Rondonópolis/MT,

Knockout game ou a crueldade ao extremo

Na tal "brincadeira", o objetivo é agredir um desconhecido qualquer — seja ele homem, mulher, criança, idoso ou alguém com mobilidade reduzida — e apagar a pessoa com uma só porrada. Se você estava esperando um sinal de que o mundo podia acabar de uma vez, pronto: ele chegou.

TV afirma que ataques como este já foram responsáveis por sete mortes e foram detectadas em 14 Estados dos EUA
Reprodução/Fox News

As imagens, capturadas por câmeras de segurança ou pelos próprios agressores do ‘Knockout game’, mostram que, em geral, o golpe é dado na cabeça do transeunte. Depois, o grupo sai comemorando, deixando a vítima jogada no chão, inconsciente.

Recentemente, em Hoboken, no Estado norte-americano de Nova Jersey, três garotos com idades entre 13 e 14 anos foram acusados de matar um morador de rua de 46 anos.
   
Em maio, um homem de 51 anos, morador de Syracuse, no Estado de Nova York, morreu um dia depois de ter sido atacado por menores de idade. Um garoto de 16 anos e outro, de 13, foram sentenciados a 18 anos de prisão.
   
Marvell Weaver, de 17 anos, conheceu o reverso da moeda da brincadeira quando agrediu um estranho em Lansing (Michigan) e ele não apenas se manteve de pé como revidou — deus dois tiros na bunda do agressor, que foi preso e pegou um ano de prisão.
   
Assista aos vídeos abaixo e perceba o ponto em que a humanidade chegou.
Foto de capa: Uma mulher de St. Louis foi esmurrada na cara esta semana