Rondonópolis/MT,

Até que ponto as mulheres gostam de um bad boy?

Você já viu muitas mulheres quentes irem para casa com homens pouco bacanas. Sim, é triste, mas real: elas curtem um bad boy. Porém, só até certo ponto. Então dê o troco: Seja um dos caras legais que ganham a musa para sempre.

Em um sábado ensolarado, estava num brunch junto a umas amigas me nutrindo com uma mimosa (birita que leva espumante e suco de laranja). Tentava curar a ressaca: na noite anterior, conversei e dancei com um homem barbado num bar, depois rolaram uns amassos que, regados a uísque, deixaram meu queixo vermelho, quase em carne viva.

Meu telefone tocou enquanto eu beliscava a omelete. Quando li a mensagem, morri de vergonha. “É o cara de ontem”, comuniquei. “Ele quer levar você para jantar?”, uma amiga tirou sarro. “Por que a gente não pode simplesmente se encontrar num outro boteco escuro à meia-noite?”, eu disse a ela.
Curti bastante aquele homem naquela balada “viajante”: ele foi confiante, direto e agressivo na medida certa, puxando meus cabelos. Eu me senti linda e desejada – e um pouco como uma presa nas mãos dele. O cara se mostrou um bad boy. Foi excitante e divertido. Agora, lá estava ele agindo como um moço legal. Esse lado mais suave (que considera dividir uma garrafa de vinho e uma sobremesa) me jogou na defensiva – eu, uma pós-graduada com fobia de compromisso. Isso faz você, caro leitor, ficar meio de bode de mim, certo? Aquele homem do bar pode ser gente boa, talvez como você, e foi ridicularizado por mim. Sim, você deve ter pensado que sou igual àquelas suas amigas que saem com idiotas, garotas quentes que ficam com caras detestáveis.
Confesso, somos culpadas por esse comportamento esquisito. Há uma pasta cheia de evidências para provar isso. Pesquisa americana revela que homens com alta taxa de narcisismo, psicopatia e maquiavelismo (traços chamados Tríade das Trevas) conseguem mais sexo. Outro estudo americano revela que ser um cara muito agradável cedo demais não é sexualmente atraente. “É necessário mostrar um pouco de agressividade: isso é essencial à sobrevivência na natureza, onde os fracos têm menor potencial para ajudar as fêmeas e a prole a sobreviver”, explica Carlos Eduardo Carrion, psiquiatra de Porto Alegre e consultor da MH. “Essa percepção está em nosso DNA”.

Mas nosso fascínio pelo bad boy é limitado: boa notícia para você que curte mulheres espertas! A garota que ele atrai (como eu quando era mais nova) é instável, ou imatura, ou insegura, ou tudo isso junto. E, felizmente, você pode adotar muitas táticas sedutoras do bad boy sem, no entanto, virar um idiota. Aí, vai ganhar a garota moderna.

Uma mistura de doce com salgado é excitante para a mulher legal – o tipo que você quer! Adoramos o sedutor que é adepto de preparar um belo jantar romântico e também de abrir um sutiã com certa voracidade.

Eu não estava preparada para esse novo cavalheirismo naquela época: ainda era infantil e um pouco chata. Então falhei em dar àquele cara do bar a chance que ele certamente merecia. Por isso, permita que eu, junto a cientistas e pesquisadores, me redima e recompense a humanidade – e os homens gentis – explicando o que nós, mulheres modernas, realmente queremos.

A medida da gentileza
O novo cavalheirismo dá pouca orientação sobre atitudes como abrir a porta do carro para ela. Ele não tem a ver com etiqueta. E, sim, com respeito e igualdade. Eu sei: isso não ajuda quando a conta chega. Segundo Amy Muise, psicóloga da Universidade de Toronto (Canadá), pesquisa confirma que a vida moderna é “muito desconcertante para os homens”. Exemplo: “Há muita confusão sobre as expectativas nos primeiros encontros. Como sociedade, nos tornamos mais igualitários e iguais, mas muita gente ainda adere às normas de gênero nos primeiros encontros.”

Em outras palavras, o “uau” de uma mulher é o “eca” de outra diante de uma gentileza sua. Mas, na real, se uma garota está apaixonada não é um detalhe superficial (você ajudá-la ou não a pôr o casaco) que vai fazer a relação se firmar ou ir pelo ralo. Minha situação preferida: um homem age como cavalheiro mesmo enquanto reconhece que a mulher não está exigindo isso. No fim de um encontro recente, um cara definitivamente legal e atraente acenou um “não” para minha carteira insinceramente pronta para se abrir e disse: “Se dividirmos, nenhum de nós se sentirá bem. Gostaria de sentir o prazer de ter levado você para jantar. Pague em outro momento.” Dá até para desmaiar de emoção!

O teor da autoconfiança
Esse cavalheirismo sexy é uma forma de interagir com a mulher. Envolve exercer a confiança sem parecer arrogante. “Você deve mostrar que sabe viver dentro das regras, para dar estabilidade e segurança. Mas precisa, em outros momentos, se mostrar mais audaz – não esqueça que elas gostam de certa agressividade”, pontua Carrion. Autoconfiança é sexy. Veja este divertido estudo publicado no International Journal of Cosmetic Science. Pesquisadores filmaram clipes de 15 segundos de homens depois que usaram spray corporal com ou sem perfume e, então, pediram a mulheres para assistir e classificar os caras por atratividade. Elas consideraram, em geral, que os homens perfumados tinham melhor porte – embora, obviamente, não pudessem sentir o cheiro deles. Aparentemente, os caras perfumados se sentiam mais seguros e a linguagem corporal autoconfiante fez vibrar os corações femininos.

O ponto crucial disso: se sentir orgulhoso e confiante sem se deixar transformar num idiota arrogante. Mantenha a humildade. Converse consigo de um modo estimulante e seja você mesmo. Meu amigo David, 27 anos, estudante de administração, faz assim: “Fico lembrando que há muitas pessoas que gostam de mim e que me amam, então não seria o fim do mundo se uma mulher me rejeitasse. Depois de levar um não algumas vezes, você percebe que não é tão ruim assim. Então vence o medo e se depara com você ainda mais confiante”.

“Isso é decorrente do amadurecimento”, diz Carrion. “Quando levamos foras e sobrevivemos, nos enxergamos mais realisticamente – nem tão frágeis como temíamos, nem uma fortaleza inexpugnável.” O homem cavalheiro e seguro faz perguntas, ouve as respostas e trata a mulher como um igual intelectual. “Somos atraídas por pessoas que nos fazem sentir interessantes e inteligentes”, diz Amy. Isso já dá a você uma vantagem e tanto sobre o trouxa que detona a autoconfiança feminina ou o fraco que não consegue manter um papo legal até o fim.

A dimensão da conversa
Um dos piores primeiros encontros que já tive foi com um cara que chegou uma hora atrasado e falava sem parar. Você é mais esperto que isso, tenho certeza. Só fique ligado nesta: um estudo observa que o homem que escuta muito atentamente a mulher que acabou de conhecer pode ser visto com desconfiança. A autora da pesquisa, Gurit E. Birnbaum, psicóloga do Centro Interdisciplinar de Herzliya (Israel), aponta que o cara compreensivo demais corre grande risco de ser entendido como “inadequadamente legal e manipulador, ou com ânsia para agradar, talvez até desesperado; e, portanto, menos atraente sexualmente”. Carrion ressalta: “Ser compreensivo demais ainda pode transmitir a ideia de falta de opinião própria. Ou seja, de fraqueza”. Tenha uma conversa real – indo e vindo relaxadamente no papo – e vai parecer curioso, envolvido e confortável ao dar e receber. Isso me soa cavalheiro.

O homem cavalheiro faz o próprio estilo de vida, mas dá espaço para a garota participar também. É o cara que diz, por exemplo, “Eu poderia arrastar você para Paris” – o que elas costumam achar irresistível. Mencione seu envolvimento na cena gastronômica ou nos espaços de arte indie – ou no que quer que faça você ser você. Chame-a para conhecer isso e, ao mesmo tempo, respeite e participe dos círculos dela. “Ou seja, deixe-se mostrar e deixe-a conhecer você melhor em atitudes”, explica Carrion. Se vocês já são um casal, surpreenda-a com uma viagem no fim de semana ou ingressos para um show diferente.

A influência da testosterona
Garotas têm desejo profundo por tipos aventureiros. Não podemos evitar babar por caras que fazem coisas viris e um tanto perigosas. Uma vez saí com um skatista profissional e, mais tarde, confessei a uma amiga que depois eu tinha procurado por ele no YouTube para admirar como ficava sexy em movimento. “Lembra do Greg?”, ela respondeu. “Era aquele motoqueiro. Fiz a mesma coisa”, completou. E não somos do tipo tiete. Culpe a biologia.

“A masculinidade está intensamente conectada à testosterona”, afirma David J. Ley, psicólogo americano. “Esse hormônio também aumenta a autoconfiança, faz com que o homem use mais e melhor as próprias capacidades”, explica Carrion. “O cara com mais testosterona passa a ela a ideia de poder levá-la mais longe na experiência como mulher.” Não quero reduzir o poder de sedução do bad boy a um hormônio, mas sabemos que mulheres acham o odor corporal do homem com alta testosterona bem atraente. “No tempo dos gladiadores, era comum elas recolherem suor masculino para guardar como afrodisíaco”, diz Carrion.

Você pode elevar seu nível de testosterona se metendo em brigas (algo não cavalheiresco, e típico do bad boy) ou por meio de exercícios físicos, política ou negócios (estratégias bastante sexy). “Homens que querem ter a masculinidade transbordando pelos poros, por assim dizer, devem tentar coisas como artes marciais, esportes competitivos ou até mesmo atividades com alta adrenalina como paraquedismo”, diz Ley. Tudo isso reforça sua autoconfiança. “Atividades assim estimulam a produção da testosterona. Mas, vale ressaltar, o que funciona melhor para isso é sair com elas para tentar transar”, diz Carrion.

O peso da genética
John Mayer sorriu para mim. É história verdadeira. Ele estava do outro lado do bar e me deu um sorriso. Só que agora sou inteligente. Quando uma revista de fofoca relata que John tem um novo brinquedo, eu e minhas amigas pensamos “Ela realmente acha que ele vai ser fiel?”. Mas aquele sorriso… Por um momento, reavaliei o homem como um cidadão honrado e futuro namorado. Segundo a sabedoria do falecido cientista britânico Charles Darwin, a mulher está inclinada a pensar que vale a pena acasalar com um cara de alto status mesmo que ele possa decidir não ficar com ela. Tendemos a preferir filhos fortes com um parceiro distante a uma prole fraca com um boboca dedicado.

Ao observar o bad boy, é fácil ver o que atrai a fêmea. Testosterona acima do normal, dominância social, destemor para correr riscos – tudo indica um sistema imunológico saudável. Em termos evolutivos, a mulher da caverna queria desesperadamente acasalar com espécimes fortes para dar continuidade aos próprios genes e segurança à própria vida. O homem mais fraco pode não ter sido capaz de assegurar recursos tão facilmente, então tinha um valor de acasalamento inferior. E morria primeiro.

Mais: “Tem sido demonstrado que elas tendem a se atrair por tipos bad boy quando estão ovulando”, afirma Christopher Ryan, psicólogo americano. Liberar certa agressividade no período em que a musa está ovulando pode dar certo… “Elas olham mais para homens doces e estáveis quando é menos provável que engravidem.” Felizmente, uma vez que John saiu do bar e que a música Your Body is a Wonderland parou de tocar na minha cabeça, o feitiço se quebrou…

A força da inteligência
Sim, em geral somos inteligentes o suficiente para superar instintos primitivos ao escolher um namorado, mesmo que um belo bad boy cause um curto-circuito temporário em nossos cérebros. “Mulheres que buscam uma relação duradoura dão maior ênfase às características do cara bom, como estabilidade e confiabilidade, que as que procuram relações curtas e casuais”, diz Amy. Seja o Brad Pitt do filme Thelma & Louise e a garota vai para a cama com você. Seja o Brad Pitt que cuida das crianças pelo aeroporto e ela vai amar você. Nenhuma mulher sã quer se estabelecer com um idiota.

Idiotas fazem os outros infelizes, riem de desgraças alheias e constrangem namoradas ao repreender garçons. Idiotas também são, a julgar pela minha experiência pessoal, ruins de cama, pois raramente pensam em levantar a cabeça e perguntar “Está bom para você?”. Estudo da Universidade Penn State (EUA) aponta que homens arrogantes dão orgasmos menos satisfatórios à mulher. Podemos fantasiar com Charlie Harper (Charlie Sheen), o f**** do seriado Two and a Half Men (canal pago Warner). Mas o personagem que nós, boas presas, queremos é Dylan (Justin Timberlake), do filme Amizade Colorida – ele é, digamos, o Cara Legal Certificado.

A pegada da maturidade
Eis a distinção: a garota legal – aquela que você gostaria de chamar de sua namorada – não aguentará o homem que não tem nada a oferecer além do gostoso charme de bad boy. Mulheres duras na queda que fogem de compromissos são as mais prováveis de se apaixonar por esse tipo de homem, segundo pesquisa de Peter Jonason, psicólogo da Universidade de Western Sydney (Austrália). “São garotas que, no passado, foram intensamente frustradas por alguém que admiravam ou amavam. Agora, evitam se fixar com alguém para não sofrer nova frustração”, diz Carrion. “Elas têm medo de escolher mal, por isso nunca escolhem.” Se você encarnar um bad boy, pode até pegar moças educadas, mas que podem precisar de anos de terapia.

Existe também a mulher que acha que pode lidar com o cara arrogante, que ele será bom para ela enquanto trata outras como lixo. “Há pessoas que, para se sentir vivas têm de desafiar sempre o perigo. A garota assim pode pensar `Ninguém conseguiu algo com ele, eu vou porque sou a melhor¿. Em geral, elas se ralam”, diz Carrion. Já namorei um cara assim. O arrogante pega a mulher menos madura: a garota imatura se atrai pela imprevisibilidade do bad boy. “Na moça mais jovem, a ideia de que esse cara é um desafio costuma fazê-la dar maior importância a ele”, diz Jonason. Essa não é A Mulher para você.
Sinceramente, espero que aquele cara que me seduziu no bar e, no dia seguinte, ligou a fim de me levar para jantar tenha reconhecido que eu não era suficientemente legal para ele naquele momento. Tenho certeza de que uma garota incrível, e então mais madura que eu, pegou esse novo cavalheiro. O cara audaz na noite e de boas maneiras à mesa é o sonho de toda mulher legal.

6 jeitos de não ganhar a garota
1 263 mulheres* dizem o que um parceiro legal jamais faz
1. “O cara que termina a relação dando o perdido (ignorando mensagens, e-mails) é babaca. Não tem colhão para dizer o que sente”, apontam 92%. Elas podem espalhar isso e dificultar sua próxima conquista…
2. “Se ele fala de novo comigo só uma semana depois do primeiro encontro? Penso que o cara quer só sexo. Se eu estiver gostando dele, isso me broxa”, apontam 84%. Está a fim dela mesmo? Mistério não cola.
3. “É muito deselegante ele comentar de outra usando termos como `gostosa¿. Isso é jeito de falar com os brothers, não comigo!”, bradam 81%. Nem sempre sinceridade é vantagem…
4. “É horrível ele mandar mensagens pelo celular enquanto está comigo. Só penso em me livrar do cara”, afirmam 68% . Foco, meu caro!
5. “Broxo se ele sempre chega meia hora atrasado. Isso é coisa de mal-educado”, dizem 54%. Acerte os ponteiros!
6. “Eu me irrito quando ele faz uma piada/ironia sobre um jeito meu, ou alguma coisa minha, e depois diz Calma, é brincadeira!”, afirmam 37%. Ok, não é a maioria. Mas é bastante mulher, certo? Melhor ficar ligado nisso aí também.


Fonte: Revista Men’s Health