Encontre no EC

Rondonópolis/MT,

Dormir é para os fracos


Claro que a gente não está pregando que pregar o olho não é importante. Mas, em certas ocasiões da vida, manter-se desperto é essencial. Os benefícios do sono profundo são vários – e in contestáveis. Ele auxilia nossa memória, mantém o vigor da pele e dos músculos, fortalece o sistema imunológico, melhora o humor e até ajuda a emagrecer. Só que há determinadas ocasiões de nossa vida em que temos de abrir mão dele (pior: às vezes, seguidamente). É o caso, por exemplo, daquele projeto importantíssimo da empresa que tem de ser terminado em cinco dias. Ou do Carnaval, em que nada está em jogo a não ser a sua diversão (quer coisa mais importante?). O boicote ao sono ganhou até um termo não científico: sonorexia. É por esse apelido que médicos se referem ao fenômeno das pessoas que abriram mão do descanso por livre e espontânea vontade.

Sabemos o quanto é difícil nos manter acordados. E atentos. Um estudo da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, mostra que pessoas que dormem pouco têm reflexos piores do que quem consumiu álcool. Conversamos com especialistas e fomos atrás de estudos recentes para você descobrir como varar noites aproveitáveis (sem que o “incontrolável” o pegue de jeito).

1 – Faça uma reserva
Sim, é possível “acumular” sono. Como? “Se você sabe que em determinada data precisará dormir menos, durma mais durante uma semana. É isso que navegadores fazem quando terão de enfrentar longos períodos acordados”, afirma a médica otorrinolaringologista Beatriz Lana, especialista em medicina do sono de São Paulo.

2 – Treine seu corpo
Se você não tem como fazer reserva, faça o oposto. Quando você sabe com antecedência que vai precisar ficar dias sem dormir direito, treine seu organismo para dormir cada vez menos. Tente dormir 20 minutos a menos cada noite. Você pode aumentar esse período com o decorrer das semanas, até chegar em algumas horas.

3 – Oito horas por noite? Bobagem
 “Isso é mito”, diz a médica Beatriz. “Algumas pessoas dormem seis horas e se sentem melhores do que quem dormiu oito.” Segundo a especialista, o que importa mais é a qualidade do sono (se você conseguiu atingir estágios mais profundos dele) e não a quantidade.

4 – Considere os ciclos
Estudos mostram que os ciclos completos do sono duram cerca de 90 minutos. Portanto, é melhor que você durma horas múltiplas desse tempo, como quatro horas e meia, seis horas, sete horas e meia ou até nove. Ser acordado no meio de um ciclo pode fazer com que você se sinta mais cansado.

5 – Organize seu sono
Se você tem apenas três horas para dormir, que elas sejam proveitosas. Para ter sono, o corpo produz um hormônio chamado melatonina quando a noite começa a chegar. Para ter uma maior produção de melatonina, deixe todo o seu quarto completamente escuro.

6 – Exercite-se
Está trabalhando até tarde da noite e não consegue mais ficar acordado? Caminhe por uns 15 minutos, nem que seja para descer e subir as escadas do seu prédio. Seu corpo ficará mais alerta depois da movimentação e você vai render mais.

7 – Dê minicochilos
Beba café e durma imediatamente por 15 minutos. Parece loucura, mas a Universidade de Loughborough, no Reino Unido, fez um estudo que mostra que, se você tomar uma xícara de café e dormir por 15 minutos, seu cochilo será muito melhor. A ideia é simples: você toma o café e vai dormir enquanto espera o líquido fazer efeito. Quando acordar, estará duplamente revigorado.

8 – Atenção à metade
Se você tiver que passar alguns dias dormindo pouco, os especialistas em sono recomendam que você durma, no mínimo, metade do que está acostumado. Isso para não sentir muito fortemente os efeitos da ausência de sono, como problemas de concentração ou reflexo.

9 – Cuidado com energéticos
Adeptos da sonorexia muitas vezes usam bebidas energéticas e até remédios para manter-se acordados. Só que isso pode causar um problema sério de saúde, como desmaios, convulsões, hipertensão e até surtos psiquiátricos.


Fonte: Revista VIP