Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Game over no vício


Está exagerando no tempo em frente ao videogame? O Entre Coisas vai ajudar a encontrar equilíbrio para jogar sem afundar na dependência. De quebra você ganha mais vida social e turbina o cérebro. Seis tiros certeiros no adversário! Helicóptero inimigo derrubado! Ops, você está ferido! Parece uma cena de guerra, mas você para, olha ao redor e vê o sofá, o cachorro dormindo tranquilo, a sala de estar.

E você nunca se perguntou por que é tão atrativo sair da vida sossegada para viver no cenário insano da tela? Cientistas da Universidade de Stanford (EUA) concluíram que nossos polegares ficam a mil porque os videogames estimulam um desejo primitivo de lutar e pegar em armas. Sim, é uma pequena catarse para o guerreiro que ainda existe dentro de você.

O único problema é que os mesmos estudos mostraram que os jogos são arquitetados para causarem vício. “Ao cumprir uma tarefa, você é gratificado por isso, seja com pontos seja passando de fase. A sensação de prazer e o excitamento físico que isso causa fazem com que você queira repetir a experiência sempre – isso acontece na dependência química também”, explica o psiquiatra Daniel Spritzer, coordenador do Grupo de Estudos sobre Adições Tecnológicas do Rio Grande do Sul.

E, como qualquer viciado, o jogador vai ter problemas. “É motivo de preocupação quando o videogame interfere no trabalho e nos relacionamentos. Sozinho e com mau desempenho na carreira ou nos estudos, ele pode até ficar depressivo e se refugiar ainda mais no mundo paralelo. É um ciclo vicioso”, explica o especialista. Ansiedade quando não se pode jogar também deve servir de alerta.

Mas o cara que sabe controlar seu tempo de joypad é recompensado com um pacote de benefícios. “Está comprovado cientificamente que alguns games beneficiam coordenação motora e estimulam o raciocínio rápido e lógico”, afirma Spritzer. Para ajudar nessa missão, a MH preparou uma estratégia para que você seja campeão no título mais difícil: O Equilíbrio Game X Vida.


nível 1
Personagem: Gamer viciado
Todo mundo já passou por isso: uma partidinha de GTA que se transformou em um épico que varou a noite. As consequências do exagero podem incluir dores de cabeça, estresse, isolamento social e depressão. Sem contar que você não vai acordar bem para trabalhar e pode começar a achar normal trocar a balada com a garota por uma partida.
Passe de fase
Segundo Graham, muitos gamers são viciados em jogos online onde vivem personagens. O problema desses desafios com inúmeros participantes é que não existe um fim predefinido e, assim, é mais complicado limitar o tempo que se passa jogando. Uma medida para retomar sua vida social é optar por títulos com objetivos estabelecidos. “O Fable III é uma franquia que oferece o mesmo estilo RPG, mas possibilita uma partida curta ao invés de horas de imersão. Procure também por jogos vendidos por episódios”, diz Lucas Patricio, que tem um blog sobre games no site da revista Info.
Ganhe vida extra
Abrir mais tempo para seu círculo social aumenta sua expectativa de vida. Uma pesquisa feita na Universidade Johns Hopkins (EUA) descobriu que o risco de câncer e outras doenças sérias é bastante reduzido quando você vai regularmente a um barzinho com os amigos.
Receba o bônus
Confunda seu cérebro com balas de alcaçuz enquanto joga. De acordo com uma pesquisa coreana, a erva bloqueia a produção de dopamina, diminuindo a associação entre o game e o prazer.

nível 2
Personagem: Gamer fissurado
Assim como “só mais uma rodada” pode transformar uma happy hour em uma ressaca daquelas, jogar “só mais uma fase” leva a porres de game. Spritzer explica que, como o game é baseado em um mecanismo de recompensa a cada desafio cumprido, fica difícil largar o controle quando ainda há fases para bater.
Passe de fase
O periódico Journal of Contemporary Psychotherapy (Inglaterra) recomenda fazer dos games um evento social. Se você passa horas colado à tela, trazer mais amigos para a aventura incentiva a interação humana e alivia os sintomas do isolamento.
Ganhe vida extra
Cientistas norte-americanos descobriram que games que simulam eventos perigosos são eficazes no treinamento do cérebro para lidar com fatores estressantes da vida real. Escolha títulos que exijam decisões rápidas e mantenham o ritmo acelerado. Patricio indica o título Assassin’s Creed Revelation, que reúne as duas características.
Receba o bônus
Segundo a Associação Americana de Optometria, piscar os olhos frequentemente enquanto você joga ajuda a umedecê-los e evita a sensação de visão borrada que acontece sempre após longos períodos olhando para a tela.

nível 3
Personagem: Gamer moderado
Não há nada errado com meia hora de controle na mão após o trabalho. Mas ficar até tarde nessa pode afetar a qualidade do seu sono, é o que diz uma pesquisa publicada no periódico Science Translational Medicine (EUA).
Passe de fase
Já existe a expressão “efeito halo” para se referir a quem joga e sofre com clarões azuis quando vai dormir. Desligue tudo uma hora antes de ir para a cama. Pesquisadores da Nottingham Trent University (Reino Unido) alertam também para a distância da tela, que deve ser de, no mínimo, 60 centímetros.
Ganhe vida extra
Games podem melhorar seu desempenho no trabalho. A Universidade de Wisconsin-Madison (EUA) descobriu que alguns títulos oferecem desafios semelhantes a um problema científico. Você testa suas hipóteses e experimenta táticas diferentes, isso aumenta sua habilidade de raciocínio. Star Craft II, que retrata a criação e estratégia de exércitos, é a indicação de Patricio para quem busca esse tipo de jogo.
Receba o bônus
Teste games de gerenciamento. Valem até os mais leves como City Ville e The Sim Social. Para a Universidade de Essex (Inglaterra), eles ensinam o cérebro a resolver problemas.

nível 4
Personagem: Gamer social
Para você, o jogo vale pela pizza e pela cerveja, assim como o futebol. Títulos com vários jogadores, como os esportivos, são ótimas alternativas para reunir a galera na noite em que vocês querem ficar em casa.
Passe de fase
Jogar é apenas uma parte da sua lista de interesses, mas você pode ter vantagens se escolher o desafio certo. Segundo psicólogos da Universidade de Minnesota (EUA), games violentos são mais eficazes para melhorar as habilidades motoras do que games não violentos. “Experimente o Call of Duty: Modern Warfare 3”, sugere Patricio.
Ganhe vida extra
O estudo de Minnesota descobriu uma correlação entre o jogo e as habilidades perceptivas, como a coordenação entre mãos e olhos. Para simplificar, games na medida certa dão a você mais rapidez para jogar basquete com os caras do trabalho.
Receba o bônus
Tome conta da sua saúde. Spritzer afirma que um dos problemas mais comuns entre quem joga constantemente é o aumento de peso. “Ninguém quer sair da frente da tela e, por isso, alguns acabam exagerando nos petiscos”, diz. Faça intervalos para comer direito entre as partidas.

Entre para a turma

Raptr
Este aplicativo de rede social dá a você informações sobre o que está sendo jogado e conquistado por seus amigos. Está longe de ser um terapeuta, mas é uma forma fácil de monitorar quanto tempo você passa jogando.

gamesforhealth.org
Os melhores pesquisadores, profissionais da área médica e desenvolvedores de games partilham informações sobre o impacto dos games em seu bem-estar. Uma URL essencial se você se preocupa com sua saúde e videogames (e fala inglês).

Info.abril.com.br
O site da revista traz um blog especializado sobre o assunto – escrito por Lucas Patricio, que colaborou com esta reportagem. Uma boa fonte para quem quer acompanhar os lançamentos do mercado aqui no país.

Saia do sofá!
Uma nova geração de games está pronta para fazer você suar na frente da TV. Esqueça o controle e fique de pé! Ainda não dá para dizer que eles substituem outras atividades físicas, mas os jogos que simulam esportes dão um up na queima calórica. Um estudo feito pela Universidade John Moores de Liverpool (Inglaterra) mostra que quem joga videogames com execuções de movimentos – e não apenas com os dedos apertando botões – queima no mínimo 150 calorias por hora. Mas este número pode aumentar bastante dependendo do título escolhido e do empenho do jogador. Algumas partidas de boxe no Wii eliminam até 500 calorias por hora, e no tênis o valor chega a 360. Porém, tome cuidado com as lesões. “Jogos são ações repetitivas. Isso aliado à força que se imprime ao movimento e à ausência de resistência (você bate em um adversário que não existe, por exemplo) pode gerar lesões nas articulações e tendões”, explica Jomar Souza, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte. A melhor maneira de evitar que isso ocorra é limitar o tempo de jogo por dia e não ultrapassar uma hora de atividade sem uma pausa de pelo menos cinco minutos.

Jogos para queimar calorias
Conheça os títulos que são feitos especialmente para quem quer se divertir e dar um trato no shape

Wii Fit Plus A primeira franquia do gênero funciona com o Balance Board, um tapete que captura os movimentos dos jogadores. Conta com uma boa variedade de exercícios: você pode cabecear no futebol, bater metas de flexões de braço ou relaxar numa aula de ioga.

Just Dance 3 A parceira vai gostar de fazer companhia neste jogo em que duas ou mais pessoas disputam pontos seguindo coreografias apresentadas na tela. A seleção de música conta com hits do momento.

UFC Trainner O jogo simula a preparação de um lutador de MMA. Existem programas de treinamento com 30 ou 60 dias de duração, e você passa de fase conforme a sua evolução. E sem pancadas!

Your Shape Fitness Evolved 2012
Um personal trainer na tela. São mais de 200 atividades físicas diferentes e a possibilidade de montar um treino personalizado para atingir metas. Dá até para experimentar os exercícios de recrutas do exército americano. Vai encarar?

Fonte: Clube Alfa