Rondonópolis/MT,

As religiões e seus monstros assustadores

A diversidade de religiões e crenças existentes pelo mundo é realmente fascinante. Cada uma possui suas particularidades, como divindades, formas e locais de culto, festas especiais, etc. Em última instância, representam a expressão da espiritualidade de um povo e por isso merecem ser respeitadas de forma idêntica, sem qualquer tipo de hierarquia entre elas.

Apesar de comumente serem associadas ao que é bom, grande parte das religiões admitem a existência do lado contrário, o máximo oposto, o polo negativo. Em muitos casos, esta manifestação do mal se dá na forma de seres macabros ou criaturas fantásticas que vagam pela Terra com a intenção de perverter, corromper e atormentar as almas boas e as ruins também.

1 – Xing Tian
Começando pelo outro lado do planeta, esse ser vem da religião e cultura popular da China. Contam que Xing Tian era um guerreiro gigante que serviu ao Imperador Yan. Em determinado momento histórico, Yan foi derrotado pelo Imperador Amarelo; ao ver aquilo, Tian ficou com o orgulho tão ferido que desafiou o tal Imperador Amarelo.

Na batalha, Xing Tian é decapitado pela espada do Imperador, que esconde sua cabeça. Ao invés de morrer, Tian volta a vida e começa a procurar a sua cabeça por anos e anos, em vão. Então, cansado de procurar por sua cabeça, Xing Tian fez nascer uma nova cabeça – em seu torço!
Os mamilos tornaram-se olhos e o umbigo virou uma boca. Nesta forma horrenda, Tian vagou esbravejando contra os deuses pelo seu desfecho trágico.

2 – Hundun
Essa criatura, que também vem da religião antiga da China, trata-se de um ser humanóide sem rosto e, às vezes, descrito como possuidor de alguns membros vestigiais, ou seja, basicamente um torso. Era conhecido como o deus do caos, favorecedor da perversidade e averso à bondade.

A história conta que o deus foi morto por dois outros deuses, Hu e Shu, que furaram o seu corpo criando orifícios para dar-lhe olhos, um nariz, uma boca, etc. Entretanto, o procedimento não deu certo e Hundun morreu dias depois.


3 – Nefilim
Segundo a Bíblia, havia gigantes que habitavam a Terra há muitos e muitos anos. Em Gênesis 6:1-4 tem-se uma passagem que menciona claramente a existência desses seres. O gigante Golias não era considerado um Nefilim, mas um descendente dessas criaturas. Alguns teólogos afirmam que eles eram o fruto da cópula entre anjos e humanas; outros afirmam que eles seriam os filhos de Caim. De qualquer forma, eles concordam que os Nefilins eram seres gigantescos, caracterizados pelo comportamento violento.


4 – Vetala
Essa criatura é um fantasma mencionado por várias religiões antigas do Extremo Oriente. Diferentemente de outros fantasmas, esse aqui não está preocupado em assombrar os vivos, mas os mortos! E qual o sentido disso? Quando um Vetala se apossa do corpo de um cadáver, ele para a sua decomposição e este “volta à vida”.

Se você pensou num zumbi, é quase isso. A diferença é que os Vetalas não estão a procura de carne humana e cérebros, eles apenas querem vagar na terra para atormentar a vida das pessoas.


5 – Rakshasa
Mais um exemplar das religiões ocidentais. Rakshasa não são exatamente demônios, que usam os seus poderes para atormentar os humanos. Eles são formalmente tidos como humanos malignos, pessoas más com amplos poderes mágicos capazes de mudar de forma e criar ilusões com sua magia. O que há de mais exato sobre essas criaturas é que eles possuem dentes e garras afiadas, além de se alimentarem de humanos para recarregar seus poderes.

Eles podem aparecer em todos os tipos de formas: bonito ou feio, maciços ou retardado, ou até mesmo em corpos de animais. O rei dos Rakshasa, Ravana, foi o pior de todos. Era dito que ele possuía dez rostos, dezenas de armas e excepcional astúcia.

6 – Preta
Pretas são seres advindos das religiões ocidentais como o Budismo, Hinduísmo e o Sikihismo. É comum nessas religiões que espíritos de pessoas más sejam punidos, mas com as Pretas isso ocorre de forma um pouco diferente.
É dito que as Pretas são espíritos de pessoas gananciosas ou invejosas em vida e que foram amaldiçoados pelo arma, sendo então condenadas a voltar ao mundo dos vivos dotados de uma fome e sede insaciáveis.

Logo, não importa o quanto comam ou bebam, suas necessidades jamais são saciadas. Pretas são descritas como tendo corpos muito magros, bocas pequenas e pescoços muito finos, o que dificulta a ingestão da comida. Além disso, são conhecidas por terem gostos estranhos e embaraçosos, como o de querer comer dejetos humanos.

7 – Azi Dahaka
Proveniente do Zoroastrismo, religião que já foi uma das religiões mais prósperas do mundo, mas que agora se concentra em áreas específicas como Paquistão e Índia, e que também possui seu rol de seres malignos.
Dentre eles encontramos a figura do Azi Dahaka, descrito como um ser semelhante a um dragão com seis olhos, três cabeças e três bocas – mas não há indicação de que essas partes sejam distribuídas uniformemente pelo corpo. Também possui mil sentidos como o de matar das serpentes e de outras criaturas venenosas e pode controlar as tempestades e trazer doenças.

Dahaka conhece todos os pecados do mundo e possui um papel de grande destaque no apocalipse zoroastra: dizem que neste período, ele comerá todos os animais da Terra e um terço de toda a humanidade.

8 – Djinni (ou Djinn)
Esqueça tudo o que a Disney te ensinou sobre gênios da lâmpada. As religiões que mencionam essas criaturas, as descrevem de forma bem diferente do imaginário infanto-juvenil. Em verdade, os Djinnis não concedem desejos, mas vivem em uma realidade paralela a nossa. São feitos de chamas e fumaça, ao contrário de nós, feitos a partir do barro.

Assim como os humanos, foram os únicos outros seres que receberam o livre-arbítrio, logo, possuindo capacidade de serem bons, maus ou neutros. Inclusive, Satanás seria um djinni chamado Iblis e que fora expulso do paraíso por Deus no momento que negou-se a se curvar perante Adão.

Não é a toa que os Djinnis sejam mais conhecidos por serem maus, sendo capazes de mudar de forma, de possuírem poder sobre o fogo e de serem imunes às armas humanas.

9 – Pishacha
Outro ser advindo das religiões do estremo oriente é o Pishacha, descrito como o espírito de uma pessoa que cometeu fraude, adultério, estupro ou algum outro tipo de crime similar; podem mudar de forma e até mesmo possuir um corpo humano, levando a pessoa a ter doenças físicas ou mentais.

São descritos como adoradores da escuridão, comedores de carne, dotados de pele escura, com veias protuberantes por todo o corpo e olhos vermelhos.

10 – Dybbuk
O Dybbuk é um ser proveniente do judaísmo e é descrito como o espírito de um pecador que não quer seguir seu destino pós-morte e resolve voltar à Terra habitando o corpo de uma pessoa viva e vivendo junto com ela pacificamente ou, como é mais comum, atormentando-a.

Dizem que eles não podem habitar o corpo de qualquer um, apenas daquelas pessoas que cometeram algum tipo de pecado. Então, a única forma de se proteger contra um Dybbuk é tendo uma vida correta.

Entretanto, caso se venha a “contrair” um desses espíritos, um rabino devidamente treinado pode ser capaz de exorcizá-lo.

11 – Abaddon
“Apollyon” é um dos nomes pelo qual Abaddon é conhecido.

A priori, Abaddon aparece nos textos judaicos como uma palavra que significa “destruição”; posteriormente, os textos cristãos se referem a Abaddon como um ser personificado.

Com denominações como “O Senhor do Abismo”, “Rei dos Gafanhotos” e “O Destruidor”, são vários atos creditados como obras deste ser.

De acordo com alguns textos, Abaddon era originalmente o anjo Muriel, que reuniu a poeira que formou Adão. Outros dizem que ele foi o anjo responsável por selar Satanás no inferno. Mas, ao que parece, ele não foi um anjo por muito tempo; nas escrituras, ele é posteriormente visto sentado num trono de vermes e liderando um exército de gafanhotos em forma de cavalos com rabos de escorpião.