Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Depressão: doenças e transtornos afetivos




DEPRESSÃO E SUAS DOENÇAS


Antes de você começar a ler este texto é importante saber que esta visão da depressão nada tem de técnica ou acadêmica, mas é o fruto de uma vivência profissional de mais de 20 anos e também de uma filosofia pessoal, uma visão própria que eu tenho do mundo e de vida. O estado de depressão fica caracterizado quando falta a pessoa energia psíquica para a realização de seus comportamentos, para a sustentação de seus sentimentos e pensamentos. 


Energia psíquica é aquela energia interna, anímica (da alma), que nos da à sensação de força, de animo, sentimento de capacidade de realizar tarefas e alcançar objetivos. A energia psíquica é algo que sentimos, mas não temos como medir de forma direta, embora os sintomas de sua presença ou ausência sejam claros e facilmente perceptíveis. Assim a pessoa que tem alto grau de energia psíquica está animada, disposta, tem força de vontade e boa vontade. Acima de tudo acredita na vida e em si mesmo, pois se sente internamente forte e capaz. 

Os sintomas da falta de energia psíquica são o desanimo, a falta de vontade, o sentimento de cansaço e de incapacidade de realizar as atividades, a irritação, os sentimentos de raiva, às vezes até a ira e principalmente o sentimento de culpa. A pessoa com depressão sente vontade de dormir, mas não consegue, fica preocupada o tempo todo, sempre achando que o pior vai acontecer.Chora com facilidade e é totalmente dominada pelo pessimismo. Todos estes sintomas são o resultado direto do mau funcionamento da mente em função da falta da energia interna ou energia psíquica. O primeiro conceito que você precisa incorporar então é o de energia psíquica, ou se você preferir energia mental, ou ainda força do espírito e de alma. Quanto maior e de melhor qualidade for a energia absorvida, menor a chance da pessoa ter depressão.


Denominação estranha, mas do que se trata?


 Como todos sabemos todos os comportamentos, sentimentos e pensamentos que temos provem do funcionamento da psique, da mente ou do espírito. A energia psíquica é o combustível para o bom funcionamento da mente. Não é um combustível que dependa só da quantidade, mas também da qualidade. É a energia que penetra em nossa mente e alimenta o seu funcionamento. Numa 1ª instancia a equação é simples, quanto mais energia psíquica a pessoa for capaz de absorver, melhor será o seu funcionamento mental, mais equilibrada ela será e menos suscetível a depressão ela será.. 


Mas em comportamento e funcionamento mental nada é tão simples assim. Primeiro como a pessoa pode obter ou absorver energia psíquica, segundo, a energia psíquica disponível é apenas algo externo a pessoa que independe de sua vontade e a falta da energia psíquica, é apenas uma decorrência de escassez de recursos naturais externos ao ser humano, ou depende da pessoa e da sua vontade, e como fazer para ter acesso a esta energia psíquica. É complicado, mas espero que você tenha paciência e acompanhe o raciocínio de forma lenta e gradual para poder ter uma compreensão mais profunda de questões tão delicadas como esta. 


Energia psíquica é um conceito meio etéreo que tem a ver com a nossa forma de ver, sentir, interpretar o mundo que esta a nossa volta. Olha só que coisa interessante, quanto mais achamos que as coisas do mundo, da vida externa a nós, nos favorecem, mais nos animamos, mais nos sentimos fortes e energizados, e vice-versa, quanto mais sentimos que as coisas estão contra nossa vida, mais prensados, pressionados e desanimados ficamos. Então entram 2 questões fundamentais. A 1ª é que de fato dependemos de recursos externos que alimentem a nossa energia interior, um mundo melhor, uma vida mais tranquila e harmoniosa alimentam a nossa mente de forma positiva e melhoram a nossa energia interior. Quanto mais tranquilidade, harmonia e paz exterior, maior será a energia psíquica que teremos para a realização de nossa vida, sentimentos, pensamentos e comportamentos. A 2ª questão é a maneira como interpretamos os fatos que acontecem a nossa volta. A interpretação dos fatos, a maneira como vemos eles dependem de nossa formação, de nossa educação, de nossa cultura, e principalmente de nossos desejos e ambições. 


Não é complicado de entender, quanto mais queremos as coisas para nós e entramos em contato com os fatos tendemos a nos sentir prejudicados, lesados, perturbados e que as coisas da vida não nos favorecem. Tendemos a nos sentir desanimados, injustiçados e ai vamos nos abatendo e perdendo energia psíquica. 


A vida e seus fatos não foram feitos para alimentar o nosso ego e vão seguindo o seu curso natural, algumas vezes somos beneficiados, em outras os fatos nos ignoram, e se a pessoa é egoísta, ambiciosa, apressada, perfeccionista e imediatista tem a sensação que os fatos estão contra ela. Estas 2 questões esclarecem a 1ª funcionalidade que regem o jogo da energia psíquica. Uma vida boa e tranqüila, cheia de amor, como diriam os poetas, é o principal recurso natural externo ao individuo que alimenta a nossa energia interior. Os nossos desejos, ambições, egocentrismo, vaidade, que regerão a maneira de como vemos os fatos poderão minar e principalmente enfraquecer a nossa energia psíquica. 

A lição então você já aprendeu, para aumentar o seu grau de energia psíquica você deve viver num ambiente harmonioso e de amor, e precisa ser pouco ambicioso e abrir mão de seu egocentrismo para não enfraquecer esta energia. 


Mas de novo as coisas não são tão simples em matéria de comportamento e mente. Quer ver só que complicação, quanto mais desenergizada a pessoa for, mais inadequado será seu comportamento, gerando mais instabilidades e evidentemente um ambiente mais desarmônico e menos energético, o que você já entendeu, vai desenergizá-la ainda mais. Eu falei, um verdadeiro circulo vicioso, que em 20 anos de profissão eu não sei responder ao certo. A pessoa entra em depressão, pois falta amor e harmonia a sua volta, ou falta amor a sua volta, pois ela tem pouca energia psíquica? A experiência profissional e pessoal me mostrou que esta pergunta é um verdadeiro Koan (enigma sem solução), mas que a verdadeira resposta não é importante de ser respondida. O que importa é que são coisas associadas, indissolúveis e o que importa é entender este funcionamento. 


E tem mais, tem o motor, que é o próprio cérebro. De nada adianta um carro ter excelente combustível e em grande quantidade se ele de alguma forma esta avariado. Se os neurotransmissores tiverem algum tipo de avaria (de origem genética ou outras), não só a energia não será bem absorvida assim como a sua utilização será feita de forma deficitária. 


DEPRESSÃO E TRANSTORNOS AFETIVOS


Quando se pensa em transtornos psíquicos logo se pensa no louco clássico, que queima dinheiro ou que pensa que é Napoleão, ou Deus.

Uma das áreas da psique que tem sido mais atingida e causado problemas é a área dos afetos.

Para quem não sabe a afetividade se divide em 3 sub áreas a saber: Humor, sentimentos e emoções.

Como em tudo que falamos se fala em transtorno ou doença quando estas áreas se encontram desequilibradas, exageradas ou escassas.


Destas 3 a que tem mostrado um aumento na incidência é a área do humor. Se você não sabe o humor também é conhecido como estado de espírito. Mostra-se através de nossos estados de animo. 

Quando o nosso humor esta em alta nos sentimos dispostos, animados, otimistas, acreditando na vida e em nós mesmos. Sentimo-nos fortes e capazes, a necessidade de dormir diminui, rimos com facilidade, ficamos bem humorados.

Quando esta alta começa a ficar exagerada o humor começa a ficar irritadiço, a impaciência começa a tomar conta de nós, nossa capacidade de relaxar desaparece e não aceitamos nenhum tipo de limite, estando dispostos para a briga e chegando as vias de fato com facilidade.

Como consequência os pensamentos eufóricos e idéias de grandeza tomam conta da nossa mente, gastamos o dinheiro com facilidade, sempre supondo que depois daremos um jeito em qualquer dificuldade que acontecer.

Quando o humor esta em baixa, sentimo-nos cansados e desanimados, uma sensação difusa de fraqueza toma conta de nosso espírito. Pensamentos angustiantes e pessimistas dominam a nossa mente. O movimento para enfrentar os problemas de vida diminui e a nossa autoconfiança cai.

Quando esta baixa fica exagerada os pensamentos negativos nos dominam, uma sensação permanente de derrota e de não acreditar na vida se acentua. Idéias de ruína, de fracasso começam a nos atormentar, possibilidades de doença e até delírios hipocondríacos.

Estas variações em nosso estado de humor fazem parte da fisiologia normal de nosso cérebro e de nosso comportamento. Quando ficam exageradas e acontecem com certa frequência são consideradas e tem nome:  “  Transtorno Afetivo Bipolar  ” .

Quando os exageros acontecem para o lado da euforia, da excitação o transtorno é chamado de mania (que nada tem a ver com as manias do TOC), que podem ser classificadas como leve, moderada e grave.

A pessoa portadora de Mania tem o exagero apenas nos estados de excitação, são pessoas hiper ativas e a sua incidência é relativamente rara.

Como os estados de humor são cíclicos o Transtorno Afetivo Bipolar que apresenta sintomas nos 2 extremos do humor é mais comum. 

Neste tipo de transtorno a pessoa tem episódios de mania e de depressão que podem se intercalar, ou mostrar o predomínio para uma das 2 polaridades.

E na outra ponta temos os estados depressivos onde o que predomina é a baixa do humor. 


Acredita-se que por volta de 15% da população tenha estados de animo depressivos importantes e dignos de tratamento.

Quando a pessoa não tem estados de animo exagerados porém crônicos e repetitivos, estes transtornos são classificados como distimias. Um dos estados mais comuns são os estados de mau humor que quando crônicos e persistentes devem ser tratados como se fossem estados depressivos.



Fonte: Ansiedade.com.br-Dr.Isaac Efraim