Rondonópolis/MT,

De moto na chuva


“São as águas de março fechando o verão”, como diz o verso célebre da canção de Tom Jobim. Nessa época do ano, não tem jeito: pode esperar fortes temporais no fim da tarde, ajudando a refrescar o calor e, também, deixando o já complicado trânsito das grandes cidades ainda mais caótico. E, se com a pista molhada os motoristas devem redobrar a atenção ao volante, os motociclistas precisam quadruplicar seus cuidados uma vez que estão muito mais expostos. Além de manter a manutenção da moto em dia e utilizar uma roupa adequada, é importante adotar técnicas de pilotagem defensiva para não ir ao chão. Pronto para enfrentar essa tempestade?

Se puder, pare!
Chuvas de verão costumam ser intensas, porém rápidas! Às vezes, adiar em dez minutos a saída já é o suficiente para livrar você da pior parte do temporal. Entretanto, quem pilota modelos esportivos realmente deve esperar que a chuva passe. Isso porque os pneus desse tipo de moto possuem poucos sulcos (“riscos” no pneu que são responsáveis pela drenagem da água), comprometendo a aderência da roda ao asfalto e, consequentemente, a sua segurança.

Para não se molhar
Tenha sempre na mochila ou no baú da moto uma roupa de chuva completa, feita com material impermeável. A maioria dos conjuntos é composta por jaqueta, calça, botas e luvas. Assim você se manterá aquecido e praticamente seco!

Calibragem certa
Além de manter a manutenção da motocicleta sempre em dia é importante calibrar os pneus conforme o indicado no manual do proprietário. É comum ouvir que se deve baixar a pressão dos pneus para rodar na chuva. Entretanto, a técnica é indicada apenas para motos de pista e não para modelos comuns, que rodam no trânsito da cidade.

Primeiros pingos
O início da chuva é considerado o ponto crítico para os motociclistas. Isso porque a água acumulada vira uma mistura de resíduos de óleo e combustível, o que deixa a pista extremamente escorregadia. Sentiu as primeiras gotas? Então, reduza consideravelmente a velocidade e mantenha uma distância segura dos outros veículos.

Obstáculos escorregadios
Muito cuidado ao passar sobre as faixas de trânsito, que se tornam ainda mais escorregadias. Evite também as poças d’água. Dependendo do nível de chuva, elas podem esconder verdadeiras crateras. Fique de olho!

Freadas e manobras
Lembre-se que, quando molhado, o sistema de freios da moto fica comprometido. Como os discos estão úmidos, eles podem não responder imediatamente ao seu comando. Para não errar, a dica é aumentar o tempo de frenagem e não apertar diversas vezes o manete do freio. Evite manobras bruscas e procure não se inclinar muito na hora das curvas.

Para ver e ser visto
Chuva também é sinônimo de vidros de carros embaçados e motoristas com visibilidade reduzida. Por isso, rode sempre com o farol aceso, evitando trafegar no corredor. Em dias de chuva, os motociclistas devem manter a viseira totalmente abaixada. Para não comprometer sua visibilidade, mantenha todas as entradas de ar do capacete abertas, além de mantê-lo sempre limpo e livre de riscos. Muitos motociclistas acabam desrespeitando a regra de trafegar com a viseira abaixada.

Na estrada
Recomenda-se seguir o rastro deixado pelos pneus dos carros, evitando, assim, os riscos de aquaplanagem.

Fonte: Petrobrás, Viva Mais