Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Horário de verão: prepare-se e não sofra

Ajustar o relógio biológico aos poucos nos dias que antecedem a mudança ajuda o organismo a se adaptar com o novo horário que começa no dia 20 de outubro. Quem costuma sofrer com os efeitos do adiantamento dos relógios em uma hora, por causa do horário de verão, deve começar a se preparar agora, duas semanas antes do início da medida, marcada para o dia 20 de outubro. Segundo o especialista em transtornos do sono e professor adjunto da Faculdade de Medicina da Universidade de Brasília (UnB) Raimundo Nonato Delgado Rodrigues, a atenção deve ser redobrada para as crianças, idosos e para aquelas pessoas que não podem ter seu rendimento funcional reduzido durante o dia.

A dica é acordar 15 minutos mais cedo durante três dias, depois passar para meia hora durante mais três dias, depois para 45 minutos, até chegar a uma hora de adiantamento. “Isso vai fazer com que, ao chegar o horário de verão, você não vai sentir absolutamente nada de diferença”, explica.

Para o especialista, a mudança no horário é um atentado à saúde da população. “Eles tentam adiantar o horário para que se poupe energia, mas a gente nunca vê uma justificativa nem um relatório convincente ao final do período e a gente repara na quantidade de pessoas que sofrem ao acordar uma hora mais cedo”, diz Rodrigues.

O horário de verão, que nesta temporada vai até o dia 16 de fevereiro de 2014, vai valer para todos os estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. O Tocantins, que chegou a aderir no ano passado, foi excluído novamente este ano e a Bahia, que adotou o horário em 2011, também está fora da mudança.

No Brasil, o horário de verão foi instituído pela primeira vez no verão de 1931/1932 pelo então presidente Getúlio Vargas. A medida é adotada sempre nesta época do ano, quando os dias são mais longos por causa da posição da Terra em relação ao Sol e a luminosidade natural pode ser melhor aproveitada, reduzindo o consumo de energia nos horários de pico e evitando o uso de energia gerada por termelétricas, que é mais cara e mais poluente do que a gerada pelas hidrelétricas. Também no fim do ano há um aumento na demanda por energia, resultante do calor e do crescimento da produção industrial devido ao Natal.

Na última temporada (2012/2013), o horário de verão gerou uma economia de 4,5% no período de pico (entre as 18h e as 21h) nos estados em que foi implementado.

Aprenda a barrar o mau humor e a preguiça no horário de verão

Alimentos e hábitos ajudam na produção da melatonina e no controle do cortisol, hormônios que ‘enlouquecem’ por causa do adiantamento dos ponteiros do relógio. Entenda.

Ao adiantar uma hora os ponteiros dos relógios, o corpo humano pode sofrer alterações hormonais que influenciam diretamente no humor, cansaço e na preguiça. O motivo, explica o fisiologista Edson Bittar, é porque a produção de melatonina e de cortisol “enlouquecem”.

A melatonina, também chamada de hormônio do sono, é produzida nas horas de descanso. O fato de dormir uma hora a menos repercute nas reservas corpóreas da substância. Uma reação é o aumento da produção de cortisol, conhecido como hormônio do estresse, e por isso o humor também é afetado nos primeiros dias de vigência do horário de verão.

“Diferentemente de um relógio mecânico, o relógio biológico não é tão simples como dar uma volta no ponteiro”, afirma Bittar. "Nosso relógio interno é sincronizados com os relógios externos e com a luz do dia.

O horário de verão provoca uma desarmonia e algumas pessoas sentem os efeitos. A interação com áreas do sistema nervoso influencia na produção de melatonina e cortisol."

Por isso, a nutricionista Marina Capella orienta como sofrer menos com a mudança dos ponteiros do relógio externo. A dieta é tida como peça-chave neste processo e o segredo é apostar em alimentos que facilitam a produção do hormônio do sono. "A síntese da melatonina inicia com a serotonina. Os níveis de serotonina no cérebro estão relacionados com a ingestão alimentar de triptofano (aminoácido) e de carboidratos. Ácido fólico, vitamina B6 e magnésio também são essenciais nesse processo de síntese de serotonina", diz.

Veja quais são eles

Leite, banana, uva e suco de uva, cidreira, gergelim, hortelã, arroz, aveia, milho, cebola e cereja.

Já o endocrinologista Alfredo Cury, proprietário do Spa Posse do Corpo, orienta quais hábitos ajudam neste processo. Segundo ele, o ideal é:

- Deitar e levantar nos mesmos horários em que está acostumado. Não se deve aumentar o tempo de sono por conta da mudança;

- Durma de janelas abertas, nos primeiros dias do horário de verão, para que o corpo se acostume a acordar com a claridade;

- Tome bastante líquido, como sucos naturais e água de coco. A desidratação compromete a qualidade do sono e deixa mais difícil dormir ou acordar.


Fonte: Saúde/iG