Rondonópolis/MT,

Não deixe o videogame acabar com seu relacionamento

Cada vez mais adultos adoram os games, que podem até ajudar no seu relacionamento. O fenômeno está presente em todas as classes sociais: com o crescimento da geração nascida nos anos 80 e 90, é cada vez mais comum adultos continuarem jogando videogame. Apesar de normalmente isso acontecer com homens, há muitas mulheres que adoram se divertir com os jogos eletrônicos, cujo mercado tem ficado mais atento a este público. O problema é que, se os casais não tomarem cuidado, isso pode ser uma enorme fonte de desentendimentos...

Como evitar então que o videogame atrapalhe seu relacionamento? A primeira dica é se atentar para ver se o excesso de jogos não está prejudicando a vida a dois e o relacionamento do casal com outras pessoas. Querer ficar em casa tentando fechar uma fase é aceitável de vez em quando, mas não dá para deixar de ir à festa de um amigo, se alimentar mal ou acumular coisas do trabalho por conta disto. Cabe a vocês observarem quando o limite for rompido.

Jamais proíba seu parceiro(a) de se dedicar ao videogame. É um direito seu não gostar de jogar ou achar infantil, mas você tem que respeitar os gostos de quem está contigo. Coloque-se no lugar dele(a): você gostaria de ser impedido(a) de fazer algo que adora? Não, né? Caso perceba exageros, a solução é conversar, mostrando com argumentos que não está certo dar tanta atenção a uma diversão a ponto de ela se tornar um vício.

Negocie. Para quase tudo na vida, a melhor solução para impasses é estabelecer um ponto em que os dois estejam satisfeitos e este caso não é diferente. O casal pode, por exemplo, decidir a quantidade de tempo por dia ou por semana que o videogame ficará ligado. Porém, seja sensato(a) aqui: não adianta nada querer que ele(a) só jogue dez minutos por dia. Quem gosta, sabe que este tempo mal dá para se divertir.

Outro ponto de negociação são os valores que se gastam na aquisição de novos games e para fazer parte do sistema online que muitas empresas colocam à disposição para os usuários se enfrentarem.  Não é raro um jogo custar na faixa de R$ 200, então planejem o orçamento para a compra dos títulos que quiserem. Claro, desde que tenham acordado que este dinheiro deve ser gasto desta forma.

Que tal jogar com ele(a)? Pode até ser que você nunca tenha se aventurado ou há anos não se aventure neste tipo de diversão, mas saiba que o videogame pode trazer horas de entretenimento e uni-los ainda mais. Só tomem cuidado com a competitividade em jogos onde um enfrenta o outro, a ponto de até brigarem. De qualquer forma tente, pois você pode se surpreender!

Tendo você virado ou não um(a) fã de videogames, tenha sempre em mente que a paixão do seu(sua) amado(a) pelos jogos está longe de significar que ele(a) não tem ama mais. Trata-se de uma diversão como qualquer outra, não é nada pessoal. Há vários casais por aí onde um deles se diverte de montão desta forma e ainda consegue manter relacionamento sensacional.



Fotos: Thinkstock