Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Tenho ciúmes... E agora?


Ciúme é algo bem simples de se definir...

Ciúme é tão somente falta de confiança em si mesmo! Só isto...

E exatamente por esta falta de confiança em si mesmo, é que queremos dirigir a vida de outra pessoa, e quando ela não aceita (e não deve aceitar mesmo), sentimos ciúmes!

Pronto... É simples assim!

Confie em você, e pronto!

Relacionado a isto, vejo meninas fazerem declarações de amor no Orkut, MSN, Facebook e em outras redes sociais. 

Tais como:

Você é minha vida...
Não vivo sem você...
Você é o ar que respiro...
Sou reflexo do seu amor...

E por ai vão as frases declaratórias...

Tudo isto é lindo, romantiquinho, um biluzinho, uma coisinha meiguinha e fofinha de se ler... E a outra pessoa deve se sentir o “The Best”. Mas tudo isto é questão de tempo, pois é um mundo de fantasias, longe da realidade de relacionamento real entre duas pessoas diferente uma da outra.

Publicar estas coisas é uma questão de gosto e estagio, faz parte! Mas é comprar ilusão, e às vezes o preço é caro a pagar num futuro próximo. E em certos casos, é um mentir a si mesmo para segurar algo que poderá nem dar certo num futuro próximo.

Tudo bem que tenha a cabeça nas nuvens... Mas não se esqueça de ter os pés no chão!

Quando a ilusão das frases e versos cai por terra, descortina-se a realidade da vivencia a dois. E cá entre nós, sabemos que viver a dois não é fácil, pois somos espíritos individuais, com gostos e atitudes diferentes.

Relacionamento é para um COMPLEMENTAR o outro, não para COMPLETAR.

Deus nãos nos fez incompletos... Somos seres humanos completíssimos. Deus nos deu o livre arbítrio e fizemos de nós o que hoje somos.

COMPLEMENTAR é uma coisa, COMPLETAR é outra!

Depender de outra pessoa para ser feliz é entregar o próprio destino à outra pessoa!

Deus não lhe deu uma vida... Uma alma, um espírito, para entregar a outra pessoa... PENSE NISTO!

Uma vez, um amigo me disse a seguinte frase quando a namorada rompeu o relacionamento: Amo tudo que tenho, por isto as deixo livre, se forem e voltarem é porque sempre as tive, se forem e não voltarem é porque nunca as possuí! (Hoje são casados e tem uma filha linda).

Ser dependente de outra pessoa é DOENÇA! E como toda doença, precisa ser curada.

Beijar é bom (e como é bom...), dar e receber colo é maravilhoso, ter braços que doa e recebe outros abraços é delicioso, ter troca de energia através do sexo faz muito bem ao corpo e a alma, mas tudo isto faz bem quando fazemos com equilíbrio e discernimento. Sem dependência...

Você deve se entregar 100% no relacionamento... Viver 99%, sendo que poderíamos viver 100% é faltar sempre algo no relacionamento. Se entregar 99% a um relacionamento é QUASE viver o relacionamento.

Só devemos entender que a outra pessoa tem falhas e defeitos tanto quanto nós mesmos. Às vezes não temos o mesmo defeito que a outra pessoa, mas temos muitos outros.

E novamente repetimos, se relacione saudavelmente, mas não entregue a felicidade na mão de outra pessoa, pois a única pessoa que poderá lhe fazer feliz é você mesmo!

Tudo é uma questão de equilíbrio e discernimento.

Confie em você... Ame e se deixe amar!

Há... E quando pensar ou lhe falarem que um pouco de ciúmes é bom, não acredite, não precisamos de ciúmes para ser feliz ao lado da pessoa amada!

Ciúmes são posse e apego, e onde tem posse e apego não existe amor, pois quem ama liberta...

“A maturidade me permite olhar com menos ilusões, aceitar com menos sofrimento, entender com mais tranquilidade, querer com mais doçura." (Lya Luft).

O ciumento doentio tende a fantasiar situações, viver buscando indícios de infidelidade e tem a sua vida pessoal prejudicada pelo fato de não conseguir pensar em outra coisa que não sejam as suas fantasias e desconfianças. Ele tende a experimentar sentimentos como ansiedade, depressão, angústia, raiva, vergonha, insegurança, humilhação, culpa e desejo de vingança.

Mas o que fazer quando somos vitimas ou sofremos desse sentimento exagerado?

1) Colocar-se no lugar do outro, ou pedir ao companheiro que coloque-se em seu lugar a fim de imaginar como é a vida da pessoa que é vitima constante de acusações infundadas,

2) Reconhecer e admitir as suas qualidades e perceber que se elas não fossem encantadoras, o outro não teria motivos para estar com você;

3) Adquirir maior segurança (em si e no outro);

4) Procurar ajuda médica e psicológica quando a patologia estiver caminhando para níveis muito avançados;

5) Se você é vitima de um ciumento (ou ciumenta) patológico, evite dar as explicações pedidas e permitir que o outro comande a sua vida, porque ao agir dessa forma, você está alimentando as crenças e imaginações e contribuindo para que elas se tornem reais para o outro.

6) Procure ajuda ou denuncie o seu parceiro (ou ,parceira) caso você esteja sendo vítima de agressões físicas ou ameaças.

Fonte:Boa semana,minhavida