Rondonópolis/MT,

As dietas mais perigosas


Dieta da bolacha, dieta da sopa, dieta da língua. Independentemente do nome, existem algumas dietas que todo mundo conhece e reconhece. Amadas ou odiadas, a maioria das pessoas tem uma dieta de sucesso comprovada que não faz mal à saúde. Uma dieta real é aquela que você pode seguir e está de acordo com seu estilo de vida. E há as outras dietas, as chamadas dietas relâmpago ou soluções rápidas, que são a última coisa que seu corpo precisa. Aqui estão as 11 piores dietas já criadas e suas extravagantes propostas que "ajudam" a perder peso.


A dieta da solitária
Nós juramos que isso é verdade e muito perturbador. No início do século XX, as lombrigas solitárias foram promovidas como uma solução de dieta para as pessoas que lutavam contra o peso. A dieta é auto-explicativa: você come uma lombriga (ou ingere uma pílula que ajuda a desenvolvê-la dentro no seu organismo) e ela ajuda a reduzir o apetite, o que promove a perda de peso. Quando você chega ao peso desejado, toma um remédio para matar o verme. Isso não é uma dieta, é uma doença. Hoje, esta prática é proibida por ser uma maneira perigosa de perder peso.

A dieta da sopa
Esta proposta tem muitas variantes, a sopa de repolho ou frango são as mais populares. A premissa geral é: tome o café da manhã e depois passe o resto do dia tomando sopa. Não é simples? Claro. É saudável? Não. Qualquer dieta boa requer alimentos que forneçam os nutrientes que seu corpo precisa para ter um ótimo desempenho. Essa dieta é apenas uma restrição calórica. Você pode perder peso, mas também irá prejudicar o seu corpo durante o processo e a probabilidade de recuperar o peso de volta é alta.

Dieta do suco de pomelo
Você pode se surpreender ao saber que essa dieta é da década de 30. E por uma boa razão: a dieta recomenda que você coma suas comidas favoritas, sem limitar a quantidade de manteiga, alimentos gordurosos ou frituras. Quem não gostaria de perder peso com esse regime? Nesta dieta, você deve comer os alimentos que gosta, enfatizando o consumo de proteína e gordura, limitando os carboidratos, além de ter que consumir 2 litros de suco de pomelo por dia. Supõe-se que o suco combinado com proteína acelera a capacidade de queimar gordura. Infelizmente, não há pesquisas que comprovem a afirmação ousada dessa proposta milagrosa.

Dieta da comida para bebês
Existem dietas famosas e dietas "famosas". A dieta da comida para bebê foi criada pela treinadora Tracey Anderson, que já treinou estrelas como Gwyneth Paltrow, Kate Hudson e Jake Gyllenhaal. Essa dieta enfatiza o consumo de 14 potes de comida para bebê por dia e depois um jantar "real", se desejado. Considerando que a comida para bebê é muito baixa em calorias, é fácil ver porque alguém perde peso com essa opção. Mas a dieta também tem sido criticada pela falta de nutrientes para adultos e pelo aumento da compulsão alimentar.

Dieta HCG
Você provavelmente sabe que os hormônios podem afetar sua capacidade de ganhar e perder peso, mas essa dieta leva a terapia hormonal a outro nível. Na dieta de HCG, você injeta, ingere ou passa um creme no corpo para absorver o hormônio HCG, que deriva da placenta humana. A ideia é que o hormônio ataque e queime as células de gordura nas áreas que incomodam. O problema? Não existe nenhuma evidência concreta de sua eficácia. A dieta tem mostrado diminuições de peso, mas, provavelmente, porque requer a ingestão de apenas 800 calorias por dia. Além disso, tem sido associada a vários problemas de saúde, incluindo a síndrome de hiperestimulação ovária, um distúrbio que pode levar à morte.

A dieta da bolacha
Vamos ser honestos. Qualquer dieta deve permitir que você coma algo que goste. Mas uma dieta que gira em torno de doces? Isso é outra história. A dieta da bolacha é baseada em um princípio básico e aparentemente apetitoso: comer seis bolachas por dia e terminar com um jantar. A armadilha? As bolachas não são exatamente aquelas que sua mãe faz. Elas contêm proteína de carne. Isso mesmo, proteína de carne! Essa dieta funciona para alguns, mas apenas porque essas pessoas consomem entre 800 e 1000 calorias por dia. Mas este não é um plano sustentável. O sabor das bolachas não é bom e, provavelmente, vai dar vontade de comer comida de verdade em segundos.

Dieta Prolinn
Muitas pessoas lembram dos anos 70 como uma época experimental, e essa reputação se estende ao campo da nutrição. Esta dieta foi criada por Roger Linn, um médico que dizia ter a solução para a perda de peso. Ela consistia em não comer nada, o que já seria problemático por si só e não tinha nada a ver com uma dieta de verdade. Mas o médico acrescentou algo especial: a ingestão de 400 calorias de uma bebida que ele chamou de "Prolinn". A poção mágica era feita com subprodutos de matadouros, como chifres, ossos e tendões. A dieta teve relação com ataques cardíacos e vários problemas de saúde.

Dieta do "coma o que quiser"
Você já leu um livro e se perguntou sobre a veracidade do conteúdo? Isso é o que aconteceu com muitas pessoas depois de ler "Calorias não contam", do médico Herman Taller. À primeira vista, essa dieta parece ser muito semelhante à paleodieta que permite comer alimentos cheios de gordura e proteína, evitando todos os carboidratos. Mas havia um pequeno detalhe: durante as refeições, era preciso ingerir uma pílula de óleo vegetal que supostamente promovia a perda de gordura. A pílula não cumpria com o prometido e o médico foi condenado por fraude via e-mail e conspiração relacionados ao seu produto.

Dieta kimkins
Quando uma revista chama uma dieta de "melhor que a cirurgia bariátrica", as pessoas tendem a prestar muita atenção. Isso é exatamente o que aconteceu quando a "Women's World" divulgou essa declaração sobre a dieta kimkins, outra proposta de baixa caloria que supostamente leva a uma perda de peso segura. Essa dieta não difere de muitas outras desta lista: consiste em comer apenas 800 calorias por dia e tomar laxantes. Houve testemunhos de sua eficácia, que provaram ser falsos. A dieta da criadora Heidi Diaz fez milhões de dólares até descobrirem que era uma fraude, quando os problemas de saúde dos seguidores apareceram.

Dieta da língua
Qualquer dieta que torna o ato de comer desconfortável não é a abordagem certa para você. E quanto a dor física? Isso leva a situação a outro nível. A dieta da língua propõe implantar, através de cirurgia, um dispositivo que torna o ato de comer em algo desconfortável. Ainda que pareça um pouco arcaico, é um novo procedimento desenvolvido por cirurgiões plásticos. Comer se torna insuportável, o que limita a maioria das pessoas a consumirem uma dieta líquida baixa em calorias. Você perde peso, mas derrota o verdadeiro propósito dos alimentos, que é nutrir o corpo. O alimento deve ser apreciado e você só precisa aprender a controlar as calorias, e não se machucar por isso.

A dieta da sobremesa no café da manhã
Este é um exemplo típico de um plano de dieta que distorce a ciência. Quando os pesquisadores descobriram que pessoas que comem sobremesas perdem mais peso que aquelas que não consomem, uma porta perigosa se abriu para a ocasião: as sobremesas no café da manhã! Se comer sobremesa faz bem e o café da manhã é considerado "a refeição mais importante do dia", por que não comer donuts, biscoitos e bolos ao se levantar? Eis o porquê: todos esses doces significam o mesmo, seja comendo eles de manhã ou à noite, especialmente se você consome em grandes quantidades. Sobremesas não são ruins, mas você deve tentar restringir ou ajustar sua dieta para poder agregá-las.

O veredicto?
E você, concorda com a nossa lista de dietas perigosas? Lembre-se que uma boa dieta deve cuidar do corpo e não prejudicar ou debilitar a saúde. Fique de olhos bem abertos e não acredite em fórmulas mágicas que prometem emagrecer sem um mínimo de esforço.

Fonte: http: Livestrong,eHow Brasil