Rondonópolis/MT,

Coisas que toda mulher deve contar ao seu ginecologista

Coisas íntimas a maioria das mulheres só compartilha com a melhor amiga. Contudo, mesmo que seja um pouco constrangedor, algumas situações ligadas à vida sexual precisam ser contadas ao ginecologista para garantir que ele faça os exames necessários e cuide adequadamente da saúde da mulher.

Em entrevista à revista norte-americana “Women’s Health”, a especialista Alyssa Dweck, coautora do livro “V is For Vagina”,  lista 10 coisas que toda mulher deve contar ao seu ginecologista.

Sexo sem camisinha
É muito importante usar preservativo em todas as relações sexuais. Contudo, se alguma vez a mulher fez sexo de maneira desprotegida, é importante comunicar o médico disso. Segundo a especialista, algumas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) são silenciosas e podem não apresentar sintomas por anos.

Orgasmo
Mulheres que não chegam ao orgasmo devem compartilhar isso com o ginecologista para que ele ajude a investigar as causas do problema.

Sangramento
Mulheres que sangram frequentemente depois da relação sexual também precisam contar isso aos seus ginecologistas. De acordo com Dweck, problemas no colo do útero e infecções podem resultar em sangramentos recorrentes depois do sexo.

Ciclo menstrual irregular
Desequilíbrios hormonais, infecções e cistos podem causar alterações no ciclo menstrual. Por isso é importante conversar com o ginecologista sobre mudanças no período menstrual, seja em datas ou sobre as características do fluxo.

Dor
Sentir dor durante o sexo não é algo natural e precisa ser relatado ao ginecologista. O problema pode ter várias causas, que serão tratadas com ajuda do especialista.

Abuso
Tema delicado, o abuso sexual também está na lista de coisas que devem ser contadas ao ginecologista. Com essa informação, o especialista poderá dar à mulher toda a assistência necessária para garantir que tudo esteja bem com seu corpo.

Cheiro ruim
Cheiro ruim na região genital geralmente traduz uma infecção ou desequilíbrio do pH, que precisa ser tratado com ajuda do ginecologista. Alterações no odor ou surgimento de corrimento suspeito precisam ser de conhecimento do médico.

Fertilidade
As mulheres que pensam em engravidar em um futuro, mesmo que ele não seja tão próximo, devem conversar sobre isso com seu ginecologista. Além de indicar hábitos que não prejudiquem a fertilidade, o especialista pode exames e indicar tratamentos específicos para esse fim.

Substâncias
O uso de suplementos, medicamentos e até mesmo de drogas, ilícitas ou não, deve ser compartilhado com o médico, pois algumas substâncias causam alterações no corpo feminino, principalmente durante a gestação.

Número de parceiros
É uma informação íntima, mas que deve ser compartilhada com seu médico, principalmente se a vida sexual estiver agitada. Mesmo que ele não pergunte, é importante contar ao ginecologista quantos parceiros a mulher teve ou mantém recentemente. Isso ajuda o médico a direcionar melhor o atendimento.


Fonte: Bolsademulher