Rondonópolis/MT,

Tudo sobre cirurgia plástica


Muita mulher sonha em fazer aquela lipo, dar aquela esticadinha nas ruguinhas de idade, arrumar as orelhas de abano, dar uma levantada no nariz, uma aumentada nos seios e uma turbinada no bumbum.
Mas vamos pensar bem. Será que a plástica é pra você? Seus objetivos com a cirurgia são apenas ficar mais bonita? Rejuvenescer? Manter o casamento? Fazer inveja naquela sua amiga? Mostrar que tem grana? Desfilar na Sapucaí ou entrar pro BBB?
Pense bem. Muitas pessoas recorrem a cirurgia plástica pensando que melhorar a cobertura vai fazer o recheio do bolo ficar mais gostoso. Mas isso é uma ilusão. Uma triste ilusão.

Então, aqui estão dez passos para escolher um bom cirurgião plástico:
1. Não escolha um nome ao acaso. Converse com amigas ou parentes que tenham feito uma cirurgia estética. Pergunte como foi o atendimento pré e pós-operatório e peça para ver o resultado. Dificilmente um cirurgião plástico faz um excelente trabalho em uma pessoa e ruim em outra.
2. Peça a seu médico de família ou mesmo conhecido a indicação de um cirurgião plástico. Pergunte a ele quantos de seus pacientes foram indicados a esse cirurgião, e quais foram as impressões de retorno dos mesmos. Pergunte ainda se encaminharia um familiar dele a esse cirurgião plástico.
3. O próximo passo é conferir se o médico recomendado tem especialização em cirurgia plástica e está ligado à Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP).
4. Informe-se sobre a participação do médico em congressos e palestras, apresentação de trabalhos, publicações e o número de cirurgias realizadas.
5. Marque uma consulta com pelo menos dois médicos da sua lista. Assim você poderá comparar suas opiniões, condutas e honorários. A conversa pessoal com o cirurgião também pode mostrar se ele transmite confiança. Aproveite para deixar claro seus objetivos e esclarecer todas as suas dúvidas.
6. Na sala de espera da clínica é possível encontrar pacientes de pós-operatório. Procure saber se essas pessoas foram bem atendidas, além de perguntar se elas ficaram satisfeitas com os resultados da cirurgia.
7. Certifique-se de que o cirurgião é credenciado nos bons hospitais da cidade, mesmo que tenha a própria clínica e centro cirúrgico.
8. Informe-se se o médico é especializado em técnicas específicas para a área do corpo que você pretende modificar.
9. Tome cuidado com anúncios sensacionalistas que prometem resultados fantásticos, especialmente com fotos de pré e pós-operatórios e ofertas de parcelamentos de honorários. Segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, Luiz Carlos Garcia, os bons especialistas não precisam utilizar esses artifícios e zelam pela ética profissional.
10. Marque a cirurgia com o profissional de que tenha obtido boas referências e com o qual você tenha estabelecido um relacionamento de confiança e que transmita total segurança.

O bom cirurgião plástico deve…
* perguntar sobre suas expectativas, discuti-las com você e considerar as suas reações quanto às recomendações dadas.
* aconselhar pelo procedimento mais indicado para atingir as suas necessidades.
* responder todas as suas dúvidas numa linguagem absolutamente compreensível.
* dar informações sobre o procedimento que você deseja: o nível de complexidade, o tipo de anestesia, a internação, o repouso, as restrições na vida cotidiana, os cuidados em longo prazo.
* deixar claro os riscos envolvidos com a cirurgia e possíveis intercorrências e complicações.
* receber com naturalidade perguntas sobre sua formação, qualificações profissionais, experiência, honorários e formas de pagamento.
* deixar a decisão final para você.
* pedir todos os exames pré-operatórios, como o sangüíneo, o clínico, o cardiológico e até os raios-X do tórax.
* tirar fotografias da região do corpo que sofrerá a cirurgia.

Cirurgia plástica no pós-parto
Ter o corpo de antes da gestação, e quem sabe melhor, é o desejo da maior parte das mulheres. Para aquelas que têm na genética uma aliada e que levam a sério as orientações nutricionais durante a gravidez – em especial a de engordar 1 quilo por mês, a recuperação da silhueta ocorre em um período de 3 a 6 meses, especialmente quando amamentam. Mas, para a maioria, o processo pode ser um pouco mais longo. “E comum receber pacientes que desejam lançar mão da plástica pouco tempo após o parto. Ocorre que nessa fase o corpo passa por importantes transformações hormonais e adaptações orgânicas”, explica Dr. Wandler de Pádua, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.


O especialista é emblemático: a cirurgia deve ser realizada, no mínimo, entre 8 e 12 meses do nascimento do bebê, mesmo assim, se a paciente já estiver dentro de um peso próximo do ideal. “Vale sempre lembrar que plástica não é recurso para emagrecimento, mas sim, para propiciar maior harmonia estética”, comenta o médico. “E mais: a demanda deve partir sempre da própria paciente e não, de terceiros, como companheiro ou amigas”, complementa.


Entre os procedimentos mais procurados no pós-parto está a correção da mama, que pode apresentar flacidez por conta do grande aumento e diminuição de tamanho em um curto espaço de tempo. Além de corrigir a incômoda sensação de “queda”, os cirurgiões recebem com freqüência mulheres que querem realizar implante de silicone após experimentar volume maior dos seios. Esse é o caso da apresentadora Xuxa e de várias outras celebridades. “A plástica de mama deverá ser realizada aproximadamente 3 meses após o termino da amamentação”, esclarece o médico.


No quesito abdome, as gordurinhas localizadas podem ser enxugadas com a lipoaspiração. Já a flacidez, demanda a abdominoplastia – seja a versão clássica ou a chamada “mini”. Dr. Wandler ressalta que ao optar por qualquer procedimento, a paciente deve estar preparada também para o período pós-cirúrgico. “Em alguns casos, ela vai necessitar de repouso e cuidados especiais, como drenagem linfática. Uma cirurgia de mama, por exemplo, pede de 6 a 8 semanas sem levantar peso. Com um bebê em casa, isso pode ser um desafio”, explica.


Na prática do dia-a-dia, o médico faz sempre questão de ressaltar que embora a imagem pessoal seja importante para o bem-estar da mulher, ela deve vivenciar intensamente os primeiros meses de vida da criança. “Mãe e bebê necessitam de convivência, interação e trocas – aspectos fundamentais para a saúde de ambos. Por vezes é melhor aguardar um pouco mais para cirurgia plástica”, aconselha.

Cirurgia plástica mal-sucedida
A necessidade de fazer cirurgias plásticas para corrigir imperfeições já se transformou em realidade não só para as celebridades, mas também para as pessoas que nem sonham com o estrelato. Porém, muitas vezes, a admiração e a busca pelo corpo perfeito se transformam em pesadelo. Casos de pessoas que viraram verdadeiros monstros e chegaram a ter complicações, que culminaram em morte em casos extremos, são cada vez mais comuns.


Veja algumas que deram errado