Rondonópolis/MT,

Conheça os animais mais venenosos do planeta

No reino animal nem sempre os maiores saem ganhando. A briga evolutiva pela sobrevivência tornou possível assistir animais de poucos centímetros derrubando outros do meu e do seu tamanho. A grande sacada da natureza foi dar a esses animais a capacidade de produzir uma arma letal e que coubesse nos seus corpos: veneno.

Confira abaixo a lista dos 10 menores e mais perigosos animais do mundo:

(Foto: Wikimedia Commons)

10. Escorpião Amarelo da Palestina
O Escorpião Amarelo da Palestina (Leiurus quinquestriatus), amigavelmente chamado de “Deathstalker” (perseguidor de morte) habita ambientes de deserto e é um dos escorpiões de veneno mais danoso, que causa forte febre, convulsões, paralisias e até morte, dependendo da condição de saúde e idade da vítima (crianças e idosos são mais vulneráveis). Mede entre 5 e 10 centímetros e se distribui em regiões na África e Ásia. O veneno é formado por um composto de elementos neurotóxicos que não se configuram como letais por ser injetado sob baixas dosagens para o ser humano, mas que pode causar pancreatite e edema pulmonar caso a vítima seja alérgica.

(Foto: Norman Benton/Wikimedia Commons)

9. Cobra coral
Apesar de poder alcançar até 130 cm de comprimento, a coral é uma serpente que normalmente não cresce tanto e por isso é considerada de pequeno porte (e por isso está nesta lista). É uma das mais finas do gênero. São 61 espécies que podem ser encontradas em regiões como no sul da América do Norte, no sul da África, Ásia, Austrália, além das Américas Central e do Sul. Ela se alimenta de ovos e pequenos animais (aves, lagartos, roedores). Não é agressiva contra humanos, a não ser quando se sentem em perigo. Mesmo assim, em casos de picada, a carol libera uma neurotoxina que causa dor imensa, nâuseas, paralisa a vítima e atinge o seu sistema nervoso central. Se um humano adulto for picado e não receber o atendimento necessário, ele pode morrer em cerca de duas horas.

(Foto: Sylke Rohrlach/Wikimedia Commons)

8. Polvo-de-anéis-azuis
Assim como a cobra coral, este polvo esbanja um belo colorido, mas esconde o detalhe de ser um dos mais venenosos animais do mundo. O polvo-de-aneis-azuis (do gênero Hapalochlaena) habita o Pacífico próximo à costa australiana. Não mede mais do que 10 centímetros. Costuma viver escondido, camuflando-se, mas sempre pronto para faturar a refeição do dia, composta basicamente por pequenos crustáceos. No momento do ataque, o animal, que costuma ter coloração amarela ou marrom, “acende” seus aneis azuis e libera seu veneno mortal. Uma única carga tem capacidade de matar quase 30 humanos adultos em alguns minutos, afetando o sistema respiratório.

Aranha armadeira (Foto: João P. Burini/Wikimedia Commons)

7. Aranha Armadeira
Chamada de Phoneutria (Phoneutria nigriventer), palavra derivada do grego que significa "assassina", a Armadeira faz jus ao apelido. É reconhecidamente a aranha mais venenosa do mundo e, certamente, um dos animais mais agressivos, principalmente quando em perigo. Facilmente encontrada no Brasil, a Armadeira pode chegar, contando com a extensão das pernas, a 16 cm. Por aqui, ela é quem responde pela maioria dos acidentes com aracnídeos, superando as também pequenas e perigosas Aranha-marrom e Viúva-negra.
Sua aparência lembra a das tarântulas comuns – que, na verdade, são inofensivas, lentas e não possuem veneno –, mas se diferencia pela agilidade, pela valentia (quando em perigo, ela sempre enfrenta quem a ameaça), pelo poderoso veneno e pela postura de ataque ou defesa, na qual a aranha levanta suas patas dianteiras e se “arma”, salta e pica o atacante ou a vítima por diversas vezes. Por não construírem teia, costumam andar por aí atrás de uma casa temporária (daí o “wandering” do seu nome em inglês, que significa errante) se escondendo em cachos de banana ou dentro das casas, em sapatos, armários, etc.
Seu veneno, quando liberado, afeta o sistema nervoso e a vítima sente uma dor terrível, pode provocar taquicardia, aumento da pressão arterial, visão turva, vômito, diarreia, edema pulmonar e hiperglicemia. A vítima morre em cerca de uma hora. Curiosamente, um dos componentes do veneno causa um efeito embaroçoso para homens, que sofrem uma ereção que pode durar por mais de quatro horas. Caso sobreviva, a vítima pode ter problemas de impotência no futuro.

(Foto: Ian Norman/Wikimedia Commons)

6. Vespa caçadora
Chamada de vespa tarantula falcão, tradução literal de Tarantula Hawk, esse inseto chega a ter no máximo 5 cm e gosta de sair para caçar tarantulas três vezes maiores que ela. Só por isso, ela já merecia o nosso respeito. Mas tem mais. Em confronto, ela posiciona seu abdome com o ferrão embaixo da vítima e ataca. Seu opositor fica paralisado e se torna então um prato fácil. Mas aí vem a parte macabra. Essa vespa costuma depositar seus ovos dentro das aranhas, que por sua vez são carregadas e enterradas vivas. Em pouco mais de um mês, a cria da vespa fica pronta para vir ao mundo, mas antes as mini-vespas comem a aranha toda por dentro. “Que horror, mas tudo bem, eu sou não sou uma tarântula”. De fato, mas caso tope com uma algum vespa dessas algum dia dia, torça para não ser picado, porque segundo a escala de Schmidt (criada pelo cientista Justin Schmidt, que levou picadas de 150 animais diferentes para saber qual era a pior), a ferroada da Vespa caçadora é a segunda mais dolorida de todo o reino animal.

Foto: Addicted2Hymenoptra/Flickr

5. Vespa mandarina
Colocamos mais uma vespa no ranking por se tratar de uma espécie assustadora. Trata-se da maior vespa catalogada. É a atual causadora de 41 mortes na China, onde costuma ser encontrada, assim como no Japão. Sua picada libera um neurotóxico, que entre outras coisas, leva à morte danificando tecidos e causando insuficiência renal. A Vespa mandarina pode fazer viagens ininterruptas de até 100 km a uma velocidade próxima a 40 km/h. O ataque é normalmente feito em grupo e seus ataques costumam ter requintes de crueldade (para não deixar de usar o termo mais clichê sobre serial killers), já que não se contentam em atacar suas vítimas apenas uma vez. Ao encontrar um inimigo (ou um colmeia cheia de abelhas), as vespas liberam um feromônio que atrai todas as demais vespas para o massacre. Um dos chineses ouvidos no hospital após o encontro fatídico com o inseto, afirmou ter sido picado pelas vespas mais de 200 vezes.

(Foto: Marcel Burkhard/Wikimedia Commons)

4. Rã dourada
A rã dourada, ou Phyllobates terribilis, pertence à família Dendrobatidae, encontras nas Américas Central e do Sul, que se caracterizam por produzirem toxinas muito fortes liberadas pela pele. Trata-se da espécie dona do veneno mais letal, sendo uma carga suficiente para causar falência múltipla dos órgãos e a morte de até 10 homens adultos. As espécies Dendrobatidae possuem cores e formas diferentes, sendo que quanto mais forte a cor, mais poderoso e complexo o veneno. Só na rã dourada já foram identificados cerca de 100 toxinas diferentes. Esses sapos e rãs são também conhecidos pelo nome “poison dart frogs”, sendo “dart” a palavra em inglês para dardos ou setas, o que faz referência ao fato de muitos índios usarem o veneno desses sapos em suas flechas, tornando-as letais. Só por tocar em um desses animais, o veneno penetra na corrente sanguínea e vai direto para o sistema nervoso, causando paralisia e afetando o sistema respiratório.

(Foto: Geoff Gallice/Wikimedia Commons)

3. Formiga tocandira
Esta espécie de formiga tem uma infinidade de nomes. Em inglês, é “bullet ant” (formiga bala), cientificamente é Paraponera clavata, mas vulgarmente é conhecida como formiga-cabo-verde tocandira, tocanguira, tocanera ou tocantera. Todas estas últimas são uma derivação que vem do tupi tukã'di, que significa literalmente “fere muito”. Na lista das mordidas e picadas mais doloridas feitas por Schmidt, a tocandira lidera. Como uma pequena formiga tem uma reputação tão temida? Comecemos pelo fato de que para uma formiga, ela não é nada pequena. Seu tamanho varia de 18 a 30 mm, costuma ser preta ou avermelhada e está presente em países das Américas Central e do Sul. A dor dura por cerca de um dia inteiro e o neurotóxico liberado causa paralisia e afeta o sistema nervoso central. Há forte sensação de queimação, latejamento e náusea. A tribo Sateré Mawé, localizada no Amazonas, mantém um ritual de passagem para a maioridade, no qual o jovem deve vestir “luvas” repletas de tocandiras sem gritar ou expressar dor.

(foto: Richard Ling/Creative Commons)

2. Caracol do cone
Esse animal está tão alto neste ranking não só pelo seu grau de improbabilidade, mas pela relevância do seu veneno, considerado um assunto de segurança nacional (!). Esses caracois são uma das criaturas mais venenosas do mundo todo. São encontrados principalmente na Austrália e costumam se alimentar de peixes (inclusive os grandões). Como quem não quer nada, eles se locomovem sorrateiramente pelo solo marinho ou se enfiam em terrenos arenosos e esperam. Quando a vítima chega perto, ele aponta uma espécie de tromba que solta um harpão afiadíssimo que, por sua vez, libera o veneno, causando paralisia total e virando prato fácil. Nesse momento, o caracol abre sua imensa “boca” e engole o peixe inteiro. Mas não é só, se um desses bichos quiser pegar você, uma única pode ser mortal (em 70% dos casos, esse foi o final da história). Isso porque a toxina contém mais de 100 componentes diferentes, sendo que cada um tem uma função diversa. Juntas, são uma bomba.
O biólogo da Universidade de Utah, Baldomero Oliveira, coordena uma série de estudos sobre o caracol e seu poderoso veneno. "Estávamos tentando purificar os elementos que matariam pessoas e ficou claro que havia mais componentes no veneno do que pensávamos." Oliveira está autorizado a continuar suas pesquisas, mas o seu trabalho é devidamente acompanhado pelo governo americano, que teme o uso do veneno como arma bioterrorista.

(Foto: Guido Gautsch/Wikimedia Commons)

1. Vespa-do-mar Não, não se trata da terceira vespa da lista. A vespa-do-mar (Chironex fleckeri) é o nome dado (não por acaso) a este cnidário da classe dos cubozoários (em inglês, leva o nome de “box jellyfish”, por serem mais quadradões que as medusas). Dentre os pequenos listados, este é o mais perigoso. Seus tentáculos – que se estendem de 15 cm a 3 metros – podem causar queimaduras terríveis e seu veneno – injetado por pequenas “agulhas” formadas nos tentáculos – pode matar algumas dezenas de homens adultos em minutos. Desde que a Austrália, país do Pacífico onde mais se nota a presença do animal e mesmo por isso é o mais interessado em alertar sobre seu perigo, começou a contar (1884), o número de mortes relacionadas à vespa marinha já estápróxima de 100. A toxina causa primeiramente vômito, dor de cabeça, aumento do batimento cardíaco, consequente aumento da pressão sanguínea e dificuldade para respirar. Se for dar um mergulho na Austrália, a melhor dica é: tente não encontrar uma dessa.