Rondonópolis/MT,

Estranhos comportamentos do ser humano!

Opa... Olha nós já em dezembro... De novo!

Daqui a pouco estamos comemorando o nascimento de Jesus (ou pelo menos a idéia é esta). Depois já temos a virada do ano...

Mas e dai? Vamos repetir os mesmos erros de 2011? Ou vamos ter pelo menos criatividade, e ter novos erros em 2012?

O ser humano é estranho... “Ama” quem o faz sofrer, e diz que sente apenas amizade por quem oferece um colo.

Recusa-se a conhecer melhor quem oferece uma energia positiva, e se entrega a quem o deixa em segundo plano, preferindo a outra pessoa, um barzinho, uma pescaria e um futebolzinho em pleno sábado!

Estranho não é mesmo?

E depois diz: Acho que tenho o dedo podre! Ou ainda: Nossa... Na minha vida só aparece tranqueira!

Ninguém tem o dedo podre... E só aparece tranqueira quando se atrai tranqueira! E se atraiu... É direito adquirido!

Mude de comportamento e terá novas respostas...

Como posso atrair uma boa pessoa para compartilhar minha vida, chorar num colo quando necessário, e rir com esta mesma pessoa, se declaro para o mundo: Quero ouvir o que desejo!

Este é o problema... Aliás, um grande problema. Ouvimos o que queremos ouvir... E tem milhares de pessoas para falar o que queremos ouvir. Pela carência, compramos esta idéia que a outra pessoa esta doida para vender de “graça”. E é exatamente ai que esta o erro!

Sem demonstrar nossa carência afetiva, já tem centenas de pessoas vendendo imagens e embalagens ilusórias de boa pessoa intencionada, imagina quando expondo esta carência?

Nossa ignorância é querer ouvir o que queremos... E não o que precisamos! Querer ouvir o que se quer é uma coisa... Ouvir o que é preciso é outra. Uma coisa é querer, outra coisa é precisar!

Algumas pessoas quando nos pedem um conselho, que damos este conselho, e não é exatamente o que ela queria ouvir, algumas destas passam a nos evitar. Que é natural, pois ela julga e entende até a parte que se conhece... Por isto é perfeitamente normal este tipo de atitude.

Com o passar do tempo, geralmente aquilo que nós aconselhamos e que “abrimos os olhos” da pessoa; acontece... E só então, ela desperta para aquela realidade que nós procuramos mostrar no passado. Só ai ela entende o que estávamos aconselhando na época.

Em outras palavras... A pessoa prefere pagar o preço caro... Chegar ao fundo do poço, para entender os reflexos da vida.

É o mesmo que tomar o remédio “X”, marcar consulta no médico, e ele receitar o remédio “Y”, mas não tomar o “Y”, continuando a tomar o remédio “X”...

Agora perguntamos: Porque foi ao médico se não vai obedecer as recomendações dele?

Se pedir um conselho... Uma “luz”, ou um caminho; e não seguir, porque pedir?

Pedem socorro... Socorremos! Não segue o que pediu... E se da mal lá na frente! E assim mesmo nos ignoram, calando, como se fossemos culpado dos reflexos que ela própria atraiu para ela!

Mas nós entendemos... Como observadores do comportamento humano, entendemos perfeitamente! Sabemos o “porque” se comportam assim...

Mas é um direito ignorar! Nós não somos donos da verdade... Muito menos da direção da vida dos outros. Deus nos deu a vida para fazer o que queremos dela. Só temos que estar preparados para receber o reflexo do que fazemos com nossa vida, pois ela nos devolve exatamente o que oferecemos a ela. É Lei Divina!

“O dom da vida vem de Deus... Mas, a qualidade de vida vem de nós!”

Mas somos assim... Às vezes recusamos o que é bom, e somos atraídos pelo que é belo! Nem tudo que é belo é bom... Aliás, quase sempre!

Ainda somos muito visuais... Ainda somos atraídos pelo belo, pela embalagem, pelo rótulo... E quando tudo da errado, terceirizamos a culpa para Deus, dizendo que Deus virou as costas para nós!

Estranho não é?

E mesmo sofrendo várias vezes pela valorização do belo... Do que é bonito aos olhos da carne... Pela embalagem que enche nosso olhar de contentamento. A ficha ainda não caiu para esta realidade maior, que, o que realmente vale à pena, são as atitudes do comportamento!

O belo e o bonito se acabam com o tempo; a embalagem se gasta, as palavras geralmente são enganosas, e o que realmente fica e que nos marcará para sempre, são as atitudes e o comportamento!

Em 2012, não minta para você mesmo... Pois só você e Deus sabem que, quando coloca a cabeça no travesseiro, sua mente parece um liquidificador processando 1001 pensamentos, e as lágrimas demonstram a realidade da sua vida no presente!

Comece ainda neste ano de 2011, a construção de um melhor 2012... Acredite, é possível!

Se me permite um conselho... Um só: Renuncie aquilo que gosta, e comece fazer aquilo que precisa!

Fonte: Boa Semana