Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

As verdades que ninguém aceita


Você acredita em afirmações do tipo “a torcida do Flamengo é a maior do Brasil”, “vamos salvar o planeta”, “trabalho dignifica o homem”, “a ciência explica”?

Vamos salvar o planeta

Não. Nem você, nem eu, nem ninguém vai salvar o planeta. Seja o que acontecer, a Terra continuará o seu ciclo de vida em direção a uma extinção inexorável daqui a alguns bilhões de anos, quando será devorada por um Sol em expansão. O máximo que o ser humano pode fazer é salvar-se a si mesmo, o que já seria de ótimo tamanho. É bem possível que, em breve, os engajados da hora não repitam mais “vamos salvar o planeta”. E sim “salvem-se quem puder!”.

Trabalho dignifica o homem

Quem inventou o trabalho foram os ingleses com sua paranoica busca por uma revolução industrial, lá pelo século XIX. Antes disso, ninguém fazia… Ah sim, os escravos. De qualquer jeito, os mesmos que inventaram o trabalho, também criaram essa pérola de crueldade. Trabalho não dignifica nada, a não ser à conta do banco do empregador. O que dignifica é a expressão individual de prazer, talento e habilidades.

A melhor fase dos filhos é até 7 anos

Caía nessa! Ninguém acha bacana trocar fralda às 3 da manhã, frequentar festinhas infantis regadas a cerveja quente e reuniões intermináveis de pais e mestres. Muito menos assistir, imóvel, uma hora de Teletube (ainda existe?) ou Barney, o dinossauro bonzinho. Verdade, pais se apaixonam pelos filhos e engolem tudo isso numa boa. Mas bom mesmo é quando eles já conseguem formular ideias, expressar preferências e dar solução de continuidade aos nossos espíritos. O problema é que eles também aprendem a pedir uma grana.

Viagem é um gasto que vale a pena

Todo mundo acha isso, mas ninguém pratica. Sim, viajar é muito nobre, vale a pena gastar tudo o que você tem para conhecer a cultura da Mongólia ou aurora austral do Alaska. Mas o que acaba acontecendo são as viagens nas rodovias entupidas dos feriados ou fins de semana pagos com voucher de site de compra coletiva. Eu acreditei nisso: torrei um apartamento para bancar duas viagens à Ásia e agora pago aluguel. Bacana, né?

A ciência explica

Cientistas tentam explicações para alguns fenômenos e frequentemente falham. Acreditar que eles são a voz da verdade é um erro lamentável. E isso inclui médicos, biólogos, físicos, meteorologistas, paleontólogos e exobiologistas. Basicamente, são seres humanos que gostam de dinheiro, tem fraquezas (como vaidade) e medo e insegurança da vida. Quando você ouvir uma tese, uma das duas opções está ocorrendo: ou o autor está querendo apenas pagar suas contas (o que é justo) ou apenas arriscar uma ideia. Como todo mundo, aliás.

Não é sexo, é fazer amor

Para que complicar algo tão simples? Sexo é sexo. Quem não sabe o que é sexo? Preciso definir? Não, né? Já amor é um sentimento, uma emoção. Não é possível “fazer” emoções. E também não vou dar uma de charlatão e ficar definindo amor. Nem os filósofos gregos do século IV A.C, inventores da palavra, ousaram uma definição. Apenas deram nome a um conjunto de emoções, sentimentos e estados de espírito. Daí protocolaram um pedido de definição aos deuses que deve estar perdido em alguma repartição da imensa estrutura burocrática do Olimpo.

A operadora de celular X é melhor do que a Y

Nem entre nessa discussão. Operadoras de celular, todas, vivem a mesma equação: querem vender muito, mas não investem na estrutura técnica e de atendimento. A “coisa” desandou tanto que, para tirar o atraso, vão ser necessários investimentos pesados por anos a fio. Além disso, celular não é mais um instrumento de comunicação pessoal. É um aparelho que permite entrar nas redes sociais sem passar pelo computador.

A torcida do Flamengo é a maior do Brasil

Esse foi um título conquistado décadas atrás e que se eternizou como verdade absoluta e incontestável. Antigamente, até a década de 1970, o futebol era cariococentrista. Só interessava o que acontecia no Rio de Janeiro e até havia motivos para isso. Maracanã e coisa e tal. As rádios transmitiam jogos do campeonato carioca para o Brasil inteiro, os filmes do Jean Manzon, que passavam no cinema, antes do filme, eram só sobre os jogos cariocas. Então no Brasil, e principalmente no Nordeste, onde o futebol era quase inexistente, formou-se uma torcida de times cariocas, sobretudo o Flamengo. Essa preferência mantém-se até hoje. Mas como segundo time. O futebol desenvolveu-se em todas as regiões do país e os torcedores locais já têm para quem torcer.

É indispensável frequentar a academia

É sim. Só falta saber: é indispensável para que? O ambiente de uma academia só é pior do que o pronto socorro de hospital. Um monte de gente suando, fazendo atividades dolorosas, com objetivos duvidosos. Ok: dar uma paquerada é legal. Ah sim, você vai ficar bombado (a), perder uns quilos, entrar com competitividade no mercado dos solteiros… Está explicado.  Só se for por isso mesmo — não me venha com essa de que frequentar academia gera benefícios à saúde. Quer ter saúde? Sai da frente deste computador e vai caminhar no parque.

As redes sociais melhoraram a comunicação entre as pessoas

Essa é a impressão que fica, mas está longe de ser verdadeira. As redes sociais pioraram a comunicação entre as pessoas. Em vez de você ligar para o seu amigo dileto e ir tomar uma cerveja com ele, basta você mandar uma mensagem: “E aí, bro? Blz?”. Tudo bem, você conseguiu fazer contato com aquele cara que conheceu há vinte anos na festa do seu ex-vizinho. Muito bom. Agora você já pode acordar e escrever “Bom diiiiia!”, inclusive para ele.  Mas e a paquera virtual? Muito divertida. Será que é melhor do que paquerar no posto de gasolina, no ponto de ônibus, na fila do banco?

Fonte: Clube Alfa