Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

10 razões para você comer chocolate


Aproveitando o clima de páscoa que é a época que abusamos dos Chocolates e muitas vezes com aquela dorzinha na consciência sem saber que quando comemos estamos fazendo bem para nós mesmos, comer chocolate é muito melhor do que você possa imaginar. Na verdade, ele tem sido usado ao longo dos anos pelos médicos para curar doenças como a tuberculose, cansaço, diarréia, má digestão, hemorróidas, virilidade baixa e falta de ar.  Apesar de figurar muitas vezes como o vilão das dietas, foi-se o tempo em que o chocolate não tinha vez em um cardápio saudável. Sua matéria-prima, o cacau, é rica em substâncias benéficas e hoje até os cardiologistas aprovam seu consumo. Veja os bons motivos que você tem para se deliciar sem culpa:

1.É afrodisíaco e combate o mau-humor:

Para isso, só o cheiro já basta. Pelo menos é o que garantem pesquisadores da Universidade Middlesex, na Inglaterra, que avaliaram a reação das pessoas em ambientes com distintos odores. “Ao sentir o aroma de chocolate, os participantes relataram menor estresse e maior satisfação. Algumas atividades cerebrais relacionadas ao estado de alerta foram reduzidas”, explica Neil Martin, professor de psicologia responsável pela investigação. Além disso, o cacau contém uma substância conhecida como feniletilamina, que, quando ingerida, manda de fato o mau humor embora. “É a mesma envolvida na química da paixão, e a sensação produzida é ótima”, diz Cláudia Degáspari, da UFPR. O chocolate tem também alto teor de magnésio, mineral que age como regulador do humor, equilibrando os níveis dos neurotransmissores serotonina e dopamina, envolvidos no bem-estar.

2.Mantém o coração forte:

Os problemas cardíacos podem atingir pessoas de qualquer idade e, cada vez mais, aparecem na faixa dos 30 anos. Mas, se consumido moderadamente, o chocolate pode retardar danos no sistema cardiovascular. Mulheres que ingerem o do tipo amargo entre uma vez por mês e duas vezes por semana são menos suscetíveis a disfunções no coração quando comparadas com aquelas que não comem a delícia. A conclusão é de um estudo com 31 mil voluntárias saudáveis realizado pela Universidade Harvard em parceria com uma instituição sueca, o Instituto de Medicina Ambiental. “As substâncias do chocolate, além de promoverem dilatação dos vasos sanguíneos, reduzem a inflamação causada pelos radicais livres, que podem financiar problemas cardíacos”, explica o cardiologista Marcus Bolívar Malachias, presidente do Departamento de Hipertensão da Sociedade Brasileira de Cardiologia.


3.Baixa a resistência à insulina: 

Existe uma tribo indígena no Panamá que consome chocolate tanto quanto nós, brasileiros, comemos arroz com feijão. “E a incidência de diabete entre os índios kuna, como são conhecidos, é bem menor do que em outras populações”, aponta Marcus Bolívar. Não é difícil entender por quê. Um trabalho italiano, da Universidade de L’Aquila, demonstra que ingerir 100 gramas de chocolate amargo, todos os dias, reduz a resistência à insulina — e, assim, menos açúcar fica circulando no sangue. “Por isso, o chocolate com alta concentração de cacau poderia ser indicado aos diabéticos. Porém, seria imprescindível verificar a quantidade de açúcar no produto escolhido”, alerta o cardiologista. Senão, mais uma vez, os benefícios se perderiam, já que esse ingrediente é um verdadeiro veneno para os portadores do distúrbio.

4.Favorece o emagrecimento:

Comer um tablete amargo pela manhã, ainda em jejum, aumenta a saciedade e propicia a perda de peso. A descoberta vem de uma turma de cientistas dinamarqueses, da Universidade Real de Copenhague. No estudo, os participantes que consumiram chocolate amargo antes do café da manhã com o passar das horas sentiram menos fome que o restante da turma, que saboreou um tablete ao leite. “A diferença na ingestão de calorias ao longo do dia chegou a 15%”, diz a nutricionista Lone Brinkmann, que conduziu o trabalho. Por enquanto, não se sabe o mecanismo exato que promoveria tal sensação. “Talvez o sabor forte da versão amarga regule a fome ou, ainda, a maior quantidade de cacau atue impedindo o rápido esvaziamento do estômago” especula. Por outro lado, vale reforçar, como se trata de um alimento calórico, não se pode abusar da quantidade.

5.Previne o derrame:

Uma revisão de estudos feita na Universidade McMaster, no Canadá, é incisiva: comer chocolate pelo menos uma vez por semana reduz o risco de derrame e acelera a recuperação de pacientes que tiveram isquemia cerebral. Uma das pesquisas avaliou 44 mil pessoas, e as que consumiram uma porção de chocolate por semana apresentaram uma probabilidade 22% menor de sofrer um AVC. Em outro trabalho, apontou-se que comer 50 gramas por semana diminui em 46% o risco de morrer em caso de acidente vascular. “Tudo indica que, mais uma vez, o benefício se deve aos flavonóides, que são antioxidantes e conseguem dilatar os vasos sanguíneos”, diz a médica Sarah Sahib, que coordenou o trabalho. Segundo ela, é preciso fazer mais pesquisas antes de recomendar o alimento como salvador da massa cinzenta. Mas, enquanto isso, vale saborear uma barrinha amarga.

6.Aumenta o colesterol HDL e reduz o colesterol LDL:

Cientistas descobriram que dietas ricas em pó de cacau e de chocolate escuro (com alto teor de flavonóides) estão relacionadas com menores níveis de LDL (mau colesterol) quando comparada com as dietas baixas em flavonóides como o chá, o vinho, café e cebola.

7.Ação anti-inflamatória e rejuvenescedora da pele:

 Estudos comprovaram a existência dos bioflavonóides, uma substância antioxidante os bioflavonóides retiram as inflamações das paredes internas das artérias. 
  
8.Melhora o fluxo sanguíneo para o cérebro:

Um professor da Universidade de Nottingham descobriu que beber cacau rico em flavonol melhora o fluxo sanguíneo em áreas chave do cérebro para 02:58 horas. Flavonols na bebida de cacau é um ingrediente-chave do chocolate amargo. O estudo do professor Macdonald também sugeriu que flavonóis de cacau no chocolate pode melhorar a função cerebral para ajudar a combater a privação do sono, fadiga e os efeitos do envelhecimento.

9.Reduz a pressão arterial elevada e diminui a ameaça de pré-eclampsia:

Os  flavonóides do cacau (procianidina) ajudam a equilibrar a pressão sanguínea e reduzir a coagulação sanguínea. Pesquisadores alemães em um hospital em Colônia constataram que o consumo de cacau reduziu a pressão arterial por uma média de 4.7/2.8 mm Hg. Durante a gravidez, 5% das mulheres sofrem com uma espécie de hiperativação do sistema inflamatório, doença conhecida como pré-eclampsia, que também causa elevação da pressão arterial. “Provavelmente isso ocorre por uma intolerância do corpo materno ao feto”, pondera o obstetra Nelson Sass, da Universidade Federal de São Paulo. Já se sabe que algumas substâncias podem reduzir os riscos desses episódios. Um trabalho da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos, mostra um consumo menor de chocolate entre as gestantes que desenvolveram a doença. “É possível que o chocolate amargo interfira no processo inflamatório”, sugere Nelson Sass. “Porém, estudos mais abrangentes são necessários antes de um consenso.” Enquanto isso, só não vale abusar para não ganhar quilos demais ao longo dos nove meses. 

10.É muuuuuuuuuuuuuuiiiiiiiiito gostoso!

Fonte:  Mandhala