Rondonópolis/MT,

Casa própria: esse sonho pode virar realidade se você seguir essas super dicas

Ter uma casa própria está muito mais próximo do que você imagina! O sonho da casa própria é compartilhado por muita gente. De acordo com a pesquisa Global Entrepreneurship Monitor 2016, 46% dos brasileiros entrevistados tinham esse desejo.
Além de não precisar mais pagar aluguel, que provavelmente é o motivo que mais pesa nessa escolha, é incrível ter uma casa para chamar de sua, que você pode reformar, pintar e deixar do jeitinho que mais gosta.

Realizar esse sonho pode parecer algo muito distante, mas acredite, não é. Com planejamento, organização e força de vontade, as chaves da sua casa própria podem estar nas suas mãos muito antes do que você poderia sonhar!

1 - Organize suas finanças

Essa dica não serve apenas para quem quer comprar uma casa, mas certamente é uma das que mais fazem a diferença.

De acordo com uma pesquisa feita em conjunto pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 58% dos brasileiros nunca ou raramente separam um tempo para organizar sua vida financeira.

Isso é bem sério, já que muita gente não sabe exatamente quanto gasta e quanto recebe por mês, o que torna impossível fazer um planejamento, ainda mais para comprar uma casa, que precisa de um bom investimento.

Por isso, o primeiro passo é pegar um caderno, uma planilha ou um aplicativo e anotar quanto você recebe, quanto gasta por mês e com o que gasta, com a maior riqueza de detalhes possível.

Pode ser que você tome um susto por não imaginar que gastava tanto, o que ajudará a controlar os gastos e ter uma organização financeira melhor. Com isso, você já terá condições de começar um planejamento para conquistar a casa própria.

2 - Separe as despesas em fixas e variáveis

Esse é um conceito muito comum nas empresas, que dividem os gastos entre fixos e variáveis para ter uma organização melhor, e usá-lo em sua vida pessoal também pode render ótimos frutos.

As despesas fixas são aquelas que estão presentes todos os meses e que têm sempre o mesmo valor (ou com uma pequena variação), como aluguel, água, luz, telefone, convênio e escola das crianças.

Por outro lado, as despesas variáveis são aquelas que dependem do nosso consumo, não apresentam valor fixo e podem ou não estar presentes no orçamento, como cartão de crédito, viagens, lazer, transporte e cuidados pessoais.

Com essa separação, você já saberá qual valor sempre está no orçamento, não importa o que aconteça no mês, e qual pode variar para mais ou para menos de acordo com nossas decisões.

3 - Reserve uma parte do dinheiro para os imprevistos

Fazer a separação do passo anterior não quer dizer que todas as despesas variáveis deixarão de existir, mas sim que elas passarão a ser controladas para que no fim do mês, não sejam maiores do que você planejou.

Diferente do que algumas pessoas podem pensar, é quase impossível abandonar essas despesas, que estão mais relacionadas ao lazer e ao conforto. Não dá nem para imaginar passar um mês inteiro sem passear ou comer fora, o que inclusive seria muito ruim!

Por isso, para não abandonar o que você tanto gosta mas também não perder o controle do orçamento, defina um valor que pode ser gasto com as despesas variáveis e se esforce ao máximo para respeitá-lo.

No começo vai ser difícil, ainda mais para quem vinha de uma rotina financeira mais bagunçada, mas depois você se acostuma, pode ter certeza.

4 - Abra mão de certas escolhas

Se dá para ir de ônibus para o trabalho, será que precisamos ir de carro todos os dias? Afinal de contas, combustível, estacionamento e manutenção podem abocanhar uma boa parte do orçamento.

Esse é apenas um exemplo de escolhas que podem ser tomadas para economizar no final do mês. Elas podem impactar um pouquinho no conforto e na comodidade do dia a dia, é verdade, mas o esforço vale a pena.

Algumas dicas para gastar menos e, consequentemente, sobrar mais dinheiro na sua conta são as seguintes, com uma pequena simulação do valor que seria economizado por dia com a escolha, apenas nos dias da semana:

-          Deixar de tomar café na padaria e tomar em casa (R$ 4)
-          Levar marmita para o trabalho ao invés de comer no restaurante (R$ 20)
-          Ir de transporte público ao invés de carro (R$ 8)

Nenhum desses valores é absurdo, certo? Além disso, dos 22 dias da semana (na média) de cada mês, vamos pegar apenas 15 para o cálculo e deixar 7 para você não abrir mão do que gosta de uma vez por todas.

O café em casa já te faria economizar R$ 60 por mês, enquanto a marmita deixaria mais R$ 300 no seu bolso e o transporte público te pouparia de gastar mais R$ 120. O resultado: R$ 480 a mais por mês!

Some a isso trocar o plano da academia por uma academia ao ar livre (R$ 80) e deixar de pedir pizza todo sábado e pedir só 2 vezes por mês (R$ 70) e você já economizou R$ 480! Para completar R$ 500, é só maneirar naquele sorvete de sobremesa.

O mais legal é que você não abriu mão de tudo, já que ainda vai poder tomar café, almoçar fora e ir de carro para o trabalho de vez em quando, mas já são R$ 500 economizados por mês e R$ 6.000 economizados por ano, que podem ser usados para dar entrada na sua casa nova.

5 - Seja persistente

Mudar essas coisas na sua vida vai demandar persistência, e é importante que você se mantenha firme. Afinal de contas, é essa determinação que te ajudará a realizar o sonho de ter uma casa para chamar de sua.

Sempre que você quiser quebrar o planejamento, lembre-se do que te espera e de quão gostoso será deixar de pagar aluguel e ter uma casa própria, que parecia tão longe, mas pode estar a alguns passos de distância.

Caso você não consiga economizar quanto planejou em um mês, não fique triste, pois isso pode acontecer, mas também não desista do seu planejamento, pois todo o esforço será recompensado.

6 - Pesquise o mercado imobiliário

Enquanto estiver guardando seu dinheiro, não deixe de acompanhar o mercado imobiliário, saber qual é o preço médio de uma casa ou apartamento, as condições de pagamento, o prazo de entrega do imóvel e todos os outros detalhes.

A melhor opção para conseguir comprar sua casa própria é o financiamento, que permite um bom prazo para o pagamento. Lembre-se de que quando mudar para a casa própria você não terá mais que pagar aluguel, valor que pode ser usado para o pagamento das parcelas.

Ao se inteirar sobre o assunto, você já saberá como funciona o processo e poderá se preparar ainda melhor!

Alcance o sonho da casa própria!

Viu como ter uma casa própria é mais fácil do que você pensava? Com essas dicas, você conseguirá chegar lá muito mais rápido e vivenciar esse maravilhoso sentimento de realização.

Então, comece hoje mesmo com o seu projeto financeiro e colha os frutos que tanto deseja. Com um planejamento bacana e programas que facilitam a aquisição do imóvel, como o Minha Casa Minha Vida, seu sonho se tornará logo em realidade!