Rondonópolis/MT,

Não deixe a depressão sufocar você


Celulares que fazem tudo, televisões 3D, computadores superpotentes. Eis algumas das coisas sensacionais que os tempos modernos incorporaram à sua vida. No entanto, junto vieram agendas apertadas, trânsito de enlouquecer, preocupações financeiras e maior frequência de certos problemas de saúde. Um deles é a depressão. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 19% da população brasileira teve ao menos um caso de depressão na vida. Até 2030, a doença será a mais comum no planeta. Mas fique tranquilo. A seguir, explicamos tudo sobre o problema e, com a ajuda de caras que já enfrentaram esse mal, mostramos como você pode driblá-lo.

O QUE É
A depressão é uma doença que afeta seu humor, tira sua energia e altera seu comportamento. “A visão de mundo muda. A pessoa passa a enxergar apenas o lado negativo de tudo, além de lembrar do passado com culpa”, diz o psiquiatra Neury José Botega, professor do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

A CAUSA
A doença é provocada por mudanças no funcionamento cerebral. Há uma queda na atividade dos hormônios serotonina, noradrenalina e dopamina – essas substâncias, liberadas pelos neurônios, são responsáveis por regular seu humor. Isso geralmente é desencadeado por problemas como pressão no trabalho, crises financeiras ou o fim de um relacionamento. “Acontecimentos significativos na vida de um homem podem modificar a química cerebral”, diz Ricardo Torresan, psiquiatra da Faculdade de Medicina da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

OS SINAIS
Os principais sintomas são: isolamento, sensação de vazio, diminuição ou aumento de apetite, insônia, mal estar físico como dores e fadiga, perda de memória e irritabilidade. Para que a depressão seja diagnosticada, esses sinais devem permanecer por ao menos duas semanas.

AS CONSEQUÊNCIAS
A doença muda seu estado de espírito. Você não sente mais vontade de fazer coisas que antes davam prazer. Às vezes, não quer nem sair de casa. Falta disposição para realizar atividade físicas, fazer sexo. “Homens têm mais dificuldade de expressar o que sentem. Então, eles também ficam irritados, explodem de raiva, consomem álcool de forma abusiva”, explica Botega. Em casos extremos, a depressão pode levar ao suicídio. “Caras que sofrem com o problema muitas vezes dão pouca atenção aos sintomas, mesmo depois de procurarem ajuda médica”, afirma Chris Thompson, diretor médico do Priory Group, na Inglaterra. “Alguns cometem o erro de achar que é mais másculo se enforcar do que fazer tratamento”, alerta o psiquiatra.

O TRATAMENTO
A melhor maneira de combater a doença é manter hábitos de vida saudáveis (veja boxe Invista em Remédios Caseiros) e tomar medicamentos indicados por especialistas. “Depois de encontrado o remédio certo, o tratamento demora de duas a quatro semanas para começar a fazer efeito. A recuperação completa leva de dois a três meses. Mas, mesmo curado, é importante seguir com a medicação por até nove meses”, explica Torresan. “Homens também saem bem do problema com terapia cognitiva comportamental”, indica Thompson.

Espante o problema
Homens que sofreram com depressão mostram como superar a doença

Alastair Campbell, ex-diretor de comunicações do ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair
“Quem tem doenças mentais às vezes não se abre por medo do estigma. Mas o melhor que fiz foi assumir meu problema. Admiti que ouvia barulhos, que tinha atitudes estranhas ao ponto de ter sido preso, a bebida, a depressão. Espero que minha franqueza ajude outras pessoas. Passei por um grande colapso nervoso e sobrevivi. Ainda fico deprimido. Mas aceito a doença como parte de mim, e tomo remédios quando necessário.”

Marcelo Aguiar*, estudante paulista
“Quando estava com 17 anos, vivia no interior de São Paulo e estava cansado de morar lá. Sentia-me desmotivado. A gota d¿água foi quando minha namorada terminou comigo. Fiquei isolado e deixei de sair com meus amigos. Tinha um sentimento de vazio eterno. Como meu pai também sofreu de depressão, minha mãe logo viu que eu estava doente. A cura veio com remédios, psicoterapia e a mudança para a cidade de São Paulo. Comecei a estudar e conheci pessoas novas. Isso foi bom. Hoje, quando estou triste, desanimado, me forço a sair de casa, nem que seja para ir ao cinema sozinho.”

Giles Andreae, cartunista inglês
“Minha doença foi desencadeada por coisas que pareciam insignificantes: pressão financeira e mudar de casa. Fiquei sem chão e achei que não ia superar a situação. Sentia tremores constantes, soluçava. Não conseguia fazer nada. Quando você diz que está com depressão, as pessoas pensam: “Vê se toma jeito”. Mas trata-se de uma doença, não de uma fraqueza. Não tem nada a ver com se sentir infeliz. É um esvaziamento completo do caráter. Para reduzir seu risco, você precisa cuidar do bem-estar mental. O que faz você se sentir feliz? Tente começar dormindo melhor…”

João Vasconcelos*, microempresário paulista
“A doença se manifestou após eu ser promovido ao cargo de diretor de uma multinacional, aos 32 anos. Quando enfrentava uma situação estressante no trabalho, sentia tontura, parecia que ia desmaiar. Logo veio a sensação de vazio. Tinha dificuldade de expressar sentimentos. Achava que estava no pior emprego do mundo. Tomo remédio há 15 anos para controlar a doença. Abandonei o mundo corporativo e abri meu próprio negócio. Assim, tenho horários flexíveis e posso me exercitar viver com mais qualidade. Faz dois anos que não enfrento nenhuma crise.”

* Nomes fictícios. Os personagens não permitiram que a identidade deles fosse revelada.

Não confunda depressão com…
A doença às vezes se parece com outros males comuns entre os homens. Ao lado, o psicoterapeuta Nick Gully, da Inglaterra, ajuda você a diferenciá-la

… estresse
É a tensão normal do dia a dia. Quando fica estressado, assim como na depressão, seu corpo libera cortisol. Mas o nível do hormônio depois volta ao normal. Para que seja diagnosticada a doença, é preciso índices elevados da substância quase o dia todo por duas semanas.

… ansiedade
É a sensação de dúvida em relação ao futuro. Você tem medo de que algo que está fazendo tenha resultado negativo. Foge de tudo que acha que vai dar errado. Quem está depressivo não se preocupa com o que vem pela frente, pois acha que não há nada de bom.

… tristeza
Os sintomas são parecidos com a depressão, como fadiga e mudanças no apetite. Mas uma pessoa triste mantém contato com amigos e tem momentos de prazer. Com a depressão, você perde a capacidade de se relacionar e não há nenhuma sensação positiva.

Invista em remédios caseiros - 4 jeito naturais de ficar longe da depressão

Tome sol
Pesquisadores da Universidade da Carolina do Norte (EUA) descobriram que a exposição à luz brilhante, seja ela natural ou artificial, tem impacto positivo na síntese da serotonina, hormônio do bem-estar que ajuda a regular o humor no cérebro.

Largue o cigarro
A Universidade de Dundee (Escócia) descobriu que fumar desacelera a chegada de serotonina ao hipocampo. Essa estrutura, localizada nos lobos temporais do cérebro, usa a substância para controlar a ansiedade.

Faça exercícios
Praticar atividade física regularmente ajuda a melhorar a eficácia das proteínas neurotrofinas, que estimulam o crescimento de novos neurônios, segundo periódico americano Journal of Neurophysiology.

Ajuste o cardápio
Inclua na sua dieta: ricota, queijo cottage, abacate, peito de peru, soja e amêndoas. Esses alimentos fornecem tirosina, aminoácido precursor da norepinefrina, neurotransmissor que melhora a reação do corpo ao estresse.

Fonte: Revista Men’s Health