Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Ervas: use e abuse no dia a dia

Elas são ricas em antioxidantes, anti-inflamatórios e ainda retardam e previnem algumas doenças, como diabete. Aliás, uma alimentação balanceada e rica em nutrientes e vitaminas necessita dos recursos delas. "Muitas ervas possuem um alto teor de vitamina C, mas não chegam perto das necessidades diárias com um ramo. Mas ela pode ser uma aliada. Incluir sabores herbários na sua dieta diária pode fazer uma grande diferença na sua saúde alimentar", contou a nutricionista Luciana Serra, da Nutrin (Americana-SP).

Ponha na mesa
Muito se fala do poder dessas plantas, mas pouca gente sabe como colocá-las no dia a dia. Elas podem ser usadas de várias maneiras, seja com folhas inteiras, moídas, secas ou frescas. Na decoração de um prato, conferem um efeito delicado e colorido.

As mais usadas em nosso cardápio são o alecrim, o orégano, o manjericão, a salsinha e a hortelã. Mas estimule a sua criatividade e adicione-as em temperos, saladas, omeletes, molhos, carnes, peixes, massas, bebidas e até mesmo sobremesas. Basta saber escolher o tipo certo.

Por outro lado, é preciso ter cuidado: o forte sabor de algumas ervas pode prejudicar um prato. É preciso respeitar as características e potencialidades de cada uma. E é claro, usar ingredientes de boa qualidade e procedência. "É preciso aproveitar o aroma da erva e dosar a quantidade certa. Para não errar, sugiro que a pessoa coloque pouco tempero em cada prato, deguste e, se achar necessário, coloque mais", explicou a personal chef Luiza Zaidan (SP).

Adeus, sal!
Muitos chefs de cozinha não consideram o sal um tempero, pois acreditam que ele não acrescenta sabor aos pratos, apenas incrementa o sabor natural, tornando-o mais discernível. As ervas, por outro lado, acrescentam sabor aos alimentos. Em dietas com restrição de sódio, é comum lançar mão das plantinhas para compensar a perda de sabor decorrente da diminuição do sal. Mas logo as ervas serão realmente substitutas para o sal. Existem estudos de uma planta que nasce próxima do mar, com o nome de salicórnia, e segundo os pesquisadores esse vegetal pode, sim, substituir o sal na alimentação por possuir sódio.

Receita de Tempero
SAL DE ERVAS SECAS
Ingredientes
- 1 xícara de chá de sal marinho
- 1 xícara de chá de orégano seco
- 1 xícara de chá de alecrim seco
- 1 xícara de chá de manjericão seco
Como fazer
Bata tudo no liquidificador e acondicione em pote de vidro bem seco com tampa. Utilize onde desejar, mas ele vai melhor em pratos quentes. No feijão, fica uma delícia!

Conheça um pouco mais sobre as ervas

SALSA
O que é: É uma planta aromática com duas variedades, uma tem as folhas lisas e sabor mais forte e a outra tem folhas crespas e aroma mais suave.
Benefício: Contém vitamina C, cálcio, ferro, potássio e também é rica em bioflavonoides, monoterpenos e outras substâncias anticancerígenas.
Utilização: Em quase todas as preparações, dentro e sobre as comidas, são usadas em sopas, saladas, molhos, carnes, marinados, entre outras.
Dica: A salsa crespa é utilizada na decoração de pratos e canapés. As folhas de salsa maceradas são indicadas para amenizar a dor de picadas de insetos, basta colocá-las sobre o local da picada.

ESTRAGÃO
O que é: Uma erva das mais aromáticas, típica da culinária francesa, possui as folhas verde-escuras e finas, com sabor adocicado e ao mesmo tempo levemente picante, podendo ser utilizada fresca ou seca. É conhecida também como erva-dragão.
Benefício: Ajuda a amenizar as cólicas menstruais, pois é rica em taninos e flavonoides, além de possuir ação diurética.
Utilização: Em molhos, picles, maioneses, cozidos de panela e marinados. Também é usada para aromatizar azeites e licores.
Dica: Pode ser utilizada como repelente de insetos.

TOMILHO
O que é: É uma erva que possui inúmeras variedades, mas comercialmente existem duas mais importantes, que são o tomilho-francês e o tomilho-limão. A planta chega no máximo a 30 centímetros de altura, com folhas pequenas e caules tortuosos.
Benefício: Tem ação diurética e é utilizada no tratamento de ferimentos e picadas de insetos por possuir ação cicatrizante e antisséptica.
Utilização: Em sopas, molhos de tomate, ensopados, marinados, carne de porco, para aromatizar azeitonas e para temperar carnes vermelhas, de frango e peixes. É um dos ingredientes do famoso bouquet-garni dos franceses.
Dica: Junto com cebola, alho e vinho é um excelente tempero para carnes vermelhas.

MANJERONA
O que é: Erva de origem europeia que pertence à mesma família do orégano, com folhas cinza-esverdeadas.
Benefício: Preparando-se um chá, ela ajuda no tratamento de reumatismo e todas as formas de artrite. Sua inalação ajuda a eliminar o muco nas gripes e resfriados, prevenindo sinusites.
Utilização: Por ter um aroma delicado, deve ser utilizada em elaborações rápidas ou no final da preparação, a fim de preservar todo seu aroma. Vai muito bem com carne de carneiro, aves, caças, peixes, moluscos e sopas em geral.
Dica: Na preparação do chá, utilize de um a dois talos da erva para cada litro de água. Faça a infusão, deixe descansar e coe.

CEBOLINHA
O que é: Planta de folhas tubulares pode chegar a 30 centímetros de altura. Pertence à família da cebola, porém com sabor mais suave e delicado.
Benefício: A cebolinha é rica em vitaminas A e C, além de ser estimulante digestivo e diurético.
Utilização: É utilizada em diversas preparações, como tortas, recheios, tempero de saladas, queijos fundidos, manteiga aromática, batatas assadas, omeletes, sopas e muito mais.
Dica: Salpique a cebolinha fatiada sobre sua sopa, salada ou carnes. Além de agregar mais sabor, irá melhorar a apresentação do prato.

MANJERICÃO
O que é: É uma planta da família da menta, com folhas verdes e flores brancas. Existe uma grande variedade desta erva algumas com folhas maiores, outras pequenas e ainda as que possuem folhas roxas.
Benefício: Antigripal, estimulante, tônico e antisséptico.
Utilização: Um dos principais ingredientes do famoso molho pesto, é muito utilizado em receitas que utilizam tomates, recheios, molhos, saladas e peixes.
Dica: Cultive-o sob sol pleno, em solo fértil, bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente. Pode ser plantado em vasos ou diretamente em canteiros adubados.

SALVIA
O que é: Salva ou sálvia, como é mais conhecida no Brasil, é nativa do norte da costa do Mediterrâneo e hoje difundida por toda cozinha europeia. Suas folhas são alongadas e de coloração verde acinzentada, um pouco ásperas e com flores azuladas. Possui um sabor sofisticado e é utilizada fresca ou seca.
Benefício: Além de estimular a digestão, é antisséptica e bactericida, sendo utilizada também no tratamento de enfermidades das gengivas, principalmente as inflamatórias.
Utilização: Por ser estimulante da digestão, acompanha muito bem pratos gordurosos, sendo utilizada em linguiças, carne de carneiro e cabrito, molhos e pães. Um prato bem conhecido é o tradicional saltimboca alla romana.
Dica: Utilizar ½ colher de chá para cada quilo de carne.

LOURO
O que é: Árvore de pequeno porte, com folhas verde-escuras e muito aromáticas. Pode ser utilizada fresca ou seca.
Benefício: Combate a prisão de ventre, pois tem efeito estimulante nas afecções gástricas e reumáticas.
Utilização: É um tempero muito utilizado em todas as cozinhas do mundo, principalmente na Itália e França. É utilizado para temperar sopas, peixes, carnes e preparações com miúdo de porco, além de condimentar feijão, feijoada, frango assado, entre outros.
Dicas: Use com prudência, pois se trata de um produto muito forte, sendo assim rouba facilmente o sabor dos outros ingredientes da receita.

HORTELÃ
O que é: A hortelã é uma erva mundialmente conhecida. As folhas são ovais e serrilhadas, de cor verde a arroxeada, um tanto pilosas e têm um forte aroma. De seu óleo essencial se extrai o mentol.
Benefício: É considerada excelente para tratamento de problemas estomacais, pois é digestiva, além de ajudar no tratamento de diarreias e dores abdominais.
Utilização: Muito utilizado na cozinha mediterrânea, em esfihas, tabules e carne de cordeiro.
Dica: As hortas domésticas merecem esta valiosa plantinha, que tem diversas utilizações, seja na medicina popular, seja na cozinha. Seu cultivo é fácil, pois ela é muito rústica.

ORÉGANO
O que é: Tempero típico da cozinha italiana. Nativo da região do Mediterrâneo, o orégano tem sido usado desde os tempos do Império Romano. Denominado a quinta essência da pizza, é também o aroma preferido na Grécia. Geralmente suas folhas são encontradas secas.
Benefício: Rico em ácido fenólico e flavonoides, o orégano é um antioxidante natural. Tem ainda propriedades antimicrobianas.
Utilização: Utilizado para temperar molhos a base de tomate, pizzas, aves, porco e peixe.
Dica: Muito saboroso quando utilizado em saladas a base de tomate.

ALECRIM
O que é: O alecrim é uma espécie arbustiva, muito ramificada, que pode alcançar 1,5 metros de altura. Seu nome científico Rosmarinus significa, em latim, "orvalho que vem do mar". Essa denominação foi dada pelos romanos devido ao aroma da planta, que vegetava espontaneamente em regiões litorâneas.
Benefício: Combate reumatismo, depressão, cansaço, gases intestinais debilidade cardíaca e ajuda na cicatrização de feridas.
Utilização: Pode ser acrescentado fresco ou seco a pratos de frango, porco, cordeiro, cabrito, vitela e caça, além de aromatizar azeites.
Dica: O alecrim é facilmente podado em diferentes formas. Quando cultivado em vasos, deverá ser mantido de preferência aparado, de forma a evitar o crescimento excessivo e a perda de folhas nos seus ramos interiores e inferiores, o que poderá torná-lo um arbusto sem forma e rebelde.

CALÊNDULA
O que é: Pertencente à mesma família das margaridas, a calêndula é originária da Europa meridional e se relaciona intimamente com o Sol. Curiosamente, essa flor abre suas pétalas assim que o Sol nasce e as fecha na hora em que ele se põe.
Benefício: Seus poderes são conhecidos há muitos anos: é um antisséptico e cicatrizante de primeira ordem, evitando infecções em ferimentos e escoriações.
Utilização: Pode ser usada em pães e massas de bolo, pois, além de dar um lindo colorido, o seu sabor é maravilhoso.
Dica: É importante esclarecer que, em excesso, a planta pode provocar depressão, nervosismo, falta de apetite, náuseas e até vômitos.

ERVA-DOCE
O que é: A planta é originária do Oriente e no passado era cultivada nos países do Mediterrâneo. Chega a atingir cerca de 60 cm de altura e possui folhas verde-claras. Quando a semente está madura, é cortada e debulhada. O bulbo também é comestível e as folhas podem ser utilizadas para chás.
Benefício: As sementes são indicadas para constipações estomacais e intestinais, cólicas, afecções das vias urinárias e azia.
Utilização: A semente é utilizada em bolos, pães e doces. O bulbo é muito utilizado em saladas.
Dica: É frequente o seu uso como aromatizante em molhos, conservas de vegetais, curtumes e outros preparados semelhantes. Usada em baixas concentrações, dá um aroma e sabor discretos, semelhante ao mentolado, mas mais suave e doce.

CAPIM-CIDREIRA
O que é: O capim-cidreira forma uma touceira densa. Suas folhas são longas, com bordas cortantes e de coloração verde clara. Devido ao aroma, é muito confundida com a erva-cidreira, embora em nada mais se pareça com esta planta. Contém grandes quantidades de óleo essencial citral, responsável por muitas de suas utilizações aromáticas e medicinais.
Benefício: É utilizada para o combate a insônia, nervosismo, cólicas, resfriados, gripes, mialgias, febres e infecções da pele.
Utilização: É bastante utilizada na cozinha asiática. Seus talos picados combinam com aves e peixes.
Dica: Suas folhas batidas com um pouco de limão resultam em um excelente suco.


Fonte: Mulher.com.br por Aline Sampaio