Rondonópolis/MT,

A cada duas horas, uma mulher é morta no Brasil


No Dia Internacional da Mulher escolhi o tema da violência contra as mulheres para assinalar a data. Segundo dados do Instituto Avante Brasil, 100 mil mulheres foram assassinadas no Brasil de 1980 até o fim de 2012. Veja casos de violência que abalaram o país.

A advogada Mércia Nakashima desapareceu no dia 23 de maio de 2010. O corpo dela foi achado dentro de uma represa em Nazaré Paulista, no interior de São Paulo, no dia 11 de junho.  O ex-namorado dela, Mizael Bispo, é acusado de ter dado um tiro na vítima. Ele vai sentar no banco dos réus na próxima semana. 

A vítima faz parte de uma estatística que infelizmente cresce cada vez mais. Dados do Instituto Avante Brasil apontam que uma mulher é assassinada no País a cada 1h57m.

Também irá a julgamento pelo assassinato de Mércia Nakashima, o segurança de um posto de gasolina em Guarulhos, Evandro Bezerra. Ele foi visto com o Mizael no dia do desaparecimento da Mércia. O júri dele acontece no dia 29 de julho deste ano.

A modelo Eliza Samudio desapareceu em junho de 2010. Atestado de óbito diz que ela foi estrangulada na casa de Bola, amigo do goleiro Bruno com quem ela teve um filho. Bruno foi a julgamento esta semana. Ele foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pela morte da modelo. Macarrão foi condenado em novembro do ano passado a 15 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado e sequestro da vítima.

Em 2010, Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foram condenados pela morte da menina Isabella, ocorrida na noite de 29 de março de 2008. O pai, Alexandre, ficou com a pena de 31 anos. Já Anna Carolina, madrasta, recebeu pena de 26 anos. Ambos por homicídio doloso triplamente qualificado.

A estudante de administração Bianca Consoli, 19 anos, foi assassinada dentro de casa, na zona leste de São Paulo no dia 13 de setembro de 2011.  Segundo a polícia, ela foi atacada logo após o banho e houve luta corporal. O acusado pelo crime, o motoboy Sandro Dota, cunhado da vítima, vai a júri popular, mas não há previsão de data para que ele sente no banco dos réus.

Segundo o Instituto Avante Brasil, 100 mil mulheres foram assassinadas desde 1980 até o fim do ano passado. Uma professora no Recife passou a fazer parte dessa estatística em junho de 2012. Um garçom matou a mulher a golpes de barra de ferro  após uma discussão por ciúme. O acusado chegou a levar os restos mortais da professora em três sacos de lixo para casa da mãe dele que se assustou ao ver o corpo da nora esquartejado.

A universitária Lore Santana Vaz foi encontrada degolada dentro do carro em setembro do ano passado, em uma Rua de Santo André, ABC paulista. O ex-marido dela é acusado de ser o mandante do crime.

A servidora do Senado, Cristiane Yuriko Miki, 41 anos, foi morta com golpes de faca dentro do carro na BR-040, nas proximidades de Ouro Preto, Minas Gerais. O acusado é o ex-marido. Para a polícia, ele disse que se descontrolou durante uma discussão e atacou a mulher com facadas no pescoço.

A cabelereira Maria Islaine de Moares, 31 anos, foi assassinada pelo seu ex-marido dentro do seu salão de beleza no bairro Santa Mônica, região norte de Belo Horizonte em 2010. Ela foi morta a tiros. Câmeras de segurança instaladas no local registraram a ação.

Fonte: R7 notícias
Fotos: Reprodução/RedeRecord