Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Como adestrar seu cão


Sem dúvida é muito interessante ter um cão em casa, seja de raça ou vira-latas. Aliás, dizem que os vira-latas, muitas vezes, são mais espertos do que aqueles cheios de pedigrees e outras bossas. Talvez isso se explique, fazendo-se uma comparação com os seres humanos. Sabe-se que uma pessoa que sofreu muito na vida e passou por inúmeras experiências, como viagens, contato com outros povos, diversos tipos de trabalho  etc. se torna muito mais esperta do que outra que nasceu e foi criada dentro de casa, com todo o conforto e quase nenhum sofrimento. Da mesma forma, um cão vira-latas tem (ou descende de um que teve) muitas experiências em sua vida, vagando pelas ruas, sozinho e tendo que “se virar” para sobreviver. Aliás, a expressão “vira-latas” significa o cão vadio, que tem que sair virando latas pelas ruas, para ver se encontra o que comer. Daí, ser mais esperto do que um que nunca passou por tais experiências.

Adestrar um cão requer, mais do que tudo, paciência e constância. Quando você ensina qualquer comando a seu cão, deve repetir a lição sempre que possível, pois quanto mais ele treinar, mais fácil será para ele entender, e memorizar, o que você deseja que ele faça.

Sempre tenha bolachas ou outros petiscos à mão. Eles serão muito úteis para você recompensar seu cão sempre que ele fizer o exercício corretamente.

Não use pedaços muito grandes. Quebre a bolacha em vários pedaços pequenos para evitar que seu cão perca o interesse, por já estar satisfeito.

Dicas de adestramento

Seja de raça ou vira-latas, um cão precisa ser minimamente adestrado. Este animal é considerado o melhor amigo do Homem, mas, se for mal educado, pode se tornar seu pior inimigo e fazer da vida do dono um verdadeiro inferno. Algumas dicas são:

URINA E FEZES no lugar certo:
 
Para ensinar o cão a fazer o xixi e cocô no lugar certo, temos que usar uma linguagem que ele entenda. De nada adiantará broncas longas, 'sermões' e muito menos violência, porque o cão não entenderá nada e ficará mais confuso. Esqueça aquela história de esfregar o focinho do cachorro no tapete em que ele fez xixi ou bater nele com jornal. Isso não funciona só deixa o cachorro assustado, mas ele não entende o que fez de errado.

No começo, deixe o filhote numa área restrita (uma lavanderia, por exemplo) toda forrada com jornal. O espaço não precisa ser muito grande e vai variar com o tamanho do filhote. Deixe o cãozinho a maior parte do tempo nessa área e tire-o somente para brincar. Obrigatoriamente, ele fará suas necessidades sobre o jornal e ficará condicionado. Vá aumentando aos poucos o acesso do cão às outras partes da casa, na medida em que você percebe que ele já procura o jornal e consegue encontrá-lo quando está "apertado".


Depois dessa etapa, tanto para filhotes como cães adultos, proceda assim: quando ele fizer as necessidades fora do jornal, diga "não" com voz mais séria, leve-o até o jornal e diga "aqui". Mas é importante que o "aqui" seja dito com voz amiga e você o acaricie. Ele deve associar: xixi fora do jornal = bronca, voz séria; xixi no jornal = carinho, voz amiga. Sempre que ele acertar, faça festa. Mas lembre-se que os machos urinam em vários pontos da casa para marcar território. Nesse caso, apenas a castração resolverá.


Assim que o filhote começar a frequentar as ruas, em pouco tempo se acostumará a fazer as necessidades fisiológicas fora de casa. E você, como um cidadão consciente, levará um jornal ou saquinho para recolher das ruas as fezes de seu cão, não é mesmo?

A CHAMADA

O exercício de chamar o cão (e ele atender!) deve ser iniciado quando estiver alerta e com fome. Divida a comida em algumas porções iguais para serem consumidas ao longo do dia.
Com a comida visível na mão, chame o cão pelo nome e, quando começar a avançar, diga-lhe: “Venha”. Ele estará vendo a sua mão. Quando chegar, diga-lhe com entusiasmo: “Bom”. Ajoelhe, faça uma carícia nele e dê a comida.
Quando estiver bem treinado em casa, é a vez da rua. Leve-o em uma coleira, mas não puxe o, animal. Se distrair no caminho e não responder ao chamado, peça sua atenção e mostre uma recompensa, que pode ser um brinquedo.
Saiba...
É bom variar os lugares de adestramento do cão, senão ele poderá obedecer em um lugar e em outro, não.
Se o cão responde mal aos prêmios em comida, diminua a dieta. Se continuar distraído, dê-lhe um brinquedo sonoro tipo chocalho.
Para cães teimosos é melhor treiná-los para a chamada na coleira.

SENTAR E DEITAR

Se o filhote passou bem na lição da chamada, mais exercícios o esperam. Para aprender a sentar sob comando, é necessário usar coleira. Assim ele estará dominado.
De frente para ele, afaste-se com a coleira na mão esquerda e a comida na direita. Quando mandar que se aproxime, mostre-lhe a comida. É importante estar tranqüilo para que  o filhote não se excite durante o exercício.
Ao chegar, estenda a mão direita até a parte superior da cabeça do filhote. Naturalmente ele vai sentar para poder ver a comida. Quando começar a dobrar as patas traseiras, dê-lhe a ordem: “Senta”.
 Reforce esta ordem estando diante do filhote e depois fique ao lado dele. Parabenize-o pelo resultado alcançado e dê-lhe guloseimas. Ao longo da aprendizagem, vá diminuindo as recompensas em comida e substituindo por palavras motivadoras.
Para ensiná-lo a deitar, peça para que sente primeiramente. Ajoelhe à direita do animal e segure a coleira com a mão esquerda; na direita, uma guloseima, que deverá ser mostrada com o braço estendido, em direção ao chão. Naturalmente o cão vai farejar e abaixar a cabeça. Nesse momento, diga: “Deita”.
Continue movimentando a comida para frente até ele deitar completamente. Depois o parabenize e dê-lhe a recompensa. Com o tempo, substitua-a por apenas palavras motivadoras, tais como: “Ok”, “Valeu”, “Muito bom”, etc.

Problemas

Se o cão resiste em sentar,  ajoelhe e, com a mão direita segurando a coleira, dobre as patas traseiras com a esquerda, dando a ordem: “Senta”. Depois lhe dê a recompensa.
Se o filhote não quer deitar, ajoelhe à sua direita. Pegue as patas dianteiras com as duas mãos, levante seu corpo até a posição de pedir. Então comece a baixá-lo até o chão. Dê-lhe a guloseima como prêmio.
Se ele não quiser continuar deitado, aplique uma leve pressão sobre o lombo do animal. Segundos depois, solte-o e diga: “Bom” ou “Ok”.

ANDANDO COM E SEM COLEIRA

O bem-estar e a segurança do filhote dependem do dono. Não o deixe correr livremente se o local é perigoso. Isso evitará possíveis acidentes.
Para andar com coleira, inicie o treinamento em casa. Primeiro deixe que ele a veja e cheire. Depois ajuste-a, sem apertar ou afrouxar demais.
Com o filhote a sua esquerda, segure a coleira com a mão esquerda e uma guloseima na direita. Mande-o sentar.
Comece a andar com o pé esquerdo e diga ao mesmo tempo: “Em pé”. Se ele se adiantar a sua frente, puxe-o levemente para trás.
Quando estiver caminhando a seu lado, dê-lhe a recompensa e diga: “Bom” ou “Ok”.
Depois de dominar a marcha, é o momento de aprender a andar sem coleira. Com o filhote a sua esquerda, chame-o pelo nome. Mostre a guloseima e comece a andar em linha reta. Depois peça para ele parar. Ajoelhe, mostre novamente a comida, passando a mão esquerda na parte de baixo do animal. Assim ele não se moverá.
Levante, comece a andar em reta, mantenha a comida perto do focinho e gire-a para a direita. Ele dará a volta. Faça-o girar novamente para a esquerda. Ele seguirá seus passos.

Problemas...

Se o filhote com coleira tentar saltar em direção a seu rosto ou ficar em cima do cordão da coleira, diga secamente: “Não” ou “Fora”. Afaste-o e mande-o sentar. Inicie novamente o exercício de sentar a seu lado.
Se o filhote ficar parado, anime-o com delicadeza e paciência para ganhar sua confiança, ou mostre-lhe um brinquedo para excitá-lo.
Se ele tirar a coleira, mande-o sentar. Não grite e mude o tipo de coleira. Outra solução é passar um repelente no acessório.

DÁ A PATA:

Sobre dar a pata, é bom lembrar que existem cães que tendem mais a usar as patas do que outros.
comece assim: coloque um petisco dentro da mão fechada, e aproximo do cão. Alguns começam com a boca, tentando morder ou lamber a mão, outros já começam com a pata. Mas a maioria, em algum momento, vai bater a pata na mão, tentando abri-la. No exato momento em que a pata bater na mão, elogie e abra, deixando pegar o petisco.
Faça isso algumas vezes, até ele estar batendo a pata logo de cara. Então, pare de colocar o petisco dentro, e coloque apenas a mão fechada. Recompense se bater a pata. Aos poucos, vá abrindo a mão cada vez mais, até ele colocar a pata na mão estendida.
Esse é um truque que eles costumam aprender super rápido!

Nota: Depois que o cachorro compreender o comando, você pode variar as patas pedindo “a outra”, passando a mão por baixo dessa.

DICAS GERAIS:

Mantenha um tom de voz normal e calmo quando estiver treinando seu cachorro. Não é preciso gritar. Ele tem ouvidos excelentes. No início, procure treinar seu filhote num lugar calmo e sem distrações. Na medida em que ele for respondendo aos comandos com maior precisão, aumente as distrações e treine-o na rua ou em lugares diferentes.
Sempre chame o nome do seu cachorro antes de dar um comando. O nome serve para chamar a atenção dele para você. O certo é: RAMBO SENTA! Faça as sessões de treinamento de no máximo 30 minutos por dia. Se possível faça metade pela manhã e metade à noite. Fale cada comando apenas uma vez. Se o cachorro não atender diga NÃO, repita o comando e o coloque na posição correta. Procure não alimentar o filhote pelo menos uma hora antes das aulas ou das sessões de treino. Barriga cheia dá o maior sono nele também.

Finalmente, dê amor e cuidados ao seu cão. Se ele é seu melhor amigo, seja você também o melhor amigo dele.

Fonte: Mundo Hoje, Manual de Adestramento