Rondonópolis/MT,

Atualizações

Traições financeiras


A traição pode acontecer de diversas formas, além da ‘tradicional’, tem a virtual, em pensamento... mas e traição financeira, você já ouviu falar? Pois saiba que ela é bem comum do que você imagina. Se você tem idade suficiente para contar até dez, então quase certamente já passou por uma traição financeira pelo menos uma ou duas vezes.

Talvez um amigo tenha pedido dinheiro emprestado e não pagou. Em vez disso, ele diz que foi um presente – e incansavelmente tenta convencê-lo.

Ou talvez seu cunhado tenha vendido seguros para você – e você não estava precisando. Você mais tarde descobriu que ele havia embolsado uma gorda comissão e sabia que você não precisava de seguro.

Praticamente uma a cada três pessoas (31%) admitem mentir para seus parceiros sobre dinheiro, segundo pesquisa encomendada pela revista Forbes, realizada com 2019 americanos.

O mesmo número de pesquisados diz já ter sido traído financeiramente.

Entre as traições mais comuns estão esconder dinheiro (58%), pequenas compras (54%) e contas (30%). 16% dos entrevistados admitiram esconder grandes compras e 15% contaram ter contas secretas. Mentir sobre suas dívidas e rendimentos é comum para 11% dos entrevistados.

Essas mentiras trazem sérias consequências ao relacionamento como, por exemplo, o fim da confiança entre o casal. Dos casais afetados pela infidelidade financeira, 67% afirmam que as mentiras levaram a discussões e 16% dizem que a decepção levou ao divórcio. Numero bastante significativo!

A pesquisa mostrou ainda que, pelo menos neste caso, homens e mulheres são igualmente infiéis. E você, acha que pode estar sendo traído? Veja dez indícios de traições financeiras, confira:

- Mudar de assunto quando o tópico é dinheiro
- Ficar na defensiva ao ouvir uma pergunta sobre dinheiro
- Insistência em lidar com as finanças do casal sozinho
- Mentir para os outros sobre dinheiro
- Pais com relacionamento pouco saudável em relação a dinheiro
- Gastos inconsistentes com os rendimentos
- Instinto de que há algo errado
- Mudança repentina de comportamento
- Histórico de sites visitados constantemente apagados do computador
- Já ter pego seu parceiro em uma traição anterior

Reagindo a Uma Traição Financeira

Além da perda financeira, a decepção financeira é catastrófica.

Estes sentimentos pesam tanto que podem te debilitar.

Você simplesmente congela. Você se torna uma pessoa sem vontade de tomar outras decisões financeiras ou confiar nas pessoas.

Posso entender por que você reage desta forma, mas isso não é maneira de se viver. É horrível e vai lhe 
custar muito tempo em termos de oportunidades perdidas no futuro.

Então qual é a solução?

Minha experiência diz que há cinco etapas que você deve cumprir para se livrar da traição financeira.

1. Controle de Danos

Se a traição financeira está acontecendo agora você tem que estancar o sangramento. Se alguém tirou vantagem financeira de você, não permita que esta pessoa continue agindo assim. Pode parecer óbvio, mas há gente que diz que se dermos uma chance ao criminoso ou talvez um pouco de dinheiro, ele se recuperará.

2. Tudo em Seu Devido Lugar

Conforme mencionado acima, a dor emocional de uma traição financeira pode ser mais devastadora do que a perda financeira. Em parte, desatar o nó emocional envolve entender a verdadeira natureza das perdas ocorridas.

Alguém lhe vendeu um seguro errado. Tudo bem, você pode cancelar.

Seu parceiro ou parceira estourou seu orçamento? Tudo bem, isso pode ser concertado.

Sei que pode soar ruim, mas mesmo que você perca seu pequeno negócio, você pode abrir outro.

Se um amigo deixar você com problemas de crédito, você pode concertar.

Você pode até mesmo sobreviver a uma falência.

Se não está doente, está tudo bem.

Pouquíssimos erros financeiros são fatais para seu futuro. Tenha sempre isso em mente.

Não deixe que estes problemas tomem proporções desmedidas. Isso vai lhe ajudar a estar presente e tomar decisões maduras.

É claro que o problema também não deve ser minimizado. No entanto, na maior parte das vezes, o problema é a pessoa na sua vida que lhe traiu. Não o custo financeiro da traição.

3. Estabeleça Limites

Certamente você não vai querer repetir o que você já viveu. Você não quer dar ao traidor mais uma oportunidade de colocá-lo novamente nesta posição.

Você não precisa apagar essa pessoa da sua vida. Mas você tem que estabelecer limites de maneira que essa pessoa não abuse mais uma vez da sua boa vontade.

Se alguém já demonstrou que não tem caráter, não faça mais nenhum negócio financeiro com essa pessoa. E ponto final.

É mais fácil se essa pessoa não é seu ou sua parceira. Mas se for seu marido ou sua mulher a situação se complica um pouco.

Se for esse o caso, explique como essa falha impactou sua vida financeira e emocional. Talvez seja até preciso procurar um terapeuta de casais, pois esta é uma questão importante na relação. Digo isto por que não há como ter uma relação feliz se você sente ressentimento por essa pessoa e se perde a confiança.

Jogue fora seus cartões de crédito. Administre o orçamento e pague as contas você mesmo de hoje em diante.

Faça tudo que precisa fazer. Proteja-se. Você estará fazendo um grande favor para si mesmo e para seu ou sua parceira sendo honesto com relação aos seus sentimentos.

4. Faça Uma Checagem

Se foi ferido por alguém próximo, você deve falar com a pessoa que o magoou sobre o assunto. Diga a essa pessoa o que aconteceu e o que você planeja fazer. Dessa forma você estará frente a frente com a pessoa e terá uma resposta objetiva que o impedirá de ter uma reação emocional desmedida.

5. Entenda Quem é de Fato o Perdedor

Quando somos passados para trás, sempre nos culpamos e acreditamos que somos perdedores. Isso não está certo e não ajuda.

É preciso mudar? Sim.

É preciso tomar mais cuidado com as pessoas ao seu redor? Talvez.

Mas o verdadeiro perdedor é a pessoa que tirou vantagem de você. Tudo o que você fez foi confiar em alguém. Elas são as pessoas com comportamento inescrupuloso. As medidas que você precisa tomar para se precaver são poucas se comparada a ela. A outra pessoa tem que fazer muito mais que isso. Elas têm que viver com as pessoas que elas são. Graças a Deus, não é o seu caso.

Fonte: Vila Dois, Educação Financeira e Finanças Pessoais

Nenhum comentário :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...