Rondonópolis/MT,

Tudo sobre pneus



Potência sem segurança não é nada”. Esta é uma famosa frase usada em um comercial de pneus  recentemente, e que expressa com precisão a importância dos pneus em bom estado para a segurança do automóvel.  Assim como as várias peças que compõem um carro, os pneus são essenciais não só para a circulação e movimento, mas também apresentam uma grande significância para a estabilidade, desempenho, e até para o embelezamento do veículo.

Quando trocar os pneus do seu carro
Rodar com pneu careca, além de perigoso, dá multa e pode gerar apreensão do carro. Há alguns aspectos que você deve observar nos pneus para saber a hora de trocar.

Prazo de validade: Sim, pneus têm prazo de validade. Geralmente são 5 anos a partir da data de fabricação, encontrada na lateral do pneu, onde aparece “DOT XXXX XXXX (SSAA)”, sendo SS o número da semana do ano em que foi fabricado e AA o ano

Desgaste: É difícil dizer a quilometragem exata para se trocar os pneus, pois depende muito da maneira como você dirige, se pega muitos buracos e toma certos cuidados, como andar sempre com os pneus calibrados, alinhados e balanceados. O peso do seu carro também é algo que influencia. Fique atento à profundidade dos sulcos (aqueles risquinhos do pneu), pois nunca podem estar abaixo de 1,6 milímetros. De qualquer maneira, se você começar a sentir que seu carro está instável, verifique se não está na hora de trocar os pneus.

Bolhas e danos: Convenhamos que as ruas e rodovias brasileiras não são as de melhor qualidade. Buracos, pedras e más condições podem causar danos aos pneus. Fique sempre de olho se não há rompimentos na carcaça ou bolhas nos pneus do seu carro. Em alguns casos é possível consertar, mas na grande maioria das vezes é aconselhável trocar o pneu todo.

Calibragem: A tecnologia implantada no desenvolvimento de um pneu provavelmente será comprometida se ele não for calibrado corretamente. Se a pressão não estiver adequada, a segurança é comprometida, pois a estabilidade diminui e o condutor perde a capacidade de manejo, além de o carro consumir mais combustível.
Se o carro roda com 30 libras e você deixa com 20% a menos, na estrada faz muita diferença, perdendo 3% de economia de combustível, 30% da vida útil dos pneus e a segurança fica comprometida.
A recomendação dos especialistas é que seja feita a calibragem de 15 em 15 dias, inclusive no estepe. Calibre o pneu quando estiver frio, pois é muito importante que a pressão fique certa, outras coisas que alteram a pressão são furos, pregos, válvulas que não funcionam direito, rodas amassadas entre outros fatores, que comprometem o desempenho do pneu.
O excesso de pressão também é prejudicial, pois nesse caso o pneu tem contato com o solo apenas por meio da parte central da banda de rodagem, se desgastando com muito mais rapidez e o carro fica com maiores distâncias de frenagem.

Rodízio de pneus: Fazendo o rodízio dos pneus, aumenta sua vida útil, a operação deve ser feita a cada 10 mil quilômetros e os pneus devem ser calibrados logo após mudá-los de posição. O alinhamento também é recomendado, aproveite e já verifique a cambagem (ângulo de inclinação das rodas). Essa é uma oportunidade também de verificar se existem furos ou cortes, examine a cada três meses o estado dos pneus e se houver um desgaste irregular pode indicar necessidade de alinhamento ou calibragem.
Na troca de pneus por novos, em casos de carros com tração dianteira, coloque os pneus novos a trás, pois a parte de trás do carro precisa de mais aderência já que não conta com a força matriz. Apesar de ser mais econômico trocar parcialmente os pneus, o certo é trocar todos os pneus antigos por novos ao mesmo tempo, pois ao longo da vida eles ficam com a mesma concentração de desgaste e o comportamento é similar.


Como trocar um pneu furado

É simples, é fácil, não requer prática nem habilidade, muito menos força. Mas há uma série de detalhes importantes para lembrar.

Etapa 0: Você checa o seu estepe periodicamente? Caso clássico: o fulano vai trocar o pneu furado e na hora H descobre que o estepe está murcho – ou pior, foi roubado há semanas e ele não se deu conta. Não custa nada, quando for ao posto de gasolina encher o tanque e calibrar os pneus, dar uma olhada rápida no estepe e verificar se ele ainda existe. Uma dica: recalibre o estepe a cada quatro meses.

Etapa 1: Quando furar o pneu, não precisa surtar e parar o carro imediatamente, mas também não é pra sair dando um rolé com o carro senão você vai estragar a roda. Pare o carro num local plano e de preferência em algum local longe do trânsito para não causar acidentes e para não ser atropelado por algum psicopata do trânsito.

Etapa 2: Dentro do seu carro existe um “kit troca pneu” normalmente preso em algum canto no porta-malas. Ele contém:
  • triângulo de sinalização,
  • chave de roda,
  • macaco para suspender o carro
Eles devem ser usados na ordem listada.

Etapa 3: Coloque o triângulo de sinalização no mínimo a 40 metros de distância do carro em linha reta. Se for numa rodovia, coloque numa distância maior e se possível sinalize com outras coisas como galhos e casacos.

Etapa 4: A chave de roda funciona como uma alavanca, então você não precisa usar a força para soltar os parafusos do pneu. Se estiverem muito apertados, basta apoiar o seu pé e com o peso do seu corpo o parafuso se soltará.
Lembre-se: não remova os parafusos, apenas alivie sua pressão, vá soltando um por um no sentido anti-horário.


Etapa 5: Existe um local correto para encaixar o macaco no carro. Para descobrir, abra o manual do proprietário (sim, o manual do carro é algo importantíssimo, se você não tem, providencie uma cópia nem que seja uma xerox tosca). Se um dia você precisar trocar o pneu de um carro que não tem o manual no porta-luvas, procure por um local com uma proteção próximo à roda, semelhante ao da foto abaixo.
O macaco do seu carro serve apenas para trocas rápidas, não é recomendado deixar seu carro suspenso por horas. A maioria dos macacos utiliza a chave de roda como alavanca para girar.

Encaixe o macaco aí

Etapa 6: Troca-troca. Uma vez com o carro suspenso, você pode retirar os parafusos da roda e guardá-los bem. Retire a roda com o pneu furado, coloque o estepe, encaixe os parafusos, mas não aperte ainda – faça isso apenas quando retirar o macaco.

Etapa 7: Baixe o carro e retire o macaco. Pegue a chave de roda e aperte os parafusos. Existe uma ordem mais apropriada para se fazer isso, de acordo com esse esquema do The Art of Manliness:

Para rodas de 5 parafusos

Para rodas de 4 parafusos

Não precisa apertar os parafusos com a força do incrível Hulk, um bom aperto apoiando o peso dos seus braços é suficiente.

Etapa 8: O estepe, como o próprio nome já diz, é um quebra-galho. Não é recomendado ficar rodando por dias com ele. Trate de parar num borracheiro e consertar o pneu furado o quanto antes.

Seja responsável:
Descartar pneus inservíveis em rios, praças ou terrenos baldios não é uma atitude ecologicamente correta.

Mas o que fazer com pneus sem uso?
Muita coisa. “O consumidor pode levar o pneu velho para a revenda onde fez a troca ou para um posto do Programa Nacional de Coleta e Destinação de Pneus Inservíveis”, diz Renata Murad, gerente-geral da Reciclanip, entidade criada pela Associação Nacional das Indústrias de Pneumáticos (Anip). Uma resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) determina que, a cada quatro pneus fabricados no Brasil, outros cinco sejam reaproveitados. A relação dos 314 pontos de coleta, distribuídos por 21 estados e Distrito Federal, pode ser conferida no site: http://www.reciclanip.com.br/

Os pneus recolhidos são usados para fabricação de concreto, pisos, tapetes para carros e mantas para quadras esportivas.

Fonte: Portal Auto,Papo de homem,Dirigindo Seguro,Reciclanip