Rondonópolis/MT,

Filmes de horror e suspense baseados ou inspirados em fatos reais


Táticas de marketing no cinema são essenciais para que produtores vendam seu peixe e garantam o interesse do público. Ao longo dos anos, estas táticas evoluíram e novos métodos agressivos foram sendo introduzidos, dentre eles os filmes “baseados em fatos reais”. Apesar de alguns realmente fazerem jus à tagline, outros apenas tomam uma leve inspiração ou mesmo recriam completamente alguma história ou lenda a partir de relatos prévios. Os “reais” de “baseado em fatos reais” normalmente é bastante questionável já que os próprios fatos não ficcionais podem sofrer adultérios ou mesmo possam ser boatos completamente falsos, tornando novelizações baseadas neles pura ficção antes mesmo de serem feitas.

O poder de garantir que tal longa é baseado em fatos reais sobre nós, os espectadores, promove um interesse maior, já que garante que aquilo é apenas uma recriação de fatos que poderiam acontecer comigo, com você ou quem quer que assista a tal filme. No cinema de horror, este “poder” é ainda maior já que se trata de casos normalmente mexendo com o sobrenatural ou as facetas mais sombrias da natureza humana, suscitando um misto de curiosidade e espanto por fatos que aconteceram no “nosso mundo” e não são apenas obras da cabeça de algum diretor maluco ou escritor perturbado.

Projeto Filadélfia
O filme: em 1943 a marinha americana colocou em prática um projeto secreto para tornar um destróier invisível (USS Eldridge) ao radar. Alguma coisa da  errada e o destróier, não só fica invisível ao radar, como também fica invisível a olho nu. O experimento foge totalmente ao controle dos seus idealizadores e o Eldridge acaba se desmaterializando. Os protagonistas, além de terem que lidar com os efeitos nocivos das forças eletromagnéticas, as quais foram submetidos, tem que escapar do governo e daqueles que não acreditam na sua fantástica versão da historia.
Fatos em foi baseado: o filme é bem fiel a historia “real”. Segundo consta, O USS Eldridge passou por duas experiências, sendo a segunda a mais desastrosa. Alega-se que  quando o Eldridge se materializou novamente, alguns marinheiros se fundiram ao anteparo do navio ou a sua fuselagem, outros somente sofreram os efeitos, horas ou dias depois. A história se envereda por caminhos ainda mais estranhos, incluindo OVNIs, viagens no tempo e outras cositas más. A história foi divulgada através de duas figuras centrais: O nebuloso Carlos Allende e o físico Morris Jessup.

Segredo dos Céus
O filme: Cinco amigos avistam uma estranha formação de luzes que se move rapidamente pelo céu. Distraído, o motorista acaba  batendo em outro  veículo e encontrando o protagonista  da trama, Richard (Jason Connery – filho do Sean). Dai em diante começa o calvário do sexteto.
Fatos em que foi baseado: apesar dos fatos reais vendidos no filme se referirem à história dos seis jovens, não consegui encontrar nada sobre os mesmos. A única referência a fatos verificáveis são as notórias luzes de Phoenix. É um filme de baixo orçamento, no entanto, o diretor soube manter o clima “baseado em fatos reais” e o filme termina com as formosas legendas explicativas.

Lembranças de um Verão
O filme: após a morte de um amigo, o fotografo Robert Garfield começa a se lembrar de um verão, quando tinha 11 anos. É uma lembrança especial para Robert, pois é nessa época que ele conhece o enigmático Ted Brautigan, um homem solitário com visíveis poderes paranormais. Ted  foge de algo e usa o garoto para a ajudá-lo a se ocultar, em contrapartida o convívio com Ted mudará a vida de Robert para sempre.
Fatos e personagens em que foi inspirado: Ted Brautigan representa os sensitivos e paranormais utilizados pelo governo americano durante a Segunda Guerra Mundial e durante a Guerra Fria. Existe no filme, também, referência aos famosos homens de preto. Tais agentes foram amplamente usados, e seus feitos documentados pela Alemanha de Hitler. Relatórios encontrados nos arquivos nazistas certificam que alguns deles chegavam a quase 100% de acerto. Um deles previu a derrocada do terceiro Reich em 1945 e foi “convidado” a comparecer perante um pelotão de fuzilamento.

Fogo no Céu
O filme: no dia 5 de novembro de 1975, um grupo de lenhadores, ao voltar para casa, se depara com uma luz vinda do interior da floresta. Trevis Walton abandona a segurança da pick up, atraído pela luz ofuscante, ao se aproximar é atingido por um feixe de raios e desaparece. Assustados, seus amigos fogem do local, ao chegarem à cidade relatam o ocorrido às autoridades locais.
Fatos em que foi baseado: é um longa bem feito, com efeitos razoáveis para a época. A história segue a narrativa do próprio Travis, (na verdade, Travis aparece nos créditos do filme como roteirista). A parte mais palpável do caso é que Walton ficou cinco dias desaparecido, e seus amigos, apesar de terem passado pelo detector de mentiras, foram formalmente acusados de assassinato. O que aconteceu com Travis é semelhante ao ocorrido com a história contada pela família Lutz (Horror em Amityville). Investigadores, posteriormente, encontraram uma série de contradições nos relatos de Travis. Outros, apesar de admitirem tais contradições, afirmam que a historia é verdadeira, embora ele tenha exagerado e alterado alguns dados  para tornar a história mais atraente, o que por fim acabou abalando a credibilidade do caso.

A Última Profecia
O filme: um conceituado jornalista, John Klein (Richard Gere), após perder a mulher em um acidente de carro é, acidentalmente, levado até uma cidade onde estão acontecendo misteriosos incidentes e avistamentos. Klein percebe que o fenômeno tem alguma ligação com visões que sua mulher teve antes de morrer, e resolve se embrenhar no mistério.
Fatos em que foi baseado: nas investigações, e livro, de John Kell sobre acontecimentos ocorridos em Point Pleasant e que culminaram com a queda de uma ponte e a morte de dezenas de pessoas. A profecia do Homem-Mariposa é tácita, o local onde ele é avistado acaba por sofrer desastres naturais ou humanos. O ponto forte do filme, em minha opinião, é que ele não tenta desvendar o mistério com teorias rocambolescas, o roteiro coloca os fatos dentro de uma trama, sem rotulá-los. Um dos melhores momentos  é o dialogo entre o jornalista e o Dr. Alexander Leek, quando este revela qual sua visão do fenômeno.

Eles
O filme: um casal de franceses (Clementine e Lucas) vive em Bucareste, Romênia. O casal mora numa enorme e velha casa afastada do centro da cidade. Um local ermo e sossegado. Durante uma noite, Clementine ouve barulhos nos arredores da propriedade. Assustada, chama o marido.  Em pouco tempo o casal percebe que não são ladrões, mas o que eles querem, afinal?
Em que foi baseado: na investigação oficial e no processo judicial. O filme é inquietante e surpreendente. O diretor soube colocar as peças na ordem certa sem sacrificar a trama e os fatos verdadeiros em que o filme se baseia. O mais sinistro é descobrir no final quem eles são e porque fizeram aquilo.

Triângulo do Diabo
O filme: “Nos últimos trinta anos ao largo da costa leste dos Estados Unidos mais de mil homens, mulheres e crianças foram banidos da face da Terra. Ninguém sabe como. Ou por que… Esta é uma explicação…”.
Essa abertura do filme, praticamente fala por si só. A película conta a história de uma mulher, única sobrevivente de um naufrágio, que no decorrer do filme percebe que o principal responsável por seu infortúnio é o próprio Triângulo das Bermudas.
Em que foi inspirado: não conta uma história verídica específica, mas junta uma série de relatos colhidos ao longo de anos sobre desaparecimentos no Triângulo. Filme de 1975 que, apesar das limitações tecnológicas da época e ter sido feito e lançado diretamente para televisão, em termos de trama e suspense, da uma surra em muitos filmes atuais lançados para o cinema. É raro, difícil de encontrar, e um dos melhores filmes (se não o melhor) que já assisti sobre o Triângulo das Bermudas.

Wolf Creek
O filme: três mochileiros, um homem e duas mulheres, visitam a segunda maior cratera causada por um meteoro do mundo, ao retornarem percebem que seus relógios pararam e o carro deu pane. Recebem ajuda de um motorista, que os leva para uma mina abandonada, onde ele revela suas verdadeiras intenções.
Fatos em que foi baseado: assassinatos em série ocorridos no Outback Australiano entre os anos 80 e 90, atribuídos a Ivan Marko Milat. Como Milat nega até hoje a autoria dos crimes, o diretor, apesar de flagrante aparência e modus operandi, foge um pouco da versão oficial
deixando incerto a identidade do assassino , além de dar-lhe certos atributos não muito naturais. Juntem-se a isso, os efeitos adjacentes à cratera de Wolf Creek, que, honestamente, não sei se procedem.

Raça selvagem
O filme: uma pesquisadora empreende uma expedição em busca do extinto Tilacino (tigre da tasmânia), chegando a uma floresta densa numa localidade pouco habitada. Seu grupo começa a ser atacado e ela e seus companheiros farão o possível pra sobrevier. Tem uma certa metáfora poética entre uma raça extinta e outra que surge.
Personagens em que foi inspirado: Austrália é um país de dimensões continentais, e boa parte dele é deserto e pouco habitado. Raça Selvagem explora essas duas características do país, e insere no cenário dois ícones da mitologia australiana: o tigre da tasmânia e Alexander Pearce, o canibal. Apesar do clichê “perseguição na floresta”, o filme tem seu diferencial.

Enigma do Mal
O filme: Carla Moran, uma mãe solteira, alega ser violentada por uma entidade invisível. No princípio a protagonista acredita que tudo não passa de pesadelos, até que a tal entidade começa a se manifestar fisicamente enquanto ela está acordada. Carla, depois de passar por psiquiatras, acaba solicitando a ajuda de especialistas paranormais.
Em que fatos foi baseado: é isso mesmo que você  leu, ela afirma ter sido estuprada por uma entidade invisível. O filme se baseia na pesquisa de Kerry Gaynor e Barry Taff, sobre o caso de Doris Bither que afirma ter sido violentada por uma presença sobrenatural. Embora os voyeurs pesquisadores não tenham presenciado tais atentados sexuais, eles informaram terem vistos luzes flutuando, objetos se movendo sozinhos  e uma silhueta humana.

Gothic
O filme: este onírico, metafórico e provocante filme, dirigido pelo genial e controverso cineasta britânico Ken Russel, conta a história de Lord Byron (Gabriel Byrne) que convida o poeta Percy Shelley e sua noiva, Mary, junto de sua meia-irmã Claire e o médico de Byron, John Polidori para uma noite em sua mansão na Suiça. Eles contam histórias de fantasmas durante a noite e começam a presenciar eventos sobrenaturais da qual julgam manifestações físicas de seus próprios medos.
Em que foi baseado: em 1816, Percy Shelley e sua futura esposa visitaram Byron em sua mansão. Devido ao dia chuvoso, ficaram dentro da casa conversando sobre possibilidades de reanimação dos mortos e contando histórias de fantasmas alemãs. Byron sugeriu que cada um escrevesse um conto sobre o sobrenatural. Desta sugestão, nasceram “Frankenstein” e o que depois se tornaria “The Vampyre”, escrito por Byron e readaptado por John Polidori.

A Sombra do Vampiro
O filme: no debut de Elias Merhige como diretor de grandes produções (após a explosão do seu estranho e cultuado “Begotten”), “A Sombra do Vampiro” conta a história de Max Schreck (Willem Dafoe) e Murnau na realização do clássico expressionista “Nosferatu”, centrando-se
no comportamento bizarro de Schreck, a visão de Murnau sobre o próprio filme e o fato de que acabou por fazer acordo com um vampiro real para atuar como Conde Orlok e garantir o máximo de realismo.
A história real: depois das filmagens de Nosferatu, muitas lendas surgiram sobre o comportamento estranho, o metodicismo e a personalidade de Schreck. Muitos que conviveram com o ator, afirmaram que ele se mantinha afastado dos demais, tinha um senso de humor estranho e uma habilidade marcante para atuar em papéis grotescos. Para adicionar mais mistério, o próprio certa vez afirmou que “vivia em um remoto e estranho mundo” e que passava seus dias caminhando por florestas escuras o que, provavelmente, possa ter sido uma brincadeira sobre os rumores que o cercavam.

Ils
O filme: em mais uma rendição da clássica história sobre uma família presa em sua própria casa por assassinos, um casal é ameaçado por um bando de invasores que os assustam fazendo barulhos, ligando a televisão no meio da noite, roubando seu carro e cometendo atos de tortura e violência sem motivos e nem grandes explicações (semelhante à outro filme que se diz baseado em fatos reais, “Os Estranhos”).
A história real: o plot do filme se baseia no caso de um casal austríaco que foi torturado e morto dentro de sua própria casa por um grupo de três adolescentes. Apesar de não ser uma rendição literal do evento, Ils é fiel à natureza brutal do crime, levantando a questão de que “crianças” podem ser capazes de atos inimagináveis de violência apenas por diversão.

The Hills Have Eyes
O filme: uma família viajando pelo deserto ao sudoeste americano toma um atalho e acaba se deparando com canibais mutantes que vivem escondidos dentro das cavernas nas colinas.
Em que foi baseado: o filme, alegadamente, tem inspiração na lenda de Alexander “Sawney” Bean, um escocês do século 15 ou 16, líder de  um grupo de mais de 40 indivíduos que, supostamente, assassinaram e comeram um número em torno de 1000 pessoas, vivendo em cavernas por 25 anos até serem condenados e mortos por seus crimes. Este famoso caso não apenas inspirou o filme de Wes Craven, como também foi a base para o video nasty britânico “Raw Meat”. Entretanto, a maioria dos historiadores acredita que Sawney nem mesmo existiu, sendo apenas uma lenda contada pelo povo local.

Henry: Retrato de um assassino
O filme: Henry (Michael Rooker) é um serial killer que matou diversas pessoas ao longo de sua vida. Vivendo junto de seu amigo e parceiro de crime, Ottis, ele acaba desenvolvendo um interesse amoroso na irmã do mesmo, enquanto continua praticando atos de crueldade e violência em uma das produções mais realista e impactante sobre o tema.
A história real: John Mcnaughton, o diretor e roteirista do longa, se inspirou na vida de Henry Lee Lucas que possuia um cúmplice chamado Ottis Toole e um interesse romântico na sobrinha Frieda Powell. Entretanto, o roteiro foca mais nas confissões de Lucas do que na realidade, já que o assassino aumentou severamente os números de pessoas que matou, em parte porque estas confissões lhe renderiam condições melhores na cadeia. O serial Killer foi condenado por 11 mortes, incluindo a de Powell.

O Horror de Amityville
O filme: a família Lutz se muda para uma casa onde um assassinato em massa ocorreu no ano anterior. Eles se deparam com diversos acontecimentos paranormais, entidades que tentam controlar George Lutz e acabam saindo da casa apenas 28 dias após comprarem.
A história real: o casal Lutz contratou um escritor profissional para contarem o que viveram durante os dias que estiveram morando em Amityville, o que acabou gerando um best-seller e um dos filmes de horror mais famosos inspirado em um caso não ficcional. Apesar de muito já ter sido especulado sobre a história e o fato de que a família Defeo realmente fora assassinada na casa, o próprio casal admitiu “por tabela” que a história tinha elementos adicionados para se tornar mais interessante ao leitor e, consequentemente, ao público que assistisse o filme. Mesmo com muitos pontos de interrogação nesta história, o caso Amityville continua despertando interesse e o filme ganhou diversas continuações e um remake, em 2005.

Holocausto Canibal
O filme: um grupo de jornalistas parte para a Amazônia a fim de fazer um documentário sobre tribos canibais e acabam sendo vítimas da fúria que despertam nos índios após cometerem atos imorais e violentos contra os nativos. O início do filme mostra outro grupo de pessoas que foram até o local recolher as fitas e descobrir o que havia acontecido com o grupo anterior, em um estilo documental criado sob medida por Ruggero Deodato.
A história real: Cannibal Holocaust não é baseado em uma história real e nem tampouco foi promovido como tal, mas sua presença aqui é obrigatória porque se trata do primeiro filme a dar um passo à frente e se declarar como sendo a filmagem de um evento que realmente aconteceu. Esta “evolução” do “baseado em fatos reais” é uma tática ainda mais agressiva de marketing que acabou gerando vários frutos, criando alguns dos filmes independentes mais bem sucedidos de todos os tempos.

Gêmeos – Mórbida Semelhança
O filme: dois gêmeos ginecologistas (ambos interpretados por Jeremy Irons)  possuem o hábito de dividir suas conquistas amorosas. Entretanto um deles, Beverly, se apaixona pela última conquista. que acaba por descobrir o esquema entre os irmãos e rompe o namoro. Assim, Beverly acaba se tornando um dependente químico e compromete a vida de seu irmão, neste thriller assinado por David Cronenberg.
A história real: em 1975, o corpo de dois gêmeos ginecologistas fora encontrado em um apartamento, já em estado avançado de decomposição. A causa de suas mortes foi motivada pelo vício em barbitúricos, o que os levou a se excluírem socialmente. O porquê de tal ato permanece sem respostas.

O Exorcista
O filme: uma menina de 12 anos (Linda Blair) começa a apresentar um quadro mental instável, junto de fenômenos como sua cama sacudindo. Após sua mãe a levar em vários especialistas e nenhum apresentar conclusões satisfatórias, a hipótese de que ela está possuída por uma entidade maligna é levada em consideração e dois padres são chamados para realizarem um exorcismo, com o custo de suas próprias vidas.
Em que foi baseado: William Peter Blatty leu um artigo reportando um caso de exorcismo em um menino de 13 anos de idade em Maryland no ano de 1949. Apesar de ser uma história bastante adulterada, possivelmente para proteger a família envolvida, foi a inspiração para que Blatty escrevesse o best-seller que resultou em um dos filmes de h0rror mais bem sucedidos. O caso, supostamente real, que inspirou “O Exorcista” não possui nem de perto os detalhes escatológicos e violentos que são descritos no livro e filme.

O Exorcismo de Emily Rose
O filme: o filme acompanha o julgamento de um padre pela morte de uma menina chamada Emily Rose, durante um exorcismo. Através de flashbacks, é possível assistir a história de Emily e as manifestações sobrenaturais que se abateram sobre ela.
Em que foi baseado: apesar de mudar os nomes e alguns elementos, o filme é inspirado pelo caso da jovem alemã Anneliese Michel que, em 1968, começou a demonstrar sintomas estranhos como paralisia, auto-flagelação e visões. Em 1975, dois padres performam um exorcismo por 10 meses seguidos até Anneliese morrer de fome em julho de 1976. Os pais da menina e os padres foram julgados por homicídio culposo, sendo sentenciados por 6 meses na cadeia. Fotos da menina e uma suposta gravação de áudio podem ser encontrados pela internet.

The Girl Next Door
O filme: em 1958, duas adolescentes que, após perderem os pais em um acidente de carro, vivem com sua tia Ruth, uma psicopata sádica. Sem conhecimento da vizinhança, as duas meninas enfrentam atos de tortura e punição nas mãos de sua tia e seus três filhos.
A história real: o filme foi baseado em um livro de Jack Ketchum que, por sua vez, foi baseado em uma história real sobre uma menina chamada Slyvia, torturada brutalmente e assassinada pela mulher que estava com sua custódia, junto de outras crianças do bairro. Este é um dos raros casos onde a história real é mais impactante e violenta que a versão novelizada, já que Slyvia sofreu abusos de todos os tipos e morreu de hemorragia cerebral, atada em um porão por meses. O filme “An American Crime” é também baseado na história, desta vez literalmente, contando com detalhes o fato real que inspirou Ketchum.

A Maldição dos Mortos Vivos
O filme: um antropologista americano Dennis Alana é contratado por uma empresa farmacêutica para adquirir uma amostra de uma droga usada no Haiti em rituais de voodoo, com um suposto poder de reavivar os mortos.
A história real: o filme é uma versão “aumentada” de um livro do canadense Wade Davis contando suas experiências com a zumbificação haitiana. Segundo suas anotações, um pó local possuía uma toxina que induzia um estado de “morte” em indivíduos posteriormente ressuscitados através de um transe hipnótico por um “mestre controlador”. Um dos casos mais famosos tratava de um homem que viveu como um zumbi durante dois anos na década de 60. Até hoje, a veracidade destes relatos é discutida.

Mar Aberto
O filme: um casal divorciado sai em viagem para um mergulho em grupo até ser deixado para trás pelo barco por um erro, no mar cercado por tubarões.
Em que foi baseado: em 1998, o casal Tom e Eileen Lonergan desapareceu no mar australiano após um companhia de mergulho acidentalmente deixa-los para trás. Levou dois dias para a equipe perceber que os dois haviam sido deixados no mar e, após diversas buscas, os corpos nunca foram encontrados. Pertences encontrados pelo mar não mostram sinais de um ataque por tubarões como no filme.

O Massacre da Serra Elétrica
O filme: um grupo de jovens viajando por uma zona rural acaba caindo no território de uma família de canibais, incluindo Leatherface, vestindo uma máscara feita de pele humana.
A história real: o remake de 2003 ajudou a perpretar a ideia, através de sua campanha de marketing, que “O Massacre da Serra Elétrica” era baseado em fatos reais, levando diversas pessoas a acreditarem que a história do filme realmente havia acontecido. Entretant0, a inspiração inicial de Tobe Hooper nasceu a partir de uma visita à uma loja que vendia serras-elétricas, fantasiando a ideia de sair com uma matando pessoas por aí. Parte da ideia para a criação de Leatherface e da “decoração” da casa da família Sawyer surgiu do psicopata Ed Gein, que assassinou duas mulheres na década de 50 e fazia ornamentos caseiros utilizando ossos e pele humana.

Gein inspirou outros dois personagens famosos do cinema, Norman Bates de “Psicose” e o Buffalo Bill, o serial killer de “O Silêncio dos Inocentes”.

Fonte: Rewind,please, Gamo Branco