Rondonópolis/MT,

Cachorro idoso: tudo o que você precisa saber sobre o seu cão vovô

Quando o cão chega à terceira idade, merece cuidados especiais e até uma visita ao geriatra – isso mesmo, geriatra! Os avanços da medicina veterinária preventiva têm feito com que a expectativa de vida dos animais aumente. Há uma década, com 6 anos os cães eram considerados animais de idade avançada. Hoje, graças a vacinas, tratamentos de última geração e alimentação de primeira, eles passaram a viver mais – e muito bem. Não é incomum se deparar por aí com bichos que já ultrapassaram uma década. E, para cuidar da maturidade deles, existe até veterinário especializado em geriatria canina. Saiba o que eles dizem sobre os cuidados com os cachorros velhinhos.

O que muda quando o cachorro fica mais velho?
“As visitas ao veterinário devem se tornar mais frequentes”, explica o veterinário Mário Marcondes, de São Paulo. Enquanto os cães mais jovens passam por avaliações anuais, os idosos precisam ter a saúde conferida a cada seis meses. Nessas consultas, exames de rotina para avaliar coração, rins, boca, olhos e conferir como andam os níveis de alguns hormônios são essenciais.

Quais são os problemas mais frequentes nessa faixa etária?
São quatro, e o melhor é que você pode prevenir a maioria deles ou, ao menos, evitar que avancem, diagnosticando cedo.

Alterações cardíacas: uma vida ativa e cheia de passeios faz muito bem à saúde cardíaca dos cachorros. Mesmo que seu animal tenha essa rotina saudável, com a idade não custa prestar atenção em sinais como tosse e respiração ofegante, que entregam doenças no peito.

Problemas ortopédicos: são mais diagnosticados em animais de grande porte, como labrador e rottweiler. Caso o quadro se agrave, com o tempo o bicho pode ter dificuldade para se levantar e se locomover.

Insuficiência renal: acomete com maior frequência raças de pequeno porte, como poodle e cocker spaniel. Com o envelhecimento, os rins deixam de funcionar como deveriam e acabam eliminando nutrientes essenciais. Se o animal perder o apetite, emagrecer rapidamente, passar a beber muita água e fazer xixi a todo momento, leve-o depressa ao veterinário.

Disfunção cognitiva: os cães com idade muito avançada às vezes sofrem de uma degeneração similar ao Alzheimer. Daí, se tornam lentos e distantes. O aprendizado e o treinamento que receberam ao longo da vida podem regredir consideravelmente.

Dá para passear numa boa com o cachorro idoso?
Claro! A recomendação é que ele seja levado para caminhar nos horários mais frescos do dia. E nada de forçá-lo a se exercitar além do seu limite.

Como deve ser a alimentação?
O conselho é dar preferência às chamadas rações seniores, adaptadas às necessidades nutricionais da maturidade. “Elas são ricas em ômega-3, zinco, proteínas, fibras e pobres em gordura”, afirma Cynthia Schoenardie, veterinária.

Quando os cães se tornam senhores
Aquela história de que 1 ano de idade do cachorro equivale a 7 de um ser humano não serve de parâmetro. O porte é o principal fator para estabelecer o início da terceira idade para os pets. “Cães pequenos, com até 10 quilos, só são considerados idosos aos 7 ou 8 anos. Já os maiores, que pesam entre 26 e 45 quilos, podem entrar na maturidade ao completar 5 anos”, ensina a professora Denise Schwartz, de São Paulo.

Dicas valiosas para melhorar a qualidade de vida do seu cão idoso.

1-Fique atento a qualquer mudança de comportamento do seu cão
Dar atenção ao comportamento é importante para todos os animais, mas duplamente para cães idosos. A mudança no comportamento do seu peludo pode ser um sintoma de doença. Atente-se para alterações no apetite e no consumo de água dele. Preste atenção em mudanças na urina, hábitos intestinais e alterações no sono.
Se ele começa a ficar irritado por qualquer motivo, pode ser que ele esteja com dores, tendo dificuldade em enxergar ou de ouvir corretamente. Se você notar alguma alteração, leve-o ao veterinário.

2-Facilite a locomoção e o acesso aos seus lugares favoritos
Esteja ciente de que o seu cão pode ter algum desconforto ou dor causada por problemas de artrite ou outros problemas de saúde que torna difícil executar um movimento que ele fazia quando era mais jovem.
Por exemplo, se o seu cão sobe na cama ou no sofá, considere fornecer uma rampa ou uma escadinha, para tornar mais fácil ele subir e descer do móvel. Carpetes em pisos escorregadios também podem ajudar ele a ganhar mais equilíbrio. Ajude-o também entrar e sair do carro.

3-Forneça uma cama bem confortável para ele
Utilize cobertores e toalhas macias. Isso irá ajudá-lo a ter um sono melhor.
Há ainda camas ortopédicas especiais feitas para cães idosos. Além de ajudar a atenuar o envelhecimento das articulações do seu cão, algumas camas ortopédicas podem ser equipadas com uma fonte que emite calor e vibrações, o que melhora a circulação do cão – são perfeitas para cães com artrite.