Rondonópolis/MT,

Como perder a pança sem largar a boa vida?

Ninguém aqui vai ensinar fórmula mágica – mesmo porque ela, infelizmente, não existe. Mas dá para usar alguns truques (e bastante tecnologia) para continuar aproveitando os prazeres da vida sem aumentar a circunferência abdominal. Pergunte-nos como.

Se você se interessou pelo tema, presumo que é porque faça parte dos 60% de caras que se incomodam com o volume do abdômen, segundo constatou uma pesquisa exclusiva publicada pela VIP em agosto do ano passado. Você certamente gosta das boas coisas da vida e não quer abrir mão de prazeres como o chope com os amigos na tarde de sábado. Depois de tantas elucubrações, uma constatação: você está no lugar certo e tudo tem jeito nesta vida. Consultamos especialistas em diversas áreas para mostrar para você algumas formas de perder seu pânceps (ou de não permitir que ele aumente) sem deixar de lado a boa vida.

Bebidas
NÃO PRECISA DEIXAR DE BEBER NADA. BASTA SABER FAZER CERTO PARA NÃO VER O CINTO DA CALÇA MUDAR DE BURACO TODA HORA. APRENDA:
Um estudo publicado em um periódico inglês, o BMC Public Health, mostrou que pessoas que consumiam uma dose de álcool por dia tinham 54% menos chance de desenvolver obesidade do que as abstêmias. Cá entre nós: um copo só é pouco, não? Então faça o seguinte para minimizar os danos abdominais: beba dois copos de água a cada copo de chope que ingerir. “Além de hidratar, a água dá saciedade e não tem calorias”, diz a nutricionista Julia Vasconcellos, da Nutrição Corporativa. “E o fato de você não precisar parar de beber no meio do evento ou da happy hour já é ótimo para não diminuir sua animação.”

OLHO NAS CALORIAS
A nutricionista Julia Vasconcellos explica que a bebida que engorda menos é a que você bebe mais devagar – porque, claro, você ingere menos. Veja uma tabela com as calorias de cada uma. “intercale sempre com água”, diz. No caso da caipirinha, peça com adoçante (mas não deixe seus amigos ouvirem).


Relaxe e goze
De acordo com alguns especialistas, o stress é o grande vilão da gordura na pança. Acompanhe o raciocínio: vivemos sob muita pressão e não temos tempo para exercícios. Assim, ficamos a cada dia mais ansiosos – e comemos mais porcaria. Além disso, o stress eleva os níveis do hormônio cortisol, que aumenta as taxas de glicose no sangue. O organismo reserva esse açúcar todo na, adivinhe? Sua barriga. Para combater o stress, além de dormir oito horas por noite, faça atividade física – qualquer uma. Outro bom negócio é apostar na meditação.

Comidas
QUEM FOI QUE DISSE QUE QUEM ESTÁ PREOCUPADO COM A BARRIGUINHA PRECISA ABDICAR DE PRAZERES COMO O CHURRASCO? CARNE É PROTEÍNA – É SÓ EVITAR OS CORTES MAIS GORDUROSOS. CONHEÇA OS TRUQUES PARA APROVEITAR SUAS REFEIÇÕES SEM ESTUFAR AS CALÇAS.

Coma mais
Calma lá, não é para comer qualquer besteira. É para enriquecer seu cardápio com cálcio, que diminui a resistência à insulina e facilita a perda da gordura da pança, e fibras, que promovem a sensação de saciedade e beneficiam o trânsito intestinal. Fontes dessas substâncias: leite desnatado e seus derivados magros, brócolis, couve, couve-flor, frutas e cereais integrais.

Opções do boteco
Você pode comer no boteco, mas saiba escolher as melhores opções. Segundo Julia, há petiscos menos calóricos igualmente deliciosos: bruschetas, queijo de coalho, casquinha de caranguejo ou siri, sanduíche de pão árabe com queijos magros, pastel de forno integral e tábua de carnes magras ou de frango.

Larica noturna
Bobagem a história de não poder comer carboidratos à noite. Se bater aquela fome (e ela sempre bate), ataque um pote de iogurte com granola, torradas ou bolachas de água e sal e um chá de capim-limão ou uma pratada de banana com aveia. Sem peso na consciência.

Churrasquinho magro
“Além de escolher carnes mais magras, é possível colocar outros alimentos menos calóricos na brasa, como abobrinha, cebola, batata e banana”, afirma Julia Vasconcellos. A nutricionista indica as melhores opções.

Lombinho suíno (“Para não ressecar, depois de temperado envolva com papel vegetal e coloque papel-alumínio por cima. Ao final, retire-os para dourar um pouco.”)
Miolo de alcatra
Maminha
Espetinho de filé mignon ou de peito de frango
Kafta


(PSEUDO) MALHAÇÃO
Sim, exercícios aeróbicos são fundamentais. Mas não é disso que vamos tratar. Damos aqui dicas para, em momentos de ócio, em que vê TV, dar uma fortalecida em sua barriga.


Atenção na postura
Se você fica parado com os ombros projetados para a frente, todo torto, sua barriga fica mais proeminente. Por isso, tente manter ombros abertos e coluna reta. No computador, mantenha as costas apoiadas na cadeira e os pés no chão. E levante-se por dois minutos a cada 45 minutos.

Fortaleça os músculos
O preparador físico Flavio Settani, da Settcoaching, em São Paulo, ensina quatro posturas que vão provocar o chamado “emagrecimento mecânico”. “Você não perde gordura com eles, mas melhora sua postura de maneira que parece que emagreceu”, afirma ele. O melhor: você pode fazer tudo assistindo à TV:


Tecnologia
Levante as mãos para o céu e agradeça, porque a tecnologia não para de evoluir e há duas novas técnicas indolores antibarriga. Agora abaixe as mãos e enfie-as no fundo no bolso, porque os tratamentos não são nada baratos.

Criotermolipólise
A técnica alia o congelamento da pança, ou criolipólise, com o ultrassom. No primeiro, uma máquina “suga” sua barriga e a congela, eliminando entre 20% e 25% da gordura localizada com apenas uma aplicação (resultado final em dois meses). “Com o calor da radiofrequência do ultrassom, evita-se a flacidez”, diz a dermatologista Valéria Campos, de São Paulo. Em geral, 50% das células de gordura são refeitas. Com esse ataque total, de frio e calor, a destruição é mais eficiente. Em média, são necessárias entre duas e três sessões.
R$ 3 mil a sessão.

I-Lipo
O aparelho emite um laser que destrói as células de gordura. Estudos mostram redução de até 30% da espessura da camada de gordura na primeira sessão. Como ela fica fora da célula, você tem que fazer meia hora de exercício físico até duas horas depois de usar o aparelho. Assim, ela é transformada em energia e queimada – caso contrário, a danada volta a se alojar em sua pança. “A empresa que produz o equipamento sugere uma sessão por semana, durante oito semanas”, diz o dermatologista Adilson Costa, de São Paulo.
R$ 600 por sessão.

POR QUE PERDER A PANÇA
Se você virar piada na roda de amigos pela preocupação com a cintura, anote estes argumentos médico-científicos para dizer para a turma:

1. A gordura visceral fabrica substâncias que atrapalham funções do organismo e migra de lá para o fígado, que produz mais glicose. Ela também libera ácidos graxos livres, que impedem a ação correta da insulina e faz com que sobre glicose no sangue. Isso pode causar diabetes tipo 2.

2. Outra coisa que pode acontecer é reação em cadeia. Para eliminar todo o açúcar que corre no sangue, seu corpo produz muita insulina. Quando esse hormônio está em doses muito altas, o sistema nervoso entra em polvorosa, tentando ordenar mais contração dos vasos sanguíneos. Os rins, por sua vez, absorvem mais sódio. Está armado o cerco para a hipertensão.

3. Muita gordura em circulação significa muita molécula de LDL, o colesterol ruim. Ele pode se alojar na parede de um vaso, dando início a um processo inflamatório. Essa placa fecha o caminho para o sangue. Você pode ter infarto e derrame.

4. Alterações na pressão e nas taxas de açúcar são uma porta para casos de depressão. Sim, isso mexe até com a atividade cerebral, na medida em que os níveis de colesterol podem atrapalhar a síntese de neurotransmissores que regulam a sensação de bem-estar.

5. Por fim, mas tão horrível quanto (ou pior que tudo): a gordura visceral mais os altos níveis de colesterol e triglicérides causam a perda da ereção e do tesão. Isso porque provocam a queda da produção de testosterona, diminuindo o desejo sexual.


Fonte: Revista Vip por / Cláudia de Castro Lima | ilustração / Lorena Morais