Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

7 coisas que podem ser letais para o seu cão



Ter um cão em casa exige muito cuidado. Cabe a nós proteger o animal e fazer do nosso lar um ambiente seguro para nós e para eles. O fato é que algumas coisas que podem parecer inofensivas, são fatais para os nossos melhores amigos.

Com as dicas da veterinária Vanessa Ferraz, da Strix Clínica Veterinária, listamos algumas situações que podem ser uma verdadeira ameaça para o seu pet.

1) Inseticidas e produtos de limpeza
Não pense nem por um minuto que os animais não têm maiores problemas com inseticidas e produtos de limpeza. “Eles são lesivos aos tecidos vivos e, se ingeridos, causam intoxicação grave”, diz Vanessa. O indicado é deixar esse tipo de material fora do alcance dos pets.

Apesar do mais comum ser a ingestão dos produtos, a grande maioria das pessoas esquece que os cães são menores e estão mais próximos ao chão. Portanto, mesmo o contato com a pele deles pode ser nocivo. “Não se deve usar produtos de limpeza na presença do animal. Se for utilizá-lo, deve-se enxaguar bem e depois deixar o animal afastado por algumas horas. Os gatos costumam ser ainda mais sensíveis a esses produtos”, completa.

2) Medicamentos para humanos
Já ouviu a história de que alguns remédios utilizados por humanos podem ser prejudiciais ao pet? Ela é verdade. “Anti-inflamatórios usados por humanos são realmente tóxicos para os animais”, conta.
Vanessa ainda afirma que acontece frequentemente de pessoas automedicarem o seu pet e eles acabarem falecendo pouco tempo depois. “Os anti-inflamatórios indicados para cães e gatos são medicamentos específicos para animais e devem sempre ser recomendados por veterinários”, conta.

3) Chocolate
Você pode amar o chocolate, mas saiba que, por mais que o seu pet lamba os beiços e pareça empolgado com o doce, a comida é um veneno para eles. Presente no cacau, a molécula teobromina é extremamente tóxica para os cães e gatos — pode até matar. “É bastante comum que as pessoas ofereçam chocolate para os pets sendo que ele é bastante tóxico”, diz Vanessa.

Ou seja, sabe aquela caixa de doces que você tanto curte? Mantenha fora do alcance dos animais. 

4) Ossinhos
Os ossinhos vendidos nos pet-shops não costumam render maiores problemas para os cães. Há quem diga que os feitos de couro podem ser fatais para alguns cães, mas Vanessa diz que não é bem assim. “O que acontece algumas vezes é do cão ingeri-lo por inteiro e ele ficar alojado no esôfago, caso o brinquedo seja grande demais para o porte do cão. Isto é tratável por cirurgia e não costuma causar morte”, conta.

O que é mais comum, no entanto, são os acidentes fatais com ossos de frango ou costelinhas, que podem perfurar esôfago e/ou o intestino. “Cães afoitos podem ingerir esses ossos rapidamente e eles acabam se alojando no trato gastrointestinal”, alerta. O ideal é evitar esse tipo de ossos.

5) Passear sem coleira
Por mais treinado que o cão seja, a dica da veterinária é tratá-lo como uma criança. “Existe essa ideia de que o animal sempre sabe o que é bom para ele e que o instinto irá salvá-lo de tudo”, diz. “Mas, na verdade, eles foram criados para dependerem de humanos e devem ser cuidados com as mesmas preocupações que se tem com uma criança”.

Portanto, cães devem sempre usar coleira. “É comum que mesmo os cães mais habituados a passearem sem coleira sofram acidente. Às vezes um carro faz uma manobra brusca ou uma motocicleta vem pela calçada”, lembra Vanessa. Portanto, usar a coleira durante os passeios com o seu mascote é fundamental.

6) Objetos de risco
Filhotes de cães têm o hábito de comer tudo o que vêem pela frente. Logo, objetos cortantes ou que possam quebrar, pilhas, pedaços de pano ou qualquer coisa que possa ficar alojada em seus estômagos ou intestinos, devem ser mantidas fora do alcance dos pets.

7) Deixar o cão sem água ou sombra
Parece óbvio, mas há quem acredite que pouco tempo sem água ou sombra não implica em risco nenhum para o animal. “Muitas vezes, o pet pode sofrer hipertermia”, diz Vanessa. Isso também vale para quem deixa o animal no carro por um tempo “enquanto faz umas comprinhas”. A atitude pode matar o pet.

BÔNUS

Como agir em caso de acidentes?

Nada de medicar o cão por contra própria. “Induzir o vômito não é indicado, pois diversas substâncias podem causar queimaduras no esôfago”, alerta Vanessa.

A veterinária também lembra dos boatos que podem se espalhar e matar os cães. “Existem muitas lendas que se difundem rapidamente entre as pessoas. Curas e tratamentos para fazer em caso de acidentes — muitos destes indicando o uso de substâncias que são tóxicas — como se fossem tratamento miraculosos”, afirma. O indicado é não confiar em tratamentos indicados por pessoas que não têm formação veterinária.

Sintomas e sinais para ficar de olho

Os donos devem ficar atentos aos seguintes sinais de intoxicação:
  • Vômitos
  • Salivação
  • Prostração com frequência (o animal fica quieto e não quer levantar)
  • Convulsões
  • Dor
Foto: Thinkstock