Rondonópolis/MT,

Como cuidar do seu gatinho




A higiene natural:


O gato faz sua toalete de forma meticulosa e regular, como ele aprendeu com sua mãe. Ele utiliza sua língua, coberta por papilas, como um pente para eliminar a poeira, os pelos mortos e as sujeiras diversas. A toalete é um momento de relaxamento e pode também acalmar uma emoção forte. É também uma forma de impregnar seu corpo com os próprios odores. A toalete mútua permite estreitar o vínculo entre dois gatos ou filhotes. O gato, muito ágil, se curva habilmente para lamber todo seu corpo e as vezes deixa que outro animal o ajude. O gato começa lambendo uma pata, passando-a sobre a face e as orelhas; depois ele lambe diretamente o corpo e os membros.


Como sabemos o gato é um animal limpo. Ele tem por hábito esconder seus excrementos e a mãe ensina ao filhote como utilizar a caixa da liteira. Recomendamos utilizar uma caixa de bordas altas, coloque em um local tranquilo, longe dos recipientes que contém alimentos e água e de sua cama. A liteira devera ser limpa diariamente e a areia substituída uma ou duas vezes por semana. Deve-se limpar a caixa de preferência com água e vinagre ou limão para neutralizar os odores de urina. Produtos à base de amoníaco devem ser evitados, pois eles intensificam o odor da urina. Se você tem muitos gatos, limpe a liteira todos os dias e, caso algum deles se recuse a utilizá-la, providencie outra.  
         

SAÚDE E HIGIENE: 


A PELAGEM:


A pelagem de um gato em boas condições de saúde é lisa e brilhante. A maioria dos gatos se limpa com assiduidade. Na maioria das vezes, uma deterioração do estado da pelagem e um sinal de doença. Recomenda- se, portanto, uma escovação regular, sobretudo em gatos de pelos longos. De fato, os pelos tem a tendência de embaraçar para formar nós e tufos, que poderão ser eliminados através da tosa. A ingestão excessiva de pelos contribui para a formação de bolas de pelos no estômago, o que pode provocar vômitos. A alimentação tem uma influência muito grande sobre a beleza do pelo, completa e equilibrada, ela tornará  a pelagem de seu gato ainda mais lisa e mais brilhante. Alguns gatos não se limpam tão bem. Eles adoram rolar na lama e tomam pouco cuidado com sua pelagem. Nestes gatos, além de uma escovação regular, será necessário planejar banhos, habituando-os progressivamente ao contato com a água. Utilizar somente um produto específico para gatos.  
       

OS OLHOS:


As lágrimas que umidificam os olhos são normalmente drenadas por um pequeno canal entre os olhos e o focinho: o canal lacrimal. Nas raças de face achatada (como o Persa), a drenagem é ruim e as lágrimas tendem a escoar sobre a parte saliente do focinho, formando um escoamento marrom, que pode ser limpo com um algodão seco. Um escoamento excessivo de lágrimas, com o interior das pálpebras (conjuntiva) bem vermelho e uma dificuldade de manter os olhos abertos indicam uma afecção dos olhos (gripe, doença viral...)Consulte seu veterinário.


AS ORELHAS:


Elas devem ser limpas. Você pode limpá-las com um algodão seco. Evite introduzir cotonetes ou outros objetos dentro do conduto auditivo, que podem empurrar os fragmentos para o fundo. Parasitas podem se desenvolver no interior do conduto auditivo. Em caso de secreção excessiva, de pus, ou se o animal coça vigorosamente as orelhas, consulte seu veterinário.  
      

OS DENTES:


O tártaro tende a se acumular sobre os dentes do gato. Com o tempo, provoca a inflamação das gengivas, produz um mau-hálito e pode mesmo levar a perda dos dentes. Seu veterinário pode remover o tártaro dos dentes de seu gato sob anestesia geral. O cuidado com os dentes é essencial para preservar a boa saúde de seu gato.                 

AS GARRAS:


Quando elas se tornam muito longas, é necessário cortá-las. Consulte seu veterinário sobre como proceder. Oferecendo um arranhador a seu gato, você permite que ele mesmo cuide de suas garras e evita que ele as uti1ize sobre sua mobília. 


ALIMENTAÇÃO:


Para satisfazer as necessidades nutricionais de seu gato, você pode escolher entre a alimentação caseira e os alimentos industrializados vendidos em lojas especializadas.


Uma alimentação caseira é uma refeição que você mesmo prepara a partir de ingredientes como arroz, carne, legumes... Se você pode controlar pessoalmente a qualidade de sua composição, seus inconvenientes são o custo, o trabalho necessário, e, mais grave, os riscos de desequilíbrios nutricionais, caso seu alimento não contenha todos os nutrientes necessários, em quantidades suficientes.


Os alimentos «industriais» têm a vantagem de serem mais econômicos e de conter todos os nutrientes de que seu gato precisa. Eles são cuidadosamente preparados, utilizando os melhores ingredientes e respeitando regras sanitárias, similares as da alimentação humana. Estes alimentos são muito apreciados pelos gatos. Nós lhe recomendamos oferecer quantidades limitadas de alimento a seu gato e seguir as quantidades diárias recomendadas por cada fabricante. Após a castração (macho) ou a esterilização (fêmea), os gatos tendem a engordar. Para mantê-los em forma, é muito importante reduzir as quantidades de alimento e/ou oferecer um alimento menos rico em gorduras. Consulte seu veterinário. 


Os alimentos úmidos ou conservas: 


 Os alimentos úmidos contêm em media 80% de água. São necessárias de 300 a 400g para satisfazer as necessidades diárias de um gato adulto. Isto representa uma despesa anual alta. 


Os alimentos secos: 


 Os alimentos secos contêm menos de 14% de água, mais frequentemente de 8% a 10%. Equilibrados e completos, eles contêm todos os nutrientes (proteínas, gorduras, carboidratos, minerais e vitaminas) de que o gato necessita. Concentrados em elementos nutritivos, os alimentos secos são econômicos e práticos: 50 a 100g diárias são suficientes para alimentar um gato adulto.



REPRODUÇÃO:


PUBERDADE:


A idade do aparecimento dos primeiros comportamentos sexuais no gato depende da época do ano, do aumento da incidência de luz solar e da raça. Ela se situa, em media, em torno de 6 meses nas raças de pelos curtos (especialmente Siamês, Birmanês, Europeu) ou mais tarde nas raças de pelos longos. Alguns gatos Persas ou Birmaneses não atingem a maturidade sexual antes de 2 anos de idade. 


CIOS:


As fêmeas entram no cio entre 8 meses a 1 ano de idade, variando com a raça e o tamanho do animal. O cio dura em torno de 15 dias e é acompanhado de um sangramento (de leve a moderado) e aumento perceptível da região genital.

Algumas fêmeas não apresentam sangramento ("cio seco"). O macho não tem cio e torna-se apto à reprodução a partir de 1 ano. Ele pode começar a ter manifestações sexuais a partir de 3 meses de idade, principalmente quando sentir o cheiro de uma fêmea no cio.


ACASALAMENTO:


Em liberdade, estes períodos frequentemente ocasionam violentos combates entre os machos pretendentes. Após algumas preliminares, o acasalamento é muito rápido e termina com um rugido agudo da fêmea, que repele violentamente o macho. Uma gata pode dar origem a mais de 200 descendentes em menos de 2 anos. Se a gata não for fecundada durante o acasalamento, os cios voltarão após cerca de 20 dias.


GESTAÇÃO/PARTO:


Quando a gata é fecundada, a gestação dura cerca de 2 meses.

Antes do parto, a gata geralmente se isola. É perigoso impor um local para ela ficar, pois a sensação de insegurança pode conduzi-la a retardar o parto, a procurar transportar sua ninhada, ou mesmo a devorar seus filhotes. A duração do parto é muito variável. É comum algumas gatas interromperem seu trabalho de parto durante 48 horas (sem consequências para os filhotes). A decisão de fazer uma cesariana e extremamente delicada para a gata, diz respeito principalmente às raças de quadril achatado, como o Persa, sendo comum em ninhadas pouco numerosas e gestações prolongadas. 


ALEITAMENTO:


O aleitamento dura geralmente cinquenta dias. O desmame progressivo dos filhotes pode começar a partir da 4ª semana, quando os filhotes começam a explorar naturalmente as imediações do ninho materno. Em caso de insuficiência de leite materno, o aleitamento artificial é feito com mamadeira, utilizando um leite maternisado para filhotes, a razão de 6 refeições diárias, com cerca de 2 mililitros na primeira semana. 


CASTRAÇÃO:


Devido à precocidade e a prolificidade da espécie felina (especialmente Siameses e Europeus), aos inconvenientes ligados a atividade sexual e as dificuldades de adoção dos filhotes, muitos proprietários tomam a precaução de esterilizar seus gatos e gatas. A castração é, de fato, menos traumatizante do que a repressão dos instintos sexuais ou a eutanásia sistemática das ninhadas. Além disso, as estatísticas mostram que a expectativa de vida das gatas estéreis é duas vezes maior do que das gatas não-esterilizadas, muito mais expostas a combates violentos e a acidentes.


VACINAÇÃO:


0 tifo, a coriza, a leucose e a raiva podem ser evitados ou seus sinais clínicos muito atenuados pela vacinação. Seu veterinário irá recomendar o esquema de vacinação mais apropriado para seu gato. Em regra geral, a primeira vacinação e feita a partir da idade de 8 semanas com um reforço na 12ª semana. Todas as vacinas podem ser feitas ao mesmo tempo, mas, por razões legais, a primeira vacina contra a raiva deve ser feita após a idade de três meses. Recomenda-se um reforço anual e é prudente evitar colocar um gato em contato com animais estranhos, antes do reforço de 2 semanas, para inibir qualquer risco de contaminação antes que a vacina assegure a proteção.



Fonte: coisa e tal