Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Café verde: para emagrecer, queimar gordura e combater diabetes

A nova moda das dietas é apostar no café verde. O grão é muito mais poderoso do que o café comum e é extraordinário para ajudar a emagrecer e queimar gorduras, além de dar muito mais disposição. Contudo, também há o jeito certo de consumir para poder usufruir desses benefícios.

O que é

O café preto comum, consumido com frequência no Brasil, é feito a partir de grãos torrados. Antes de passarem pelas altas temperaturas, eles não tinham a coloração amarronzada tão conhecida, eram grãos verdes. Portanto, o café verde nada mais é do que os grãos que não foram submetidos a esse processo de queima. Sem passar pela torra, o café tem muito menos aroma e o sabor também é diferente, podendo ser mais amargo.

Benefícios do café verde

Segundo a endocrinologista Dra. Tatiana Cunha, o grão do café verde é mais potente porque tem duas vezes mais cafeína que o grão torrado. Essa propriedade faz com que ele entre no grupo dos alimentos termogênicos e emagrecedores de maneira mais efetiva do que o café comum. Isso porque a cafeína favorece a perda de peso, além de promover a oxidação de gorduras corporais e facilitar a sua eliminação. Já a disposição vem pela característica de inibir as adenosinas, substâncias responsáveis por induzir o sono.

Possui também uma alta quantidade de antioxidantes, que limpam as células e fazem o organismo funcionar melhor. Tatiana aponta: contém de 0,06% a 0,32% de teobromina, teofilina, taninos e flavonoides.. Tem ainda uma média de 15% de proteína, além de aminoácidos como ácido glutâmico, ácido aspártico e leucina.

No café verde há também duas vezes mais ácido clorogênico, presente em uma quantidade que varia de 5% a 10%. Ele diminui a absorção de glicose no intestino, inibindo assim a enzima responsável pela liberação de açúcares do fígado para a corrente sanguínea. Sendo assim, o café verde combate a diabetes.

Como consumir

Há algumas formas de encontrar o produto. A mais comum é em cápsulas de café verde, mas que não são completamente confiáveis, segundo Tatiana, já que nem sempre é possível saber o que realmente está adicionado à fórmula do comprimido. Além disso, ele não deve ser um suplemento, mas sim um alimento funcional. Por isso, o jeito certo é optar pelas versões em pó ou solúvel, encontradas em lojas especializadas.

A indicação geral para conquistar os benefícios é consumir 200 mg diariamente, dividindo em duas vezes: pela manhã e à tarde, já que à noite poderia causar dificuldades para dormir. Contudo, a endocrinologista alerta que essa não é uma regra aplicável a todos, já que cada organismo reage de um jeito. O certo é sempre consultar um médico antes de iniciar o consumo.

O uso é contraindicado para pessoas com hipertensão, tendência ao nervosismo, hipertireoidismo, gastrite crônica, úlceras gastroduodenais e problemas hepáticos e reumáticos.