Rondonópolis/MT,

5 diferenças de cuidados entre gatos e cachorros


Todo mundo sabe que cães e gatos têm comportamentos bem diferentes - mas será que você sabe quais são os cuidados que cada espécie exige? Cães e gatos são os bichinhos de estimação mais comuns em todo o mundo.

No Brasil, as duas espécies fazem muito sucesso: de acordo com uma pesquisa do IBGE, são mais de 52 milhões de cães e 22 milhões de gatos, o que faz do país o quarto com maior população de animais domésticos do mundo.

O prazer e o amor que um pet pode proporcionar a um lar são razões consideráveis para o Brasil estar nessa posição no ranking. Cada vez mais pessoas buscam um pet para fazer companhia, mas muita gente não sabe que cães e gatos precisam de alguns cuidados diferenciados.

Por isso, antes de adotar um desses bichinhos, que tal conferir quais são as principais diferenças na hora de cuidar dos caninos e dos felinos?

Higiene

Esta é uma das principais. Normalmente, os felinos fazem a higienização dos seus pelos diariamente ao se lamberem - é o famoso “banho de gato”! Por isso, alguns gatos tomam banho apenas com intervalo de meses para retirar pelos mortos.

Já os cachorros costumam tomar banhos com mais frequência. A recomendação geral é de que os peludos tomem banho uma vez por semana ou a cada 15 dias - isso pode variar de acordo com a pelagem do pet, assim como a orientação veterinária.

Apesar de as duas espécies serem bastante higiênicas, os gatos são mais autônomos. Ao ver uma caixa de areia, o gatinho a reconhecerá como o local de fazer suas necessidades. Já os cães precisam de mais atenção neste quesito: é preciso ensiná-los a fazer as necessidades em apenas um lugar para evitar o instinto de demarcar território pela casa inteira.

Lazer e passeios

Independentemente de ser um cãozinho ou um gatinho, é importante que seu pet se mantenha ativo, feliz e entretido. Isso ajuda a evitar uma série de complicações como obesidade e ansiedade, além de reforçar os laços do bichinho com seu dono.

Cachorros gostam muito da interação com os humanos. Por isso, brincadeiras como jogar bolinha e cabo de guerra são sempre muito bem-vindas. Cães também adoram passear: é neste momento que eles podem liberar seus instintos e interagir com outros pets. A recomendação é que o cão passeie pelo menos duas vezes por dia.

Gatos também são bastante ativos e gostam de brincar. Um item barato e que é um dos favoritos dos felinos é a caixa de papelão: eles passam horas se divertindo! Bolinhas e arranhadores também são interessantes para esse pet.

Ao contrário do que muita gente imagina, também é possível passear com gatos. Mas, antes de tudo, é preciso fazer a adaptação do felino: deixe que ele se acostume à coleira peitoral e à guia e garanta que os passeios sejam curtos e em locais tranquilos. Se perceber que seu gatinho está com medo, não insista e retorne para sua casa.

Alimentação

Cachorros e gatos têm anatomias e necessidades diferentes e, por isso, a alimentação de cada espécie deve ser diferente também.

As rações de gatos são mais concentradas que as de cachorros pois eles possuem um intestino menor, que faz com que a digestão do alimento seja mais rápida. A quantidade de alimento dependerá do porte de cada animal e das recomendações veterinárias.

Apesar de serem carnívoros, cachorros podem sobreviver apenas com alimentos vegetais, caso seja necessário. Já os gatos são essencialmente carnívoros, ou seja, o consumo de proteína animal é fundamental para a alimentação dos felinos.

Além disso, cães são mais resistentes e podem ficar em jejum em intervalos maiores de tempo - não há problema em alimentar seu cãozinho na hora de acordar e depois de voltar do trabalho, por exemplo. Já o longo jejum pode desenvolver complicações no fígado dos gatinhos, podendo até mesmo ser fatal.

Saúde e vacinação

Na hora de adotar um pet, lembre-se que a saúde dele deve ser prioridade. Por isso, é importante se manter em dia com a vermifugação e com as vacinas. Sempre lembrando que apenas um veterinário deve aplicar as vacinas no seu pet, seja um gatinho ou um cachorrinho.

O ciclo de vacinas para cães começa por volta de 45 dias de vida, quando ele deve ser imunizado contra doenças como giárdia, cinomose, parvovirose, entre outras. Enquanto o cachorro é filhote, ele deve seguir um ciclo de vacinação mais intenso. Na fase adulta, o cão deve tomar as vacinas para evitar raiva, giárdia, bronquite e V10.

As vacinas mais importantes para manter os gatinhos saudáveis são a vacina polivalente e a vacina antirrábica, que previnem contra doenças como panleucopenia, rinotraqueíte e calicivirose. Em gatos adultos, ambas são tomadas em uma dose única, pois eles já têm o sistema imunológico formado. Lembre-se que os bichanos também devem tomar a dose anual da vacina contra a raiva.

Castração

A castração é extremamente importante, tanto para cães quanto para gatos. Em ambas as espécies, trata-se de um procedimento simples e seguro, sem grandes riscos para filhotes e animais mais jovens. Lembre-se que ainda é uma cirurgia, que deve ser realizada por um médico veterinário de confiança.

A castração ajuda a prolongar a vida do bichano, além de auxiliar na diminuição de alguns tipos específicos de câncer.

Assim como o procedimento para felinos, a castração de cachorros também é amplamente recomendada. Além de auxiliar no controle populacional, a castração deixa os cães mais calmos e saudáveis para viver em harmonia e por muito mais tempo com você.