Rondonópolis/MT,

Sal faz mal aos cabelos?



Recente estudo mostra que essa substância em xampus não produziu efeitos danosos na qualidade e na aparência dos cabelos.

Embora seja bastante utilizado na grande maioria das formulações dos xampus para aumentar a viscosidade e realizar a limpeza dos fios, o uso do sal (o cloreto de sódio) há muito tempo é motivo de polêmica entre os especialistas. 

Diante desta divergência, grandes empresas do setor aproveitaram para investir em produtos sem sal que prometem mais eficiência em comparação aos que contém sal, aliados ao forte apelo publicitário. 

No entanto, estudo realizado por pesquisadores de instituições renomadas, como a Universidade Federal de São Paulo (USP) e a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), por exemplo, concluiu que essa substância não causa malefícios aos cabelos.

O Cosmetólogo e Diretor da  IPUPO CONSULT, consultoria especializada no desenvolvimento de cosméticos e nutricosméticos para o mercado brasileiro, Maurício Pupo, comenta que foram realizados dois testes. 

O primeiro foi feito para ver se o uso de xampu com sal torna o cabelo mais difícil de ser penteado em comparação com cabelos tratados com xampu sem sal. 

Já o segundo teste avaliou vários outros atributos como brilho, maciez, flexibilidade, dentre outros. 

“Três tipos de cabelos foram penteados para comparar a resistência ao pentear, mas não foram observadas diferenças entre os cabelos lavados com xampu comum e os com xampu sem sal. 

Um detalhe importante é que os testes foram feitos em cabelos virgens, descoloridos e quimicamente tratados que, em geral, são cabelos mais danificados e vulneráveis”, explica Pupo.

O sal não é o vilão da beleza

No segundo teste foram selecionadas três voluntárias com cabelos longos e quimicamente alisados, seus cabelos foram repartidos ao meio e cada lado foi tratado com um tipo de xampu, sem sal ou com sal.  

Após a utilização do xampu, foi aplicado condicionador e, na sequência, os cabelos foram secos e escovados.  

Em seguida, as juradas analisaram os seguintes atributos: facilidade de desembaraçar, facilidade para pentear, facilidade de deslizamento, flexibilidade, estática, maciez, volume e brilho. 

Com as notas obtidas, foi calculada a pontuação média de todos os quesitos e, novamente, comprovou-se que não houve diferença considerável entre os xampus.
 
“De acordo com os todos os resultados obtidos nas duas pesquisas, não há nenhuma comprovação de qualquer efeito prejudicial do xampu com sal sobre os cabelos. Portanto, o sal está completamente inocentado das injustas acusações que vem recebendo nos últimos anos”, afirma o especialista.

As dúvidas acerca do uso do sal ou não em xampus surgiram a partir da associação que os consumidores têm da água salgada do mar como sendo prejudicial aos cabelos. Mas o sal não pode ser tratado como um agente isolado, pois há outros fatores interferindo como a radiação solar, a qualidade e quantidade do sal e outras substâncias também presentes na água do mar como materiais em decomposição, por exemplo.

“O sal utilizado na cosmetologia é exatamente a mesma substância usada na culinária. Quando consumido nas dosagens corretas, ele é essencial para a saúde dos seres humanos e animais. O sal, inclusive, é um produto compatível com a pele, uma vez que ela produz e secreta diariamente grande quantidade através do suor para manter o manto natural de hidratação”, informa Pupo. 

O especialista ainda lembra que, em termos de meio ambiente e sustentabilidade, o sal é muito seguro, é 100% natural, é livre de parabenos e não contamina a terra e as águas, como fazem muitos outros ingredientes cosméticos.

Fonte: Portal Bragança - Professor Maurício Pupo