Rondonópolis/MT,

Pimenta: ela ressalta sabores e enriquece sua receita! Saiba quando usar cada variedade


A função das pimentas não é queimar a língua! Veja quando temperar com uma ou outra

1. Pimenta-do-reino branca
É da espécie Piper nigrum, como a preta e a verde. Só muda o processamento. Após colhida, vai para a água corrente até a casca se soltar. Seca ao sol. Foi criada para temperar pratos de cor clara, segundo Nelo Linguanotto, da loja Bombay Herbs & Spices, em São Paulo.

2. Pimenta-do-reino preta
Considerada a rainha das especiarias, a versão preta é a pimenta mais utilizada no mundo. Colhida verde, é torrada até escurecer. Harmoniza bem com sabores fortes, como carnes vermelhas. "Mas pode mascarar ingredientes suaves", alerta Linguanotto.

3. Pimenta-do-reino verde
Usada seca ou em conserva, vai bem em carnes - é até estrela da famosa receita steak au poivre. "Seu sabor é suave, embora um tanto marcante", diz o chef Luis Fernando Perin, professor da Universidade Anhembi-Morumbi, em São Paulo.

4. Pimenta rosa
Fruto da aroeira, árvore da Mata Atlântica, não é bem uma pimenta. Nem tem gosto ardido. "Ela é aromática e adocicada", afirma Perin. Essa falsa pimenta é macia e bastante usada para decorar pratos. Sua suavidade casa até com saladas.

5. Pimenta-da-jamaica
Nativa da América Central, é bastante aromática e pouco ardida. Seu sabor, segundo os especialistas, lembra uma mistura de especiarias. Pode ser usada em marinados e combina com alimentos mais fortes, como carne de porco.

Fonte: Cláudia/Abril
Foto: Carlos Cubi