Rondonópolis/MT,

Cinema sul-coreano: 10 filmes que você precisa conhecer

cinema sul-coreano parece ter uma força própria - quem mergulha uma vez nele dificilmente sai inalterado e quase sempre volta para buscar outras experiências semelhantes. Nos últimos anos, filmes desse país têm chegado ao Brasil com mais facilidade, revelando histórias cheias de suspense, fantasia e sabedoria sobre as relações humanas e suas falhas.

Se você ainda não conhece esse cinema ou quer conhecer um pouco melhor, confira 10 filmes sul-coreanos para colocar na sua lista:

A Criada
É preciso se preparar para descobrir “A Criada”. Do mesmo diretor de “Oldboy”, o filme de duas horas e meia promete suspense, mas entrega algo mais próximo de um romance com reviravoltas vertiginosas, momentos de um humor patético e uma aura tão sensual que beira o erótico. A narrativa é dividida em três partes, recontando os mesmos eventos de diferentes perspectivas: uma mulher coreana é contratada para trabalhar como criada pessoal de uma japonesa rica, sobrinha de um coreano naturalizado japonês que está interessado no dinheiro da jovem. A criada, porém, também tem seus olhos no prêmio e, no final das contas, nada é exatamente o que parece.

Oldboy
Clássico de Chan-wook Park, “Oldboy” conta a história de um homem que, sem saber por quê, ficou preso durante 15 anos dentro de uma cela que imitava um quarto de hotel. Um dia, por um motivo igualmente misterioso, ele é libertado e então inicia uma caçada em busca da pessoa que o aprisionou. Se você gostou de “Oldboy”, experimente os outros dois filmes da chamada “trilogia da vingança”: “Lady Vingança” (2005) e “Mr. Vingança” (2002).

I’m a Cyborg (but that’s OK)
Se você quer mergulhar num lado menos conhecido do diretor Chan-wook Park, a dica é o fantasioso sci-fi com toques de comédia romântica “I’m a Cyborg (But That’s OK)”. O filme acompanha dois jovens internados hospital psiquiátrico: ela acredita ser um ciborgue e recarrega suas baterias usando um rádio, enquanto ele rouba a personalidade de outros internos e acha que está se esvaindo até, um dia, se transformar num ponto. Quando ela se recusa a comer, ele decide interferir e ajudá-la a se reerguer.

Expresso do Amanhã
Outro nome forte do cinema sul-coreano atual é Joon-ho Bong, que teve sua grande oportunidade no mercado internacional com “Expresso do Amanhã” – adaptação de uma HQ francesa com um elenco hollywoodiano que inclui Chris Evans, Tilda Swinton, John Hurt, Ed Harris, Octavia Spencer e Jamie Bell. O filme acabou sendo lançado diretamente em home vídeo no Brasil e foi pouco divulgado nos Estados Unidos, mas merece sua atenção. Ele se passa num futuro próximo no qual a Terra foi congelada após um experimento malsucedido para reduzir o aquecimento global, e os únicos sobreviventes são os passageiros de um trem autossustentável. Os vagões, porém, são divididos em classes sociais e, um dia, os passageiros da “cauda” decidem iniciar uma rebelião e atravessar toda a locomotiva até chegar ao “bico”.

O Hospedeiro
Cultuado e talvez mais conhecido do que os outros filmes de Bong, “O Hospedeiro” é um clássico filme de monstro, mas que traz uma perspectiva bastante humana. O foco está numa família que se mobiliza para resgatar uma garotinha quando um monstro emerge do rio Han e a sequestra.

Mother
Outro suspense psicológico imperdível de Joon-ho Bong é “Mother”, sobre uma mulher cujo único filho – um jovem de 28 anos extremamente dependente – é acusado de assassinar uma criança. Determinada a inocentar o filho mesmo quando a polícia encerra o caso, ela parte sozinha em busca da verdade.

O Lamento
Um filme estranho e hipnótico que vai agradar a quem procura algo realmente único, “O Lamento” narra o drama de um policial que investiga uma série de assassinatos brutais numa pequena comunidade. Aparentemente, eles são cometidos por pessoas comuns, tomadas por algum tipo de doença ou maldição que as transforma em animais raivosos, só para depois morrerem com feridas terríveis. Quando ele começa a desconfiar de um homem japonês que vive nas redondezas, sua filha é acometida pela doença e o tempo começa a se esgotar.

Invasão Zumbi
Outro filme que explora um gênero comum sob um ponto de vista mais humano é “Invasão Zumbi”. O filme acompanha um pai e uma filha que tentam se reaproximar após uma separação complicada. Ele é todo dedicado ao trabalho e não consegue se relacionar com ela; enquanto ela sente falta da mãe, que mora em Busan. Quando o aniversário da menina chega, os dois pegam um trem para fazerem uma visita, mas, justo nesse dia, o país é tomado por um surto viral de zumbis – e uma passageira contaminada embarca no trem..
.
Certo Agora, Errado Antes
Neste filme que brinca com a ficção e a imaginação, um diretor de cinema se prepara para dar uma palestra, mas chega à cidade um dia antes. Para passar o tempo, ele entra num palácio restaurado e conhece uma jovem pintora, com quem passa o resto do dia entre conversas reveladoras e encontros com amigos. E então... Tudo começa novamente.

Poesia
Uma senhora idosa lida ao mesmo tempo com um princípio de demência e com a irresponsabilidade do neto, de quem toma conta e que lhe retribui com indiferença. Quando o garoto é acusado, junto com os amigos, de provocar o suicídio de uma garota, ela encontra a força de que precisa para educá-lo e para seguir em frente entrando num curso de poesia.

Fonte: Guiadasemana por Juliana Varella 
Foto: Expresso do Amanhã (Snowpiercer, Joon-ho Bong, Coreia do Sul, Rep. Tcheca, EUA, França, 2013, 126 min) (Foto: Divulgação)