Rondonópolis/MT,

Lei da atração, realidade ou ficção?


“Os opostos atraem-se” é uma lei de atração, pelo menos quando está em pauta eletromagnetismo. Mas existem leis da atração entre duas pessoas? “Num mundo que está cheio de estranhos”, como um refrão numa canção qualquer da década de 80, existirá um conjunto bem definido de regras que permite que duas pessoas se enamorem uma pela outra?

A atração é uma questão de química?

Talvez. Segundo os cientistas, a atração entre os animais do sexo oposto é baseada apenas num componente químico chamado feromônio. Os efeitos dos feromônios no comportamento dos insetos são os mais estudados até hoje.

Foi observado, pelo menos em algumas experiências, que os feromônios são responsáveis pela comunicação entre as mesmas espécies e colônia de formigas.

O terrível odor liberado pelas doninhas para repelir os inimigos é dito ser um tipo de feromônios. Algumas espécies de símios esfregam urina cheia de feromônios, nos pés de potenciais companheiros para os atraírem. Alguns cientistas acreditam que os animais (geralmente, o sexo feminino), como os insetos e mamíferos, enviam estes sinais químicos para dizer ao macho da sua espécie que seus genes são diferentes dos deles.

Esta diversidade genética é importante para produzir prole com melhores chances de sobrevivência. A indústria do perfume tem capitalizado os feromônios como um meio para o aumento da atração sexual. Animais como a baleia e o almiscareiro foram caçados quase até a exaustão para a produção de produtos químicos que aumentassem o efeito nos perfumes.

Ultimamente, os cientistas têm estudado a existência de feromônios humanos e o seu papel na seleção de parceiro sexual. Existem muitas opiniões conflitantes na área de biologia, química, genética, e da psicologia. A maioria dos cientistas afirma que estas não desempenham um papel fundamental na atração sexual entre um homem e uma mulher. Mas novas pesquisas como a realizada por investigadores da Universidade suíça de Berna liderada por Klaus Wedekind estão fazendo com que grande maioria  destes cientistas repensem a sua posição.

A sua experiência envolveu mulheres durante a sua ovulação, elas cheiraram camisas de algodão de homens diferentes. Chegou-se á conclusão que as mulheres preferem o cheiro das camisas dos homens que eram geneticamente diferentes, mas que também partilhassem semelhanças com os genes da mulher. Tal como no caso dos insetos e de outros mamíferos, para garantir as melhores e mais saudáveis características para os seus futuros filhos.

Mas os investigadores também advertiram que a preferência por uma fragrância masculina seja afetada pela ovulação da mulher, os alimentos que os homens ingeriram, perfumes e outros produtos que intensifiquem o odor corporal do homem, e o uso de pílulas anticoncepcionais.

A personalidade influencia a atração sexual?

Sim, mas também a sua percepção da personalidade de um potencial companheiro. De acordo com uma pesquisa realizada por Klohnen, CE, & S. Luo, em 2003, sobre atração interpessoal e personalidade, o sentimento de segurança e a percepção da personalidade do seu parceiro foi considerado um fator determinante de atração em situações hipotéticas. 

O que é que isso nos diz? Que nós preferimos certo tipo de personalidade, o que  depois o atrai para uma pessoa.

Mas, além da real personalidade da pessoa, que só pode ser verificada através de uma estreita interação com o tempo, é a percepção da personalidade do seu potencial parceiro que atrai a ele / ela,  independentemente de a pessoa ter realmente ou não essa personalidade. E provavelmente já deve ter ouvido homens e mulheres desabafarem quando saem de um relacionamento falhado: “Eu sempre pensei que ele / ela era outro tipo de pessoa”.

Então como é que a atração figura nos relacionamentos?

Provavelmente já terá ouvido que a atração é um prelúdio, ou um fator para uma relação. Muito provavelmente será assim, pelo menos no início, mas a atração por si só não pode fazer uma relação funcionar. É a atração que faz com que você se aproxime de alguém, mas, quando começa a conhecer a pessoa mais intimamente, a atração é apenas mais uma consideração a ter em conta. A partilha de valores, sonhos, e paixões  tornam-se mais significativos em relacionamentos de longo prazo.

Então eu deveria parar de tentar tornar-me atraente?

Mais do que tentar tornar-se atraente fisicamente, deve trabalhar em todos os aspectos de sua saúde: física, emocional, mental e espiritual. A atração física ainda é um precursor. Lembre-se, a biologia predispõe-nos a escolher o parceiro com os genes mais saudáveis. Se as suas emoções estão em pauta, basta pergunta-se a si mesmo: deseja passar mais tempo com uma pessoa que se sente insegura? Provavelmente não! É de grande valor conhecer-se a si mesmo: quem é você, quais são as suas crenças, valores e sonhos. E não fingir ser alguém que não é.

Enganar outra pessoa, fazendo-a pensar que compartilha os mesmos valores e crenças só lhe irá causar decepções e tristezas. Quando se é saudável em todos os aspectos, a atração torna-se uma consequência e não um fim. Conforme mencionado na investigação de Klohnen e Luo, o sentimento de segurança conta bastante, talvez até além do atrativo. Mas lembre-se: faça todas essas coisas para si e não para outras pessoas. Só então poderá realmente aproveitar a sua atratividade.

Fonte: Bem-estar, Motivação e Desenvolvimento pessoal