Rondonópolis/MT,

A pele dos 20 aos 60 anos: 3ª parte 40 anos

Para manter uma pele bonita e saudável é preciso apostar em prevenção ao longo do tempo. Isso envolve limpeza, hidratação e proteção solar. Veja a rotina de beleza, tratamentos e como usar o protetor solar em todas as fases.

Atitude aos 40
O momento pede que você mude as estratégias - leia-se usar mais cremes e em concentrações mais altas, além de aumentar o FPS do protetor - para combater inimigos de peso, como manchas de sol, queda dos hormônios e flacidez.

Proteção de dia, ácido de noite
Nessa fase da vida, a pele revela quem usou protetor solar direitinho, abusou do sol, está se aproximando da menopausa, fez tratamento estético ou relaxou com o cosmético. "Aos 40 anos, é raro encontrar alguém sem nenhum dano causado pelo sol, como manchas, rugas, vasinhos ou flacidez. Mas os sinais são bem mais intensos em quem não tomou os cuidados adequados", diz a dermatologista Doris Hexsel, de Porto Alegre. O sol não é o único vilão: a queda natural dos hormônios femininos contribui para a perda do viço, da hidratação, firmeza e elasticidade. "As rugas de expressão também ficam mais evidentes. Afinal, são quatro décadas sorrindo, franzindo a testa, fazendo biquinho e cara de brava", lembra a dermatologista Flávia Martelli, de São Paulo. A boa notícia é que todos esses sinais podem ser minimizados. O primeiro passo é usar sabonete, tônico, hidratante, creme para a área dos olhos e protetor solar toda manhã, nessa ordem. À noite, alterne creme firmador e ácido retinoico ou glicólico para combater a flacidez e estimular a renovação celular, respectivamente. "Uma vez por semana é importante fazer também uma esfoliação para eliminar células mortas e, a cada seis meses, aplicar toxina botulínica para suavizar rugas e vincos", conta Flávia Martelli. Para completar o ritual de cuidados, invista num cosmético para o contorno dos lábios, já que a região tem poucas glândulas sebáceas e, por isso, apresenta maior tendência ao ressecamento e aparecimento de linhas finas. Os mais recomendados são os produtos com elastina, que auxilia na sustentação da pele; vitamina E, por ser um excelente antioxidante; e ácido hialurônico, que favorece a hidratação. Se ainda não incorporou hábitos saudáveis, como seguir uma dieta equilibrada, não fumar, dormir bem e ingerir bastante líquido, o momento é agora - isso pode ser decisivo para manter a pele saudável e com aparência mais jovem pelos próximos anos!

Apague as manchas de sol
Para clarear os sinais castanhos e evitar que eles tornem a incomodar, é preciso apelar para tratamentos potentes ou até mesmo associá-los.

Cosmético clareador 
A combinação de fluocinolona acetonida a 0,01%, hidroquinona a 4% e tretinoína a 0,05% serve tanto para clarear progressivamente as manchas quanto para evitar que elas voltem a aparecer. "Esses ativos são mais poderosos do que os indicados aos 20 ou 30 anos. Por isso, não podem ser prescritos para grávidas e obrigatoriamente devem ser associados a um filtro solar com amplo espectro e FPS 60, no mínimo", avisa a dermatologista Flávia Martelli.

Número de aplicações - Uma vez ao dia (de preferência à noite) por, no mínimo, oito semanas.

Luz intensa pulsada 
É indicada para quem, além de clarear as manchas, quer combater as rugas e a flacidez. Isso porque a energia tem a capacidade de aquecer e destruir o pigmento e estimular a produção e a contração do colágeno, tudo ao mesmo tempo e sem provocar dor. No lugar das manchas, surgem casquinhas, que caem em sete dias.

Número de sessões - Varia de quatro a cinco, sendo uma por mês.

Laser fracionado 
O tratamento é, literalmente, uma luz no fim do túnel para mulheres com mais de 40 anos que já tentaram apagar as manchas com cremes clareadores e peelings superficiais sem sucesso. Funciona assim: o laser desativa os melanócitos, que são as células produtoras da melanina, e faz microperfurações no rosto, que estimulam o surgimento de uma pele novinha em folha, sem manchas ou flacidez. "Como o laser não destrói 100% o tecido, as reações como descamação, vermelhidão, ardor e formação de crostas são mais leves e a cicatrização é acelerada", explica a dermatologista Doris Hexsel.

Número de sessões - Varia entre três e quatro, com intervalos de um ou dois meses entre elas.

Alimentos da juventude
Aos 40 anos, o ideal é investir em itens que, além de proteger as células contra o stress, a poluição e os radicais livres, garantem o bom funcionamento delas.

Frutas vermelhas 
Apesar de pequenos, uva, açaí, acerola, jabuticaba, morango, cereja e framboesa trazem doses generosas de vitamina C e fitoquímicos, como antocianina e licopeno. Juntos, esses ativos combatem os processos inflamatórios que destroem as células e aceleram o envelhecimento.

Quanto consumir - 2 porções por semana, sendo que cada uma equivale a 15 uvas ou 10 morangos ou 10 cerejas ou 1 polpa de açaí.

Folhas verde-escuras 
A lista de benefícios das verduras é extensa. Mas, para as mulheres maduras, basta saber que elas são fonte de betacaroteno, substância precursora da vitamina A que está envolvida na renovação celular, na manutenção do colágeno e cuja carência pode deixar a pele opaca e ressecada. "O consumo regular dessas folhas ainda ajuda a repor os níveis de cálcio e magnésio, que combatem a flacidez", diz a nutróloga Tamara Mazaracki, do Rio de Janeiro. Não gosta de couve? Tudo bem, dá para trocar por espinafre, bertalha, agrião, rúcula, escarola...

Quanto consumir - 2 porções diárias, sendo que cada uma equivale a 1 xícara da verdura crua ou 1/2 da cozida.

Azeite de oliva extravirgem 
Um trabalho publicado no International Journal of Cosmetic Science mostrou que a oleuropeína, um dos 30 compostos fenólicos presentes no azeite, deixa a pele mais resistente à radiação ultravioleta e evita a perda de água. "Já está comprovado também que a vitamina E e o ômega 9 encontrados no óleo favorecem a hidratação e a nutrição celular e afastam os radicais livres", diz Tamara.

Quanto consumir - 2 colheres (sopa) por dia.

Acerte no protetor solar
Tratamento para manchas de sol e filtro solar têm que andar de mãos dadas; senão, você corre o risco de perder tempo, dinheiro e, pior, agravar o problema. "Como o despigmentante atua de forma lenta e gradativa, sua ação pode ser facilmente anulada pela radiação ultravioleta", avisa Doris Hexsel. Para as morenas e negras que já entraram para o time dos "enta", a dermatologista recomenda usar no dia a dia FPS 20 e, para as mais branquinhas ou que mancham com facilidade, 60. A reaplicação deve ser feita três vezes ao dia, religiosamente. "Agora, quem vai para a praia e está fazendo sessões de laser ou usando algum creme clareador em casa tem que adotar um filtro com FPS 50, 60 ou até mesmo 100, dependendo do tipo de pele, e aplicá-lo de duas em duas horas", completa Flávia Martelli. Por garantia, escolha um produto que traga no rótulo a inscrição "muito resistente à água" - de acordo com a legislação brasileira, eles protegem durante 80 minutos, o dobro do tempo dos "resistentes à água", mesmo que você nade ou transpire.

Veja também: A pele dos 20 aos 60 anos: 1ª parte 20 anos, 2ª parte 30 anos, 4ª parte 50 anos5ª parte 60 anos