leves batidinhas, uma pequena quantidade ao redor dos olhos. Corretivos muito espessos, nas versões em creme ou bastão, podem criar “pés-de-galinha”. Fique atenta.

6) LÁPIS DE SOBRANCELHA MUITO ESCURO
Aqui, o segredo é esfumar o produto – que sempre deve ser marrom ou cinza, nunca preto!– com um pincel com espuminha, para que a região não fique muito marcada, e o seu visual, carregado. Dica: para corrigir falhas e/ou evidenciar o desenho das sobrancelhas, prefira a sombra marrom opaca e aplique-a com um pincel chanfrado (com cerdas na diagonal). Se os pelos forem longos e arrepiados, passe máscara para cílios transparente para penteá-los.

7) EXAGERAR NO LÁPIS PRETO
Praticamente todas as mulheres passam o produto em toda a marca d’água (linha abaixo dos olhos), inclusive no finalzinho, próximo ao nariz. E aí, os olhos lacrimejam e ficam borrados e, consequentemente, sua aparência fica pesada e cansada. O ideal é passá-lo apenas na raiz externa dos cílios, próximo ao final das sobrancelhas. Outro conselho é começar a maquiagem nessa região. Assim, quando você for passar o corretivo pode cobrir possíveis borrões que estejam aparentes.